quarta-feira, 20 de junho de 2012

"A CRÔNICA CRÍTICA DE UM RUBRO-ANIL" COM DÊRAUÊ.


Consta que, no mundo inteiro, apenas dois atacantes foram comparados a Deus: Romário, na específica disputa pelo título de "Rei do Rio", dando um chega pra lá em Túlio Maravilha e Renato Gaúcho; bem assim Diego Armando, o Maradona.

Falando nisso, não consta que o Gauchito Gil tenha jogado bola, mas a opinião da argentina Gabriela Saidon (autora de "Santos ruteros: De la Difunta Correa al gauchito Gil") é de que, do mesmo modo que os norte-americanos inventam heróis, os portenhos inventam... Santos.

De sorte que o Brasil não os precisou inventar, posto já existirem desde a vida na metrópole portuguesa. Fizeram até uma cidade, no litoral paulista, para abrigá-los, todos. Lá, por um acaso, e de certa maneira, vira e mexe nascem alguns dos melhores craques, em alguns dos melhores times que o futebol brasileiro já viu ou anda a ver.
Um ou outro chegam a Rei. Pra encontrar Deus, por sua vez, é preciso atravessar o Rio da Prata.

#-#-#-#-#-#-#-#-#-#-#-#-#-#-#-#-#-#-#-#-#-#-#-#-#-#-#-#-#-#-#-#-#-#-#-#-#-#-#-#-#

Existe vida além do Brasileirão ou
Enquanto isso, nos arredores e na Capital...

++++
O campeão carioca de 1926 ficou um ano mais longe de sê-lo outra vez. Depois de perder para o Mesquita em casa por dois a um no último sábado em partida válida pela rodada final do grupo X da série B, o São Cristóvão Futebol e Regatas confirmou a péssima fase e caiu, junto com o Carapebus, para a terceirona em 2013.

O grupo C da segundona inicia o returno nesta semana e vem sendo disputado diretamente por Quissamã (23), Audax (21), Portuguesa (19), São João da Barra (18) e Goytacaz (18), distantes apenas cinco pontos entre si.

Na categoria Juniores da série B, América e Portuguesa estão empatados na liderança (21), seguidos por Goytacaz e Audax, também igualados três pontos atrás (22). A disputa em ambos os quadros vai até o fim de julho.

++++

O infantil (sub-15) já não tem mais chances, mas o juvenil (sub-17) do Bonsucesso ainda pode seguir no Campeonato Estadual e se classificar entre os seis primeiros do grupo A1 na Taça Guanabara. Para isso, além de vencer a próxima partida contra o Friburguense lá na serra, será necessário secar Macaé e Resende, que jogarão em suas casas contra Volta Redonda e Bangu, respectivamente. O rubro-anil vem de uma suada vitória na Teixeira de Castro, por dois a um, sobre o Boavista no último sábado.
Os seis primeiros do A1 com os seis primeiros do A2 e quatro equipes entre as que disputaram as séries B e C avançam para a segunda fase da competição, a ser disputada no próximo semestre até o fim de novembro.

++++

Em jogo bem comparecido nas Laranjeiras, o Fluminense derrotou o Nova Iguaçu por dois a zero na primeira partida da decisão do Estadual no quadro sub-20. No próximo sábado, o time da baixada precisará ao menos igualar o saldo para levar a disputa aos pênaltis.

++++

Já na série C profissional, Queimados, Barra da Tijuca, Paduano e São Pedro (no grupo I) e Villa Rio, Mangaratibense, São Gonçalo EC e América de Três Rios (no grupo J) estão a dois jogos de passar à quarta fase - semi-final - da contenda. Dois em cada reunido se classificam, e todos ainda têm chances matemáticas.

A folha rubro-anil (http://georgejoaquim.blogspot.com.br/search?updated-max=2012-06-16T03:30:00-03:00&max-results=7) tem acompanhado de perto a trajetória do clube da baixada e costuma dar como boas as chances de classificação e até ascenso.
O quadro de juniores da série C iniciará seu torneio em agosto.

++++

Como adiantou o site da Fanáticos (http://fanaticospelocesso.blogspot.com.br/2012/06/ferj-divulga-grupos-da-copa-rio-2012.html), o Rubro-Anil da Leopoldina foi confirmado cabeça de chave do Grupo B na primeira fase da Copa Rio 2012, competição que dá direito a vaga na Copa do Brasil ou na série D do Brasileirão.

Compõem o grupo ainda Olaria, Barra Mansa e Cabofriense. Se perdurar a suspensão no TJD sobre o Carapebus em razão de problemas com sua equipe de juniores, terceirizada pela diretoria do clube (http://ururau.com.br/esporte14270), sua vaga no grupo passará ao América de Três Rios.

A punição ao time da cidade próxima a Macaé, ocorrida em abril, foi rodeada de questionamentos à fórmula de disputa da segunda divisão, competição da qual o Bonsuça participará na próxima temporada. O principal alvo das críticas é o índice técnico, cálculo que leva em
conta um placar de três a zero para partidas não realizadas (como as vencidas pelo famoso W.O.), utilizado atualmente como critério de ascensão à segunda fase da pugna.

O blog da torcida do Goytacaz (http://netgoyta.com.br/confusaoseriebrio.htm) acusou favorecimento aos clubes do grupo A - do qual participava o Carapebus - a partir da utilização do índice, que nada mais é do que a soma da média aritmética dos pontos ganhos com a média de mesmo tipo dos gols marcados.

#-#-#-#-#-#-#-#-#-#-#-#-#-#-#-#-#-#-#-#-#-#-#-#-#-#-#-#-#-#-#-#-#-#-#-#-#-#-#-#-#

Ainda acerca de Futebol e Cinema

Era pra ter o nome Mártires de Chicago e a camisa vermelha em homenagem à luta dos trabalhadores de todo o mundo. A cor do uniforme resistiu, mas quando o deus deles veio ao mundo, o clube já se chamava Argentinos Juniors. Ou, simplesmente, "los bichos".

Sobrealcunhados "Criollos" - por troça com o nacionalismo - ou "Colorados" - não graças ao Chapolim -, os insetos de "La Paternal" puderam ver "el Pibe" estrear aos quinze anos no futebol profissional durante o segundo tempo da oitava rodada do Campeonato Argentino de 1976. Lá, Maradona jogou cinco temporadas, marcou mais de cem gols e virou nome de Estádio. Como não só de deus vivem os bichos, da Paternal também saíram nomes como Borghi, Riquelme, Sergio Batista, Redondo, Cambiasso, Cáceres e Sorín.

(http://www.youtube.com/watch?v=znwzXpbiAlc&feature=player_embedded)

A homenagem do diretor Diego Lombardi a "El más grande de los pequeños" ficou em cartaz por apenas três semanas em Buenos Aires. Mas os setenta e cinco minutos de "Bichos Criollos" apresentam, entre o batuque da torcida e a paixão dos relatos de ex-jogadores, antigos membros da comissão técnica e torcedores que, em termos de esporte (já nada) bretão, que o estádio da Paternal poderia ficar na esquina da San Blas com a Teixeira de castro. Ou em qualquer lugar onde os pés corriam atrás da bola e era por diversão, não por dinheiro. Porque "quando entra dinheiro, todos se matam para ser estrelas, e então chega a hora da inveja e do egoísmo", como disse "Veneno", jogador do infantil do Argentinos citado por Eduardo Galeano enquanto abraçava Don Diego com doze "anitos".

O documentário narra os "altibajos" do quadro colorado com a ênfase entrecortante dos melhores momentos da última partida da equipe no Torneo Clausura 2010 (a última fase do campeonato nacional), quando garantiu o título e o seu terceiro campeonato de "primera A" em nível nacional.

Façamos coro para que o filme seja exibido em alguma sala por aqui ou então seja disponibilizado por "meios alternativos" de acesso à cultura. Quem sabe no CINEFOOT 2013, junto com o filme dos cem anos do Bonsucesso, os "Bichos" não pintem por estas telas?




3 comentários:

Herman disse...

Muito legal a sua coluna, Derauê. Por meio dela podemos saber de fatos do futebol que muitos de nós desconhecemos. Eu gostaria muito de ver, por exemplo, um documentário sobre os clubes de bairro das principais cidades brasileiras. Afinal, eles representam a essência do futebol, mantendo-se à margem do mundo mercantilista, que no futebol moderno, então, virou uma festa. Os torcedores desses clubes, estes sim, são torcedores de verdade. Falo pelo Bonsuça. Não somos torcedores de aluguel, igual a muitos pensam. Então, um documentário sobre esses clubes seria muito legal. Só aqui no Rio tem uns quatro ou cinco clubes. Grande abraço!! Saudações rubro-anis!!!

George Joaquim Ferreira Machado disse...

Meu pai, se aqui estivesse, ao ler sua coluna, ousaria em colocar o Garrincha nesta lista miúda de Deuses do futebol. Para ele, Garrincha foi um Deus do futebol de "Pernas Tortas". Parabéns pela coluna. Abção.

Dêrauê disse...

Valeu mesmo pela leitura, gente! :D
Pois é, Herman, nestes tempos em que até a torcida se "profissionaliza" - na verdade, mais preciso é o termo por você usado, mercantilização - nada melhor do que a nossa torcida para mostrar que ainda existe vida pensante (e verdadeiramente amante) no futebol.
Grande professor George! Muita razão teria seu pai, e isso eu digo pelo pouquíssimo que pude ver em cenas do Garrincha no Canal 100. Agora, começando a ler o "histórias do futebol", do João Saldanha, começo a saber o quanto o Garrincha também era impossível fora da cancha... ;)
Abração pra vocês!