terça-feira, 16 de setembro de 2008

SAIBA MAIS...

Bonsucesso punido e multado pelo tribunal da Ferj

Na tarde de segunda-feira (15), na sede da Federação de Futebol do Estado do Rio de Janeiro, aconteceu o julgamento do processo 729/08, referente à partida entre Olaria e Bonsucesso, disputada na Rua Bariri, no último dia 3, pela quinta rodada do returno da Segundona. A peleja foi interrompida aos 52 minutos do segundo tempo, quando a equipe da casa tinha uma penalidade máxima a seu favor.

Após a marcação da penalidade para os bariris, os rubro-anis apelaram para o 'cai-cai', através de contusões de dois jogadores, o que deixou a equipe com seis atletas. Antes, três foram expulsos de campo. A procuradoria do Tribunal de Justiça Desportiva (TJD), após analisar a súmula do árbitro Alex Borges Pedro, na qual informa que dirigentes e membros da comissão técnica do Bonsucesso pediram aos jogadores para simular contusões, denunciou doze pessoas do clube e também a própria agremiação esportiva.

A 4ª Comissão Disciplinar da FERJ, presidida pelo Dr. José Jaime Santoro, e tendo como auditores Carlos Henrique Mariz e Pedro Berwanger, procuradores, André Valentim e Alessandro Coutinho, e o relator Edilson Gonçalves, decidiu punir o Bonsucesso FC com o pagamento da multa pecuniária mínima, no valor de R$ 10 mil (valor este a ser pago em, no máximo, dez dias) e a perda de três pontos. Na ocasião, foi exibido um vídeo do lance em que a penalidade foi assinalada pelo árbitro e o campo invadido. Prestaram depoimentos o jogador Jordan (do Olaria, como testemunha do árbitro, que não compareceu), o médico do Bonsucesso, Dr. Efroim Wolf Horovicz, e o quarto árbitro da partida, Estevão Cunha da Trindade.

Os reclamados na súmula foram assim apenados: os jogadores Bruno Máximo Osório (Bruninho) com uma partida, Gilmar Augusto Gomes (Gilmar) duas partidas, Mário César Guimãres da Silva (Mário César) três jogos, William das Graças Silva Junior (William Amendoim) e Alex Ferreira Ventura (Sassá) 120 dias cada um. O médico do clube, Dr. Efroim Wolf Horovicz 320 dias, e o massagista Ronaldo Cascão 280 dias. Foram absolvidos, o diretor de futebol Jaider Moreira, o preparador-físico Franciso Ortiz e o treinador Ademir Fonseca, além do jogador Jefferson. O advogado do Bonsucesso, Pedro Villas Boas, ingressará com recurso.

Fonte: Papo Esportivo

Nenhum comentário: