sexta-feira, 4 de maio de 2012

COLUNA ''OPINIÃO E HISTÓRIA'' COM GEORGE JOAQUIM


O Grandioso Bonsucesso dos Anos 70.

O Bonsucesso Futebol Clube foi matéria da Revista Placar de 21 de março de 1975, páginas 12 e 13. Assinada por Raul Quadros, o nosso clube foi destaque pela nova formação da equipe para a disputa do campeonato carioca de 1975. Apelidado de “o fantasma do campeonato”, segundo a matéria, o clube conquistou dois bons resultados diante dos grandes nas três primeiras rodadas do campeonato. Venceu o Vasco em São Januário e empatou com o Flamengo no Maracanã. Retirei as passagens mais importantes da matéria para passar aos amigos “Fanáticos Pelo Cesso”.

►Dinheiro não falta: o clube tem 700 mil cruzeiros depositados num banco, à disposição do Departamento de Futebol. Organização também não falta: o departamento tem seu gasto devidamente programado até agosto.

►O clube conseguiu armar um bom time com a prata da casa e a compra de alguns experientes atacantes. Um bom começo... a equipe se manteve invicta em seus três primeiros jogos do campeonato. O seu mais ferrenho rival, o Olaria, perdeu as três primeiras partidas.

►Segundo a matéria, o objetivo do Bonsucesso era tentar uma vaga no Campeonato Brasileiro. Para o Diretor do Departamento de Futebol do Bonsucesso, Paulo Ribeiro, o Bonsucesso não faria pedidos à CBD:

“Os convites são e continuarão a serem políticos. Eu jamais farei pedidos à CBD. Ela tem obrigação de observar os clubes, como observou o Guarani... Porque convidar o Americano de Campos? Por quê? É um convite político. O Americano entra no lugar do Olaria. E o que vai mostrar aos clubes dos centros maiores? Vou trabalhar sério, talvez a CBD entenda nosso propósito.”

►A pedido do Técnico Velha, o Bonsucesso acertou as contratações do lateral direito Miguel, do goleiro Valdir (ex-Vasco), os atacantes Samarone e Adãozinho (ex-rubro-negros) e Marco Antônio e Mickey (ex-tricolores). Contando com a prata da casa, os zagueiros Nilo e Nilson, Cabral e Silva no meio de campo, o Bonsucesso formava uma boa equipe para o campeonato de 1975.

►O primeiro jogo na Teixeira de Castro empate em 1 a 1 com o Campo Grande. No segundo jogo contra o Vasco em São Januário, as estréias de Samarone e Marco Antonio, e uma vitória de 1 a 0 no Vasco. No terceiro jogo, contra o Flamengo no Maracanã, as estréias de Adãozinho e Mickey garantiram um 0 a 0
.
►Travagline e Jouber acusaram o Bonsucesso de ser “um fantasma amedrontado”, armado na defesa. Para o Técnico Velha, um time consciente de sua força:

“Sei e todos sabem que Flamengo, Fluminense, Vasco, América e Botafogo têm mais valores que o Bonsucesso. Então se me atacam, tenho que me defender. Antes o Bonsucesso era atacado até sem bola... Ninguém se preocupava com o nosso ataque. Por isso todos nos atacavam com oito e até nove jogadores. E a nossa defesa que se virasse. Agora temos atacantes que resolvem. Se a defesa adversária sair, leva gol...”

►Velha, que iniciou a carreira de treinador como auxiliar de Gentil Cardoso em 1956 no Bonsucesso é destacado na matéria como um bom armador de time e que pelas suas declarações, mostra um Bonsucesso perfeitamente equilibrado.

►Raul Quadros finaliza a matéria destacando que o Bonsucesso não atrasa salários, tem calendário fixo de pagamento e nada deixa faltar aos seus jogadores. A Direção trabalha com premiação aos jogadores de acordo com certos resultados: empates, 200 cruzeiros; vitórias, 400 cruzeiros, qualquer que seja o adversário.

►Em 1975, segundo a matéria, o Bonsucesso contava com quase 22 mil sócios. No 1º turno do Campeonato Carioca, o Rubro-Anil fez uma boa campanha terminando a competição em 6º, atrás de Fluminense, América, Vasco, Botafogo e Flamengo. Já o 2º turno, o time foi “mal das pernas” e não conseguiu se classificar para o 3º turno. Mesmo assim, no geral, após o término do campeonato, o Bonsuça terminou na 8ª colocação, atrás de Fluminense, Botafogo, Vasco, Flamengo, América, Bangu e Madureira.

Fonte: Revista Placar.
Resgatando a História.

Há 85 anos, no dia 03/05/1927, o Bonsucesso preparou uma festa para a inauguração de seu novo campo (o 2º) na Av. dos Democráticos. O convidado foi o nosso vizinho Olaria. O Bonsuça, animado com a festa, goleou o Olá por 4 a 1. Confira a ficha técnica desta partida:

Bonsucesso 4 x 1 Olaria

Data: 03 de maio de 1927
Local: Estádio da Avenida dos Democráticos.
Competição: Amistoso Nacional
Gols: Eurico (2), Nico e China / Horácio

BONSUCESSO: Ary, Alvarenga e Leal; Jorge, Eurico e Aniceto; China, Ernesto, Nico, Bida e Lúcio.

