sexta-feira, 28 de fevereiro de 2014

NOVA COLUNA DO HERMAN RUBRO-ANIL: CESSO VENCE O AUDAX EM PARTIDA ÉPICA

INACREDITÁVEL FUTEBOL CLUBE! CESSO VENCE O AUDAX EM PARTIDA ÉPICA!!!!
Meus caríssimos amigos rubro-anis, o que se viu na última quarta-feira no Estádio Moça Bonita, na Zona Oeste do Rio de Janeiro, foi algo fenomenal, daquelas coisas que só se vê tipo Cometa Halley, que só passa uma vez e acabou. No dicionário, a palavra fé é definida como uma crença muito firme, uma absoluta confiança em alguma coisa, sem que haja evidência alguma de que o objeto da referida crença seja real ou não; trata-se ainda de uma energia que alimenta todas as crenças e religiões do planeta.
E foi exatamente com essa fé que vários rubro-anis se deslocaram de Bonsucesso (ou de outras regiões da cidade) até Bangu, na firme esperança de ver o Leão da Leopoldina rugir bem alto em busca de mais uma vitória no campeonato carioca 2014. O sol era de lascar, como já era esperado (algo em torno dos 44 graus). As equipes entram em campo debaixo de um verdadeiro forno natural.
Começa o jogo em Moça Bonita e o Bonsucesso busca ter o domínio das ações. O rubro-anil martelava em cima da defesa do Audax, mas a marcação do time de São João de Meriti era bem forte em cima dos atacantes e alas rubro-anis. Em algumas vezes o Audax partia para o contraataque; e foi num deles que os caras conseguiram chegar ao gol: o atacante Matheus Vargas sai da marcação da zaga rubro-anil, abre espaço e chuta para o gol, meio sem pretensões. O goleiro Lopes acaba falhando na tentativa de evitar o tento meritiense: Audax 1 x 0 Bonsucesso em Moça Bonita, aos 19 minutos.
A irritação tomou conta das sociais no lado rubro-anil de imediato. Foram muitas reclamações e xingamentos. Eu mesmo tive um baita desânimo. O técnico Alfredo Sampaio estava visivelmente irritado com o time e sacou Allan Silva e Michel nos lugares de Renan e Giovanne. O time do Bonsucesso continuou não produzindo nada de bom até o fim do primeiro tempo.
No segundo tempo o Leão da Leopoldina tenta a todo custo rugir mais alto e parte pra cima do Audax buscando o gol de empate, tentando entrar novamente na partida; para isso o Bonsuça buscava se utilizar bem de seus alas, ao passo que o Audax continuava apostando nos contragolpes. Aos 8 minutos, a equipe meritiense consegue um escanteio; na cobrança, todos os rubro-anis ficaram parados na área, só olhando a bola passar. A bola sobra pra Luquinha bater em cima do goleiro Lopes; no rebote, Leandro Camilo, de perna direita, sem muita força faz o segundo gol do time laranja: Bonsucesso 0 x 2 Audax!!!!
O gol deixa o Bonsucesso mais tonto do que peru em véspera de Natal. O vermelho e azul da Leopoldina tá tão perdido em campo que nem GPS resolve. A irritação nas sociais com o time é cada vez maior. A revolta é muito grande. Assim como a decepção e o desespero. A torcida já estava começando a entregar os pontos. Eu era um. O martírio prosseguia; aos 14 minutos, David dá um drible da vaca em China e é derrubado dentro da área. O árbitro não tem dúvidas: pênalti para o Audax!!! Quem vai para a cobrança é Willian, que ajeita a bola, passa manteiga nela, bate pro fundo do gol e faz em Moça Bonita: Bonsucesso 0 x 3 Audax!!!!
O jogo a partir daí se encaminhava pra ser um dos mais humilhantes da história do Bonsucesso; afinal, o time estava sendo goleado pelo lanterna do campeonato. Assim não era possível. Após a parada técnica, o Bonsucesso vai pro tudo ou nada, mesmo jogando mais uma vez pessimamente. Tudo se encaminhava para o início oficial do retorno do Leão pra segunda divisão mais uma vez. Novamente o Bonsucesso ruma em direção à divisão de acesso do futebol carioca, de forma humilhante.
Foi quando, num ataque do Bonsucesso, Somália, com a bola dominada dentro da área, recebe forte marcação e acaba sendo derrubado na grande área: pênalti para o Bonsucesso e ele mesmo, Somália, vai para a cobrança; goleiro de um lado, bola de outro, gol do Bonsucesso, aos 23 minutos da etapa final. Placar em Moça Bonita agora é: Bonsucesso 1 x 3 Audax!!! Esse gol deu algum alento ao rubro-anil, que, até aquele momento, apenas vagava em campo. Então o time se enche de coragem e parte pra cima do Audax pra tentar alguma coisa na partida.
