quarta-feira, 15 de junho de 2011

MAURÍCIO LEMBRA DO BONSUCESSO EM BATE-PAPO NO MARACANÃ

Edinho, Zico, Maurício, Petkovic e Dinamite no Maracanã
Foto: Renan Moura


A Secretaria Estadual de Esporte e Lazer do Rio organiza durante a semana eventos em homenagem ao aniversário de 61 anos do Maracanã. Nesta terça-feira, um bate papo informal mediado pelo jornalista Mauricio Menezes, contou com a presença de ídolos que marcaram história no estádio. Estiveram presentes Zico, Roberto Dinamite, Petkovic, Edinho e Mauricio.

O Galinho de Quintino, que não via o Maracanã desde o último jogo das Estrelas disputado em 2009, afirmou que ficou surpreso ao ver o estádio em obras, mas que ficou tranquilo após uma rápida visitação com a secretária Márcia Lins.

”Quando olhei para o lado e vi aquilo não acreditei. Cortou o coração. Após uma passagem pelo estádio com ela (Márcia Lins) fui acalmando aos poucos já que a Márcia foi me explicando como ficaria. A gente sabe que é por uma boa causa. Só nos resta agradecer a Deus por ter feito parte desta história e por ter sido atuante neste estádio, participando dos maiores públicos algo que dificilmente poderemos ver novamente”, disse.

Endossando as palavras de Zico, o presidente do Vasco, Roberto Dinamite, que chegou com alguns minutos de atraso devido ao trânsito admitiu que o Maracanã precisava passar por uma nova reforma.

”Eu acho que o Maracanã já precisava de uma modificação para atender o torcedor dando a ele mais conforto. A entrada e saída do estádio era muito confusa. Nós somos saudosistas ao falar que o estádio deve ser preservado, mas a base será mantida. Devemos seguir o exemplo em parte assim como foi em Wembley. O povo e o jogador brasileiro devem estar acompanhando os andamentos das obras. Além do próprio palco para o futebol, o Maracanã abrigará outras atrações para o público. Isso é muito bom”, afirmou.

O sérvio Petkovic também expressou o seu sentimento ao falar do Maracanã e relembrou momentos que marcaram a sua carreira.

”Minha maior emoção aqui foram em 2009 ao deixar os pés na calçada da fama além do título estadual e do Brasileiro. Ao contrário do Zico pude atuar em dois Maracanãs. Aqui no Rio e em Belgrado”, disse esbanjando bom humor e logo sendo interrompido por Zico ao afirmar que ele não tinha marcado tantos gols assim como o Galinho no estádio.

Petkovic também afirmou que não saberia presentear o Maracanã, mas colocou a disposição a sua chuteira do último jogo como profissional para ser exposta na galeria do estádio.

”Não tenho um presente digno para o Maracanã condizente a tudo que ele fez na minha carreira. Poderia dar pelo menos a chuteira que usei na minha última partida como profissional. Iria pendurar no museu da minha casa, mas se pudesse ficar aqui seria excelente. É o mínimo que posso fazer pelo estádio”, completou.

O ídolo da torcida do Botafogo, Maurício também ficou emocionado ao olhar para o estádio e afirmou que não tem como não citar o título estadual de 1989, quando marcou o gol da vitória sobre o Rubro-Negro.

”O ano de 1989 marcou a minha carreira. Caso contrário não estaria aqui. Foi um título importante para o Botafogo e foi em cima do Flamengo, que tinha um time fantástico e de nível de Seleção Brasileira”, disse.

O ex-jogador também fez questão de relembrar do Bonsucesso, clube onde iniciou a carreira.

"Não posso esquecer de citar o Bonsucesso. Foi o clube que abriu as portas para o futebol e tive a oportunidade de atuar no Maracanã com as cores do time da Leopoldina. Foi uma ótima época. Bons tempos", disse Maurício.

O lateral Edinho, ex-Fluminense, desejou sorte aos responsáveis pelas obras do estádio e explicou o que representa para cada jogador ter a honra de atuar em um dos maiores palcos do futebol mundial.

”O Maracanã para qualquer atleta de todo o mundo é o fruto de craques e histórias de tristezas e alegrias. O Maracanã é tudo para a gente. Tomara que todo o planejamento seja realizado no cronograma e que o coração por este estádio continue pulsando assim como está acontecendo agora”, finalizou.

Turistas e moradores poderão acompanhar o andamento das obras do alto do 6º andar, na Torre de Vidro, também à noite. Para lá foram transferidos a Calçada da Fama e as estátuas do Zico e do jornalista João Saldanha, assim como os bustos do Garrincha e do jornalista Mario Filho. Duas novas galerias exibem grande parte do acervo. Na semana de aniversário do estádio, os ingressos vão custar R$10,00 de segunda a quarta e a entrada será gratuita de quinta-feira a domingo. No dia do aniversário, 16 de junho, a visitação abrirá às 14h e será gratuita. Assim como na sexta-feira, no sábado e no domingo, dia 19.

No dia do aniversário do Maracanã, quinta-feira, 16 de junho, às 10h, será feita uma benção pelo aniversário e o Padre Omar abençoará também a escada usada pelo papa-santo, Joao Paulo II, quando ele esteve no estádio. Um bolo para convidados marcará a comemoração do aniversário.

* Confiram o Super Esportes, o site de esportes da Rádio Tupi



Um comentário:

Herman disse...

Na minha modesta opinião, um verdadeiro assassinato com o templo maior do futebol. Sinceramente, acho que o Maracanã deveria ser mantido exatamente do jeito que era quando foi fundado. Era muito mais o Maracanã. Mas, se a CBF, por motivo de força maior, decidiu transformá-lo num produto industrializado, fazer o quê?