OLARIA: João, Nicanor e Campos; Alvarenga, Alfredo e Marinho; Vieira, Horácio, Gago, Norival e Christóvão.

Fonte: Jorge Costa/Blog Só Súmulas


Abração a todos.

9 comentários:

RONALDO FANATICO ATRAS DO GOL !!!! disse...

GEORGE , OTIMA MATERIA POIS RECORDAR E VIVER E MOSTRAR QUE JÁ TIVEMOS TIMES A ALTURA DA GRANDIOSIDADE DO RUBRO-ANIL DA LEOPOLDINA .


VAMOS , VOLTAR A ESTA ÉPOCA GLORIOSA DO CLUBE .


AVANTE CESSO !!!

Dêrauê disse...

Grande prof. George! Mais uma vez parabéns pelo maravilhoso resgate da história do nosso célebre rubro-anil da Leopoldina.
O China do jogo contra o Olaria em 1927 é mesmo o maior artilheiro da história do clube? Abraços!

Anônimo disse...

HA,HA,HA,HE,HE,HE ESSA MATÉRIA DA PLACAR LEMBRA O PLANEJAMENTO DESSE ANO HA,HA,HA,HE,HE,HE,ZECA APRENDE E SE NÃO DER RENUNCIE.POBRE BONSUÇA E PENSAR QUE JÁ TIVEMOS DIRIGENTE QUE PENSSAVA EM BRASILEIRO É BUÁ,BUÁ BUÁ É PRA CHORAR COM ESSA INCOMPÊTENCIA REINANDO NO CLUBE.

Arnaldo Caruso disse...

Ótimo George. Você é o BONSUCESSO do presente e do futuro. 1975, eu estava com 15 anos e na escola a turma me respeitava. Sr. Paulo era diretor e dono de uma transportadora. BONS TEMPOS. Arnaldo Caruso.

Arnaldo disse...

George, Parabéns pela matéria recordar é viver o Paulinho da Transportadora Dom Vidal era tricolor + adorava de paixao o nosso Bonsuça, deixou a sua marca no nosso clube a concentraçao dos jogadores e sempre contratou jogadores de qualidades, nao posso deixar de citar o nosso grande presidente Rubens de Araújo Reis (Rubinho).
Um forte Abraço
Arnaldo

George Joaquim Ferreira Machado disse...

Olá Dêrauê! O maior artilheiro da história do Bonsucesso foi o Gradim. Este impecável jogador de futebol também foi atleta de nossa equipe de Basquete. Gradim foi vice artilheiro em dois anos de disputa do carioca. Em 1931 pelo Cesso com 14 gols e 1934 pelo Vasco com 9 gols. China foi o único artilheiro de campeonato do Bonsucesso. Isso ocorreu em 1935 pela Liga Carioca de Futebol.Veja o total de gols e quais jogos marcados:

CAMPEONATO CARIOCA (LCF) – 1935
Emiliano Ramos “China” (Bonsucesso), 16 gols.
11 / 08 – 3 x 2 Portuguesa (3).
18 / 08 – 2 x 6 Flamengo (2).
08 / 09 – 2 x 4 Fluminense (1).
22 / 09 – 5 x 3 Portuguesa (2).
29 / 09 – 4 x 2 Flamengo (2).
06 / 10 – 4 x 0 Modesto (2).
13 / 10 – 2 x 1 América (1).
20 / 10 – 1 x 5 Fluminense (1).
27 / 10 – 7 x 3 Portuguesa (1).
03 / 11 – 1 x 1 Flamengo (1).

Observação do Site pesquisado: "Não faça confusão entre o atacante Emiliano (China) com o médio Claudionor, também "China"."

Fonte: RsssfBrasil

Com a observação do site, fico na dúvida se o China na escalação é o artilheiro.

Obrigado a todos pela visita e leitura. Abração.

ricardo disse...

Caro George,
Com estas matérias publicadas que "Resgatam a história" Nosso querido Bonsucesso, deveria ser respeitado pelo seu passado e pelo quanto já contribuiu para o futebol carioca, e não como foi tratado este ano por essa FFERJ.
A minha esperança e fé, é que todos nós juntos, diretoria,
torcedores e nós fanáticos, traremos este clube
de volta ao lugar merecido.
Fortíssimo abraço,
Ricardo Rilo.

George Joaquim Ferreira Machado disse...

É Ricardo. O que foi feito contra o Bonsucesso em matéria da proibição de jogar no seu estádio foi uma covardia e injustiça. E como vc cita no seu comentário, uma falta de respeito. A Teixeira poderia perfeitamente abrigar publico em seus jogos. Mas vida que se segue e voltaremos para dizer para o "Doutor da Federação": Vc terá que nos engolir! Abção.

Dêrauê disse...

Obrigado pelo esclarecimento, Professor! :D