quarta-feira, 3 de setembro de 2008

E AGORA?

Momentos antes do apito incial para o clássico do subúrbio
Foto: André Queiroz


No jogo entre Olaria e Bonsucesso, na Rua Bariri, hoje à tarde, pela 5ª rodada do returno da Segunda Divisão do Campeonato Carioca, o árbitro Alex Borges Pedro foi o personagem principal da partida que acabou empatada em 1 a 1.

O jogo era crucial para as pretensões das equipes que sonham com a classificação para a próxima fase da competição. Uma derrota para o Bonsucesso seria o adeus ao sonho de voltar a elite do futebol carioca, já o Alvianil ficaria um pouco mais distante do G4, do Grupo C.

No primeiro tempo, as equipes pecaram nos passes errados, demonstrando um pouco de nervosismo, mas aos poucos o clássico foi ganhando contornos de uma "final" antecipada. Aos 35 minutos, em falta cobrada pelo atacante Assumpção, do Olaria, a bola desviou na barreira e morreu no fundo das redes do goleiro Marcos Leandro.

No segundo tempo, os ânimos voltaram exaltados com várias faltas. Aos 18 minutos, o árbitro Alex Borges Pedro assinalou pênalti para o Olaria. Assumpção cobrou mal e isolou. O Bonsucesso acordou na partida, buscando o gol de empate mesmo com um a menos em campo, porém não assustava a meta do goleiro Vinicius.

Parecia que a partida terminaria com vantagem para o Olaria, entretanto, aos 46 minutos, o jovem William Amendoim, ex-Flamengo, fez excelente jogada na linha de fundo e tocou para Jefferson, que driblou o zagueiro e bateu firme para empatar a partida. 1 a 1.

Um minuto depois, o árbitro Alex Borges assinalou um pênalti duvidoso para o Olaria. Esse foi o estopim para provocar a revolta dos jogadores, comissão técnica e do diretor de futebol do Bonsucesso, Jaider Moreira, que protestaram. O árbitro ainda expulsou dois jogadores do rubro-anil (Gilmar e Thiago). A polícia militar entrou em campo para acalmar a situação, mas a confusão já estava armada. Sem uma solução para o problema, o Sr. Alex Borges encerrou a partida antes mesmo da cobrança de pênalti.

Agora, cabe a Federação de Futebol do Rio de Janeiro resolver esse grave problema e punir o(s) culpado(s) por essa mancha marcada no clássico do subúrbio.

FICHA TÉCNICA: OLARIA X BONSUCESSO

Estádio: Mourão Filho, Rua Bariri
Horário: 15h
Árbitro: Alex Borges Pedro
Assistentes: Lino de Paula Neto e Gilberto Pereira
Cartões amarelos: Thiago e Assumpção (Olaria); Marcílio , Jeferson e Mario Cesar (Bonsucesso).
Cartões vermelhos: Nielsen (Olaria); Marcilio, Gilmar e Thiago (Bonsucesso).

Olaria: Vinícius ; Ivan , Jordan , Thiago e Jordan ; Silas , Marcos , Nielsen e Marcelo(Uilan) ; Assumpção e Givaldo(Carlos). Técnico: Toninho Andrade.

Bonsucesso: Marcos Leandro; Buiú (Flavio Santos), Victor, Marcílio e Jeferson; Mario Cesar, Sassá, Maciel(Douglas) e Gilmar, Willian Amendoim e Thiago (Bruninho). Técnico: Ademir Fonseca.



Resultados da Rodada:

Olaria 1x1 Bonsucesso
CFZ 2x1 Bréscia
Villa Rio 1x1 São Cristóvão


-----------------------------------------------------------


Não foi só o Bonsucesso que alegou prejuízo com a arbitragem de Alex Borges Pedro, o Macaé em duas oportunidades se sentiu lesado com o próprio árbitro. Veja a nota abaixo:

"Desta vez contra o Madureira"

"O árbitro Alex Borges Pedro entrou de vez para a lista negra do Macaé Esporte. Assim como na decisão da Seletiva de Acesso a Primeira Divisão em 2006, contra o Bangu, desta vez ele prejudicou os alvianis contra o Madureira neste sábado (1º) à tarde, em Conselheiro Galvão. Os donos da casa venceram por 1 a 0 na estréia dos dois clubes na Taça Rio.

Com apenas sete minutos de jogo, ele distribuiu três cartões amarelos para o Macaé (Marcinho, Tiano e Cássio pela ordem). Além disso, o juiz parou quatro contra-ataques do alvianil - dois com Wallacer, um com Tiano e outro com Bruno Mezenga. Em todos eles os macaenses levaram vantagem no lance, com reais possibilidades de marcar, e o árbitro preferiu marcar as faltas."

Matéria: Assessoria Macaé Esporte - Tiago Ferreira

Um comentário:

André Veras da Silva disse...

Foi uma vergonha o que este cidadão fez nesta tarde que tinha tudo para ser uma partida em que a emoção prevaleceu até aos 46 minutos quando o Bonsucesso com menos dois jogadores em campo empatou o jogo. E sob o olhar do seu pai na arquibancada esse indivíduo aos 46 minutos e 47 segundos inventou uma penalidade que nem o jogador do Olaria, Sr.
Ássumpção não acreditou, pois foi em direção ao indivíduo reclamando que ele tinha marcado tiro de meta em vez de escanteio e para sua surpresa ele marcou a penalidade. Até os torcedores do Olaria sairam do Estádio sem entender nada. Mais uma vez a administração do Sr. Rubens Lopes é manchada por uma arbitragem incompetente.Vale apena lembra que o indivíduo que ocasionou toda essa mancha, frequentava o clube do Olaria quando adolescente. Mas quem sabe um dia isso mude e possamos resgatar a tradição desses clubes que lutam contra a escassez de verba para se manterem e com uma Federação que tem a incompetência como fator chave. Um abraço a todos. Não poderemos desistir, e sim apoiar o nosso quase centenário Leão da Leopoldina, ou carinhosamente o nosso Bonsuça.