Aos 33 minutos, a bola é alçada na área do Audax e, ele, novamente ele, Somália, mete o côco na bola e diminui no estádio Proletário: Bonsucesso 2 x 3 Audax!!!! A partir daí o jogo mudou completamente de panorama. O Audax sentiu o golpe e se encolheu todo e o Bonsucesso, sem nada a perder, foi com tudo pra cima, buscando pelo menos o gol de empate. A esperança estava reacesa entre os torcedores presentes à Moça Bonita. Os corações rubro-anis começavam a bater forte outra vez. A torcida sentia que dava pra chegar lá. Dava!!! Era só querer mais a vitória que o adversário. Era só isso!!!!
E lá foi o Bonsuça pra cima do Audax com todas as forças. A torcida, que até o segundo gol do Bonsuça era só decepção e reclamação sem parar, voltou a incendiar o time, incentivando, gritando, torcendo sem parar feito malucos, feito debeis-mentais, feito retardados, feito sei lá mais o quê. E aos 43, o esforço, a luta e a raça rubro-anis, ausentes durantes grande parte do campeonato, valeram a pena: em escanteio cobrado pela esquerda, Luiz Otávio sobe mais que todo mundo e de cabeça, iguala o placar em Moça Bonita: Bonsucesso 3 x 3 Audax!!! A galera grita de felicidade no estádio Proletário. A galera rubro-anil é só felicidade, todo mundo corre de um lado pra outro, se abraçando e comemorando esse sofridíssimo empate.
Vem a placa dos acréscimos: 3 minutos. Àquela altura, o empate já estava de ótimo tamanho, dadas as proporções da partida; o Bonsucesso estava escapando de uma derrota que era dada como certa. O time do Audax estava tontinho, tontinho da silva. E, aos 46, o Leão da Leopoldina, consegue o Inacreditável Futebol Clube, consegue o Sobrenatural de Almeida, consegue tudo junto. Acontece o inacreditável, o sobrenatural, o proparoxítono, o meteórico, o fantástico, o prosopopeico, acontece nem sei mais o quê: Allan Silva toca pra Fernando chutar fraco para o gol e mesmo assim, o goleiro Paulo Vitor não consegue chegar na bola, que morre no fundo das redes. É ISSO MESMO, GALERA RUBRO-ANIL!!! EU FALEI: É ISSO MESMO!!!! O BONSUCESSO FUTEBOL CLUBE CONSEGUE O IMPOSSÍVEL. O BONSUCESSO FUTEBOL CLUBE CONSEGUE O INIMAGINÁVEL. O BONSUCESSO FUTEBOL CLUBE SIMPLESMENTE VIRA O JOGO EM MOÇA BONITA. NEM EM JOGO DE VIDEO-GAME ESSA VITÓRIA SERIA POSSÍVEL. BONSUCESSO 4 X 3 AUDAX!!!! A TORCIDA FESTEJA QUE FESTEJA SEM PARAR, A TORCIDA É ÊXTASE PURO. TODO MUNDO MALUCO DA VIDA COMEMORANDO ESSA VIRADA INIMAGINÁVEL. Nem o mais otimista e insano torcedor rubro-anil poderia acreditar no que estava vendo.
E não é que ainda tem mais??? Eu falei que ainda tem mais, galera. Apenas um minuto depois, nova jogada pela direita, desta vez com Showmália, que rola pra Marlon mandar o petardo na bola e ampliar: Bonsucesso 5 x 3 Audax!!! E a torcida mais uma vez pula de alegria e corre de um lado pra outro, sem nem saber direito o que fazer. O cansaço toma conta de boa parte da torcida, que não parava de comemorar um gol atrás do outro. Era impressionante o que acontecia diante de nossos olhos em Moça Bonita. Era mágico, era proparoxítono, era propedêutico, eu também já tô maluco e nem sei direito o que eu tô escrevendo. HEHEHEHEHE!!!!
O juiz apita o centro de campo: Fim de jogo em Moça Bonita e também de um dos maiores jogos da história centenária do Bonsucesso Futebol Clube. Foi simplesmente uma vitória épica. Vitória que foi a segunda do Bonsucesso no campeonato estadual. Os 25 minutos finais da partida foram de arrebentar o coração. Foi um verdadeiro teste pra cardíaco, segundo o ilustre André Queiróz. Uma média de um gol a cada 5 minutos. O Bonsucesso jogou nesses 25 minutos finais o que não jogou no campeonato inteiro até o presente momento. Nem contra o Macaé o time jogou tão bem como nesta quarta. Uma vitória que ficará pra sempre na memória dos rubro-anis presentes ao estádio. Quem foi à Moça Bonita teve esse privilégio. Foi um jogaço. Quem não foi, perdeu!!!!
Mas o mais importante é que agora o Bonsuça vai pra 11 pontos e deixa a zona de rebaixamento neste momento. O time se encontra a três pontos do Duque de Caxias, que é o primeiro time na zona com 8 pontos. Uma colocação acima está o Resende, com 9. Vale lembrar que na próxima rodada o Resende enfrenta o Vasco. É bem possível que o Resende venha a sofrer um revés. Tomara!!! O Duque enfrenta o Bangu. Temos que torcer por vitória do Bangu. O Cesso enfrenta o Flamengo. Parada duríssima. Se perdermos, temos que torcer pelas outras combinações de resultados pra ficar fora da ZR-2!!!! Vamos continuar torcendo, amigos. O Bonsucesso está vivo. Ele segue firme na luta pra ficar na Primeira Divisão em 2015!!!! Avante, cesso!!! Saudações rubro-anis!!!!!

PARA ALFREDO SAMPAIO, VENTO MUDOU A FAVOR DO BONSUCESSO


Não há o que dizer contra. O que se viu no estádio de Moça Bonita na virada épica e histórica do Bonsucesso sobre o Audax Rio não tem como se nomear. Alguns credenciariam aos “deuses do futebol”. Outros, à “superação” e alguns demais, à “luz divina”. Mas, na verdade, quem viu só acredita porque estava lá. Mas, até quem estava, e bem perto de tudo, não soube definir o que aconteceu apenas exaltar seu grupo. Como é o caso do técnico Alfredo Sampaio, que enalteceu os 25 minutos que definiram a situação de sua equipe como “ou vai, ou racha”. E assim foi.

Sampaio diz que o que sua equipe apresentou, e não se furtou de dizer que jogou mal, pode ser uma vitória da raça. E o jogo, bom, o jogo foi o que se pode considerar coisas do futebol.
- É uma mistura de várias coisas: surpresa, superação… Esse é o futebol. Não jogamos bem, erramos muito, o Audax poderia ter feito mais gols inclusive, porque erramos muito, muito, muito. E na parada técnica, falei que jogamos 65 minutos e estávamos perdendo por 3 a 0, tínhamos 25 para fazer três gols e as coisas foram acontecendo. Acho que eles se abalaram, poderiam segurar mais e aí ficou aberto, franco e facilitou para nós, porque entre tomar o quarto gol ou fazer o terceiro, não tinha problema – disse Alfredo, que continuou:

- Acho que os jogadores acreditaram. Costumo dizer que, no futebol, o vento muda a toda hora, então antes de eu chegar aqui, me falaram que a equipe fazia bons jogos, mas não vencia. Acho que agora o vento mudou. Jogamos bem contra a Cabofriense e não vencemos; jogamos bem contra o Macaé e vencemos, não jogamos bem contra o Audax e vencemos, então acho que mudou sim.

Depois de uma primeira etapa para se esquecer, o segundo tempo foi primoroso. Para Alfredo Sampaio, o pouco tempo de recuperação e a falta de período de treinos prejudicaram as duas equipes. Mas nos últimos quarenta e cinco minutos, o que aconteceu não tem lógica, mas a superação de sua equipe foi fundamental para a virada.

- Posso falar pela minha equipe. Acho que nos posicionamos mal, porque conhecíamos a movimentação tática deles, tentamos nos treinamentos porque não dá tempo para treinar, ajeitar aquilo. Não conseguimos conter, acho que tivemos um rendimento baixo, nos perdemos, não tivemos posse de bola e a equipe sentiu o calor. Quando você está na zona de rebaixamento, não pode errar, a adrenalina e o psicológico vão para o espaço. Foi um conjunto de coisas, eles fizeram mais dois gols e a gente fez cinco, não tem uma explicação lógica – encerrou. 

Fonte: Futrio.net

SOMÁLIA COMPARA FEITO DO BONSUCESSO AO DO VASCO EM 2000


O cenário não era esplendido e não atraía tanta atenção. Pelo contrário. Quando Bonsucesso e Audax entraram em campo no estádio Moça Bonita, na tarde da última quarta-feira, para realizar um confronto de "desesperados" na briga para escapar do rebaixamento do Carioca, provavelmente ninguém esperava um grande espetáculo. Mas o futebol, com suas reviravoltas, tratou de mudar o roteiro da partida e de eternizar a 11ª rodada do estadual do Rio de Janeiro com um confronto que  pode ser adjetivado como "memorável". O Rubranil estava perdendo por 3 a 0 e, em menos de 25 minutos, liderado pelo atacante Somália, conseguiu marcar cinco gols para sair com a vitória e respirar aliviado fora da zona da degola da competição.

Um dia depois da virada épica, um dos responsáveis pelo feito contou o que se passou dentro e fora de campo. Somália, que ficou dois meses sem clube e voltou aos gramados para defender o Leão da Leopoldina, ressaltou a superação de todo o elenco, frisando a conversa que o time realizou no vestiário no intervalo do jogo.

- Para nós, foi tudo. Era um jogo que não poderíamos perder e começamos perdendo. O time, por ter muitos jogadores novos, sentiu. Quando veio o intervalo, estávamos perdendo. Conversamos sobre a vergonha que estávamos passando e que, se fosse para passarmos vergonha, passaríamos vergonha lutando. Quando fiz o primeiro gol, vi uma postura diferente. Pensamos em pelo menos um empate. Depois, fiz o segundo, deu uma animação. O time deles ficou abalado. Vencemos na superação - declarou o atacante.

A importância do jogo nem de longe é a mesma. Muito menos o tamanho do confronto. Porém, a grande vitória do Bonsucesso fez Somália recordar a final da Mercosul de 2000, quando Vasco e Palmeiras protagonizaram uma das viradas mais marcantes da história do futebol brasileiro. Na ocasião, o Verdão chegou a estar vencendo por 3 a 0, porém, em uma noite de gala de Romário, a equipe Cruzmaltina conseguiu marcar quatro gols nos 45 minutos finais do embate e saiu com o caneco de campeão.

-  Dá para comparar, mas foi até mais difícil para nós. A diferença é que lá eram dois times grandes. Mas, para nós, foi um dia de muito sacrifício, de colocar a alma na chuteira. Foi em 25 minutos, né?! Mudou tudo. Cada jogo tem uma importância. Há muito tempo que eu não vivenciava um jogo tão difícil e importante na minha carreira - afirmou.

Artilheiro do ano


Contratado pelo presidente do Bonsucesso, José Ferreira Simões, para "solucionar os problemas ofensivos da equipe", que não marcava gols no campeonato estadual, Somália chegou ao clube recebendo uma placa de "futuro artilheiro do Carioca". Tendo marcado três gols nas duas partidas em que atuou como titular, o atacante começa a se aproximar de Alecsandro, do Flamengo, que já balançou as redes em seis oportunidades e lidera a disputa.

No entanto, descartando qualquer tipo de pressão quanto ao fato de realmente se tornar o artilheiro do Carioca, Somália simplesmente se mostrou satisfeito em poder retornar aos gramados e marcar gols depois de ficar dois meses sem clube.

- Eu tive apenas duas partidas como titular. Cheguei ao clube depois de dois meses sem fazer nada. Estava em casa, só na musculação. Quando cheguei, a pressão era muito grande para eu voltar a jogar, mas não tinha fôlego para aguentar tudo. Tive que fazer um trabalho diferenciado. Agora, eu estou feliz. Sabia que mais cedo ou mais tarde os gols iam aparecer. Em duas partidas, fiz três gols. Se vou ser o artilheiro ou não, só Deus sabe - concluiu Somália.
 

Túnel do tempo

No período em que o futebol transitava entre o amadorismo e o profissionalismo, o Bonscusso também protagonizou uma virada digna de grandes narrativas. O ano era 1938 e o time vivia grande fase, tendo, inclusive, conquistado importantes triunfos no cenário estadual. Apesar do prestígio momentâneo, uma partida em especial daquele ano ficou imortalizada como um dos maiores feitos da história do clube.

O Rubroanil teve que medir forças com o poderoso Flamengo no Estádio das Laranjeiras, do Fluminense, pelo Torneio Municipal. O Rubro-negro chegou a estar vencendo por 2 a 0, mas o Leão da Leopoldina foi valente e não se deixou abater. Foi em busca do resultado e conseguiu uma estupenda vitória por 4 a 3, imortalizada na galeria dos grandes confrontos do time.


Fonte: Globoesporte.com

quarta-feira, 26 de fevereiro de 2014

BONSUCESSO SE AGIGANTA E VIRA PARTIDA SOBRE O AUDAX FORA DE CASA

No chamado jogo de seis pontos, Audax Rio e Bonsucesso se enfrentaram no estádio Proletário Guilherme da Silveira, popularmente conhecido por Moça Bonita, em Bangu, pela décima primeira rodada do Campeonato Carioca da Série A. E nem o mais otimista do torcedor alvirrubro acreditaria no que aconteceu uma virada sensacional.
O primeiro tempo foi sofrível, pra esquecer, mas teve um gol. Agora, a etapa complementar foi eletrizante. Sete gols, espetacular. O Bonsucesso realizou uma das viradas históricas para o futebol brasileiro. Perdia por três gols de diferença, e fechou o jogo em 5 a 3. Somália (duas vezes), Luiz Otávio, Fernando e Marlon, marcaram para o Bonsucesso. Matheus Vargas, Leandro Camilo e William descontaram para o laranja meritiense.
Na verdade, o primeiro tempo só teve o gol, e uma finalização de William, que obrigou o goleiro Lopes a executar excelente defesa. Só. O gol aconteceu em uma jogada isolada, a bola sobrou para Matheus Vargas tocar forte para vencer Lopes e abrir o marcador, aos 19 minutos: Audax 1 a 0.
A mais, só as duas substituições realizadas por Alfredo Sampaio, mostrando visível irritação e colocando Allan Silva e Michel nas vagas de Renan e Geovane, respectivamente. O apito encerrando o primeiro tempo soou como um alívio para os 342 torcedores presentes
A etapa complementar mostrou um início mais animado. O Bonsucesso buscou o gol de empate, passou a utilizar as jogadas pelas laterais, enquanto que o Audax buscava jogadas de contra ataques. Em um deles, a equipe meritiense conseguiu um escanteio. Na cobrança, a zaga do Bonsucesso ficou olhando, Luquinha chutou rasteiro, Lopes defendeu parcialmente e Leandro Camilo, de perna direita, estufou a rede: Audax 2 a 0.
O gol sofrido deixou o Bonsucesso tonto. Aos 14 minutos, David deu drible da vaca em China e foi derrubado, dentro da área, pênalti! William cobrou e ampliou: Audax 3 a 0. Após a parada técnica, o Bonsucesso arriscou com Somália que foi derrubado dentro da área, pênalti! Ele mesmo cobrou e marcou, aos 23, o gol do Bonsucesso.
O gol marcado deu um ânimo a mais ao Bonsuça, que reduziu o prejuízo aos 33 minutos. Bola cruzada na área para Somália, de cabeça, colocar o Cesso novamente no jogo: Audax 3 a 2. A partida mudou completamente e o Rubro-Anil pressionou e chegou ao empate aos 43. Escanteio cobrado pela esquerda, Luiz Otávio subiu e, de cabeça, igualou o placar: 3 a 3.
O incrível aconteceu três minutos depois. Allan Silva iniciou a jogada com a bola chegando para Fernando, chutar fraco e Paulo Vítor não segurar e ver a virada do Bonsucesso. Um minuto depois, outra jogada pela direita, agora com Somália, que rolou para Marlon, chutar forte e ampliar: Bonsucesso 5 a 3.
A partida
Audax Rio 3×5 Bonsucesso – Taça Guanabara, 11ª rodada – 26/2/2014 às 16h
Estádio: Moça Bonita (Rio de Janeiro – RJ)
Árbitro: Daniel de Souza Macedo
Assistentes: Luiz Cláudio Regazone e Luiz Antônio Muniz de Oliveira
Audax Rio: Paulo Vítor; David (Adilson 32’/2ºT), Leandro Camilo, Thiago Martinelli e Acácio; Arthur, Yuri, William e Luquinha (Kláuber 26’/2ºT); Balotelli (Renatinho 28’/2ºT) e Matheus Vargas. Técnico: Júnior Lopes.
Bonsucesso: Lopes; Iago Soares, Luiz Otávio, China e Rick (Samuel 15’/2ºT); Alexandre Carioca, Fernando, Geovane (Michel 34’/1ºT) e Renan (Allan 26’/1ºT); Marlon e Somália. Técnico: Alfredo Sampaio.

terça-feira, 25 de fevereiro de 2014

ALFREDO SAMPAIO DESTACA NOVA POSTURA DO CESSO APÓS A VITÓRIA

Finalmente. Após nove rodadas, o Bonsucesso conseguiu vencer no Campeonato Carioca. Na tarde deste domingo (23), o Rubro-Anil da Leopoldina derrotou o Macaé por 3 a 0 no Estádio Leônidas da Silva. O técnico Alfredo Sampaio, assim com já havia feito em sua estreia, elogiou o Cesso, dessa vez com a vitória nas mãos.

- Gostei muito da nossa atuação. Jogamos bem, assim como tínhamos feito contra a Cabofriense, onde poderíamos ter vencido. Agora contra o Macaé fizemos os gols no momento certo, sofremos uma pressão no fim, que é normal para quem está ganhando. Precisávamos de uma vitória para ganhar moral e reagir na competição – disse o treinador.

Com menos de uma semana no Bonsucesso, Alfredo Sampaio já conseguiu dar uma nova cara para a equipe. O comandante do Rubro-Anil revelou que a única coisa que pediu aos seus comandados, foi para eles jogarem com coragem e personalidade.

- Sempre quando chego a um clube, procuro passar minha experiência para os jogadores e falar a importância de jogar um futebol ofensivo, independente se o momento for bom ou ruim. Vim para ajudar o Bonsucesso e para isso é preciso vencer, mas para vencermos, é necessário ter personalidade. Procurei tirar a responsabilidade do erro dos atletas e todos ganharam confiança – frisou.

Nesta quarta (26), o Bonsucesso terá uma verdadeira decisão contra o Audax em Moça Bonita. A partida acontece às 16h.

Fonte: Futrio.net 

segunda-feira, 24 de fevereiro de 2014

NOVA COLUNA DO HERMAN RUBRO-ANIL: A PRIMEIRA VITORIA NO CARIOCA

Fala Galera Rubro-Anil,
Grande nação rubro-anil. Um momento super-histórico aconteceu ontem na Teixeira de Castro. Um momento magnífico!!! Deslumbrante!!! Espetacular!!! Proparoxítono!!! E sei lá mais o quê!!! Sabem o que é??? A queda da inflação??? Não!!!! Piso salarial de 2.000 reais pra todo mundo??? Não!!! Aumento no orçamento para a saúde pública??? Também não!!! Se não foi nada disso, então o quê que foi???

Foi que, na tarde deste domingo, o Bonsucesso Futebol Clube, orgulhosamente tem a honra de dizer que venceu a primeira partida no ano de 2.014. É isso mesmo, amigos. O Bonsucesso finalmente (UFA!!!!) venceu sua primeira partida no campeonato carioca, depois de uma campanha pra lá de agoniante. E foi em grande estilo. Uma sonora goleada em cima do Macaé: 3 x 0!!!!!! Eu falei: 3 x 0!!!!
O novo treinador do rubro-anil, Alfredo Sampaio, parece ter dado uma outra cara ao time; o time melhorou demais a sua atuação. Começa o jogo e o rubro-anil parte com tudo pra cima do time macaense. Um pouco afoito, como sempre erra nas finalizações. Aos 8 minutos, Geovani cobra falta perigosa contra o time macaense, Luiz Otávio desvia de cabeça e Somália quase mete o côco na bola pra dentro do gol. Grande chance do Bonsuça. Minutos depois, Renan recebe livre e bate cruzado. A bola passa perto do poste direito.
Em seguida, foi a vez do meia Fernando assustar o xará, goleiro do Macaé, que defendeu os dois chutes do meia, de fora da área. Mesmo melhor, o Cesso diminuiu o ritmo, mas voltou a levar perigo aos 39, quando Renan bateu falta e Da Silva chutou na rede pelo lado de fora. Só no fim da etapa inicial o Macaé cria sua primeira chance de gol. Bruno Alves manda de muito longe e Lopes quase deixa a bola passar, mas, para nossa alegria, a bola se perde pela linha de fundo. Na sequência, Leonardo manda um petardo e o goleiro Lopes faz um verdadeiro milagre pra defender e evitar o gol macaense.
E aos 45, surge o lance marcante do primeiro tempo: Luiz Otávio inicia contraataque, Fernando aproveita a desatenção da zaga do Macaé e parte com a bola dominada do campo rubro-anil até o gol macaense. E vai carregando, carregando, carregando a bola e a zaga não consegue acompanha-lo e então, da entrada da área, manda um petardo e... o que acontece??? Atenção todo mundo: Para tudo!!! Para tudo!!!! Acontece um fato meteórico, prosopopeico, retumbante, único em todo o mundo. TARARARARAAAAAAAAAAAAMMMMMMMM!!!!!! Derrube os tambores, maestro!!!! GOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLL do Bonsuça!!!!! Golaço rubro-anil na Teixeira de Castro. Bonsucesso 1 x 0 Macaé!!!! Aleluia!!!
Na etapa final é o Macaé quem parte pra cima do Bonsucesso (lá vai o Bonsuça mais uma vez passar sufoco...) Ernani entra pela esquerda e chuta pra fora. Na sequência, Marquinhos dispara um petardo e Lopes espalma no puro reflexo. O Cesso se mantinha retraído durante o segundo tempo.

Foi quando aconteceu outro lance meteórico na Teixeira de Castro. Meteórico, proparoxítono, retumbante, etc. Em contraataque pela esquerda, Rick cruza na área macaense e alguém sobe mais que todo mundo, mete o côco na bola, que vai parar no fundo das redes. Quem é? Quem é? Quem é? O gol? É dele!!! Showmália!!! Ele mesmo!!! Somália cabeceia firme pra fazer o segundo gol do Bonsuça, sendo o seu primeiro gol com a camisa rubro-anil, aos 23 da etapa final. E não podia faltar a tradicional dancinha comemorativa após cada gol. Placar da Teixeira de Castro agora é: Bonsucesso 2 x 0 Macaé!!!!
Mesmo levando 2 no côco, o time da Região Norte Fluminense não abria mão de atacar. Aos 30, Daniel cruzou para Leonardo cabecear: Lopes pegou de novo, antes de voltar a fazer milagre em cabeçada de João Carlos. E aos 47, veio o lance pra sacramentar a vitória rubro-anil na Teixeira de Castro; Somália, que havia ido à zaga pra apoiar na marcação, faz lançamento preciso para Samuel, que parte em disparada no contraataque decisivo da partida. Vai carregando a bola sem que a zaga consiga para-lo, e aí toca pra Vitor Hugo, livre, mandar o petardo pra sacramentar a vitória do Bonsucesso para o fundo do gol: Bonsucesso 3 x 0 Macaé!!!! Graças a Deus!!!!

Alegria total e absoluta na Teixeira de Castro, como há muito (mas muito mesmo) não se via. Fim de jogo!!! Euforia total que se irradia do estádio e sai pelas ruas de Bonsucesso. O time desta vez realmente jogou futebol e por isso mereceu a vitória. Agora é partir com tudo pra cima do Audax na quarta-feira em Moça Bonita e buscar nova vitória, pra deixar de vez a zona de rebaixamento. E seguir firme no seu intuito de permanecer na primeira divisão. Até lá, amigos!!! Saudações rubro-anis!!!

BONSUCESSO ENCERRA JEJUM E VENCE O MACAÉ NO CAMPEONATO CARIOCA

O Bonsucesso finalmente ganhou seu primeiro jogo neste Campeonato Carioca. Em casa, neste domingo (23), o time bateu o Macaé pelo placar de 3 a 0, mas ainda não deixou a zona de rebaixamento. Por um gol a menos de saldo, a equipe está uma posição atrás do Resende, primeiro time fora do Z-2.
O Bonsucesso começou o jogo tomando a iniciativa. Aos oito minutos, Geovani bateu falta na área, Luiz Otávio desviou de cabeça e Somália quase chegou, mas a defesa macaense afastou. Depois, Renan recebeu passe e bateu cruzado, mas a bola passou perto da trave.
Em seguida, foi a vez do meia Fernando assustar o xará, goleiro do Macaé, que defendeu os dois chutes do meia, de fora da área. Mesmo melhor, o Cesso diminuiu o ritmo, mas voltou a levar perigo aos 39, quando Renan bateu falta e Da Silva chutou na rede pelo lado de fora.
A primeira chance do Macaé só veio no fim do jogo, quando Bruno Alves chutou de longe e Lopes quase levou um frango, mas a bola saiu pela linha de fundo. A redenção veio no lance seguinte, quando Leonardo bateu de primeira e o goleiro do Cesso fez um milagre.
No contra-ataque, iniciado por Luiz Otávio, Fernando aproveitou desatenção da defesa rival e carregou a bola desde o meio-campo. Da entrada da área, ele chutou bonito e fez o primeiro gol do jogo, aos 45 minutos.
Macaé começa melhor, mas pára em Lopes
O Macaé assustou já no início do segundo tempo, quando Ernani entrou pela esquerda mas chutou para fora. Depois, Marquinho disparou e Lopes espalmou. Diferentemente da primeira etapa, o Cesso estava retraído, mas logo quando atacou, fez o segundo gol: Rick cruzou na cabeça de Somália, que fez 2 a 0, aos 23 minutos.
Apesar do placar adverso, o time visitante não abdicou do ataque, entretanto. Aos 30, Daniel cruzou para Leonardo cabecear: Lopes pegou de novo, antes de voltar a fazer milagre em cabeçada de João Carlos. Nos acréscimos, após nova bobeira da zaga do Macaé, Samuel deixou Victor Hugo livre para sacramentar a vitória do Cesso: 3 a 0, aos 47.
A partida
Estádio Leônidas da Silva (Rio de Janeiro – RJ)
Árbitro: Carlos Eduardo Braga
Assistentes: João Luiz de Albuquerque e Gabriel Conti Viana
Bonsucesso: Lopes; Iago Soares, Luiz Otávio, China e Rick; Alexandre Carioca, Da Silva e Fernando (Lipe 33′/2ºT); Geovani (Victor Hugo 8′/2ºT), Somália e Renan (Samuel 19′/2ºT). Técnico: Alfredo Sampaio.
Macaé: Fernando; Cleber Carioca, Filipe Machado e Leonardo; Daniel, Gedeil, Digão (João Carlos 23′/2ºT), Bruno Alves (Renan – intervalo) e Ernani; Leozinho (Marquinho – intervalo) e Waldir. Técnico: Josué Teixeira.

Fonte: Futrio.net

domingo, 23 de fevereiro de 2014

ALFREDO SAMPAIO AFIRMA QUE GOSTOU DA ATUAÇÃO DA EQUIPE EM SUA ESTREIA

A situação do Bonsucesso no Campeonato Carioca complicou. Na última quinta (20), o Rubro-Anil perdeu para a Cabofriense por 1 a 0 no Alair Corrêa e acabou indo para a lanterna da competição. Apesar do revés, o técnico estreante, Alfredo Sampaio, afirmou que gostou da atuação de sua equipe.

– Fiquei com uma ótima impressão da equipe. Sabemos que futebol é resultado, mas se fosse por rendimento, teríamos vencido o jogo. A Cabofriense é uma grande equipe, está na parte de cima da tabela, mas fomos superiores a eles. Criamos várias oportunidades de gols, e nosso único erro foi não ter finalizado bem. Ainda temos seis jogos e se mantivermos esse bom futebol, iremos nos livrar do rebaixamento – explicou o treinador.

Alfredo Sampaio destacou que ainda não conseguiu fazer muitos treinamentos com a equipe e elogiou a personalidade de seus comandados no momento difícil em que o clube se encontra.

– Só fiz dois treinamentos táticos desde quando cheguei e os jogadores fizeram tudo que eu pedi. Os atletas estão confiantes para sair do rebaixamento. Sabemos que a pressão é grande quando uma equipe está mal na tabela, mas todos atuaram com personalidade e me deixaram esperançosos para o restante do campeonato – disse.

Neste domingo (23), o Bonsucesso recebe o Macaé no estádio Leônidas da Silva, às 16h.

Fonte: Futrio.net

sexta-feira, 21 de fevereiro de 2014

ZAGUEIRO JOÃO PAULO, EX-BONSUCESSO VAI ATUAR NO SÃO JOÃO DA BARRA

O zagueiro João Paulo, de 24 anos, vai jogar pelo São João da Barra. Vice-campeão da Série B do Carioca pelo Bonsucesso, em 2013, o jogador assinou com o time sanjoanense, após ter deixado o Madureira no fim da última temporada.

João Paulo foi nome importante na campanha do Cesso na última Segundona. Mesmo tendo sido reserva em alguns jogos, ele assumiu a titularidade em momentos importantes. Com o Rubro-Anil, disputou 18 partidas, inclusive a do acesso, diante do America.

No São João da Barra, João irá se reencontrar com um ex-companheiro de Bonsucesso, o goleiro Santiago, também vice da Série B no ano passado. Revelado pelo Vasco, João Paulo jogou ainda por Cabofriense e Tombense (MG), além de passagens por Portugal e Sérvia.

O São João da Barra joga na quarta-feira (26) pela Série B, contra o Mangaratibense. 

Fonte: Futrio.net

BONSUCESSO PERDE MAIS UMA E AGORA É O LANTERNA DO CARIOCA

Despedindo-se do Correão, a Cabofriense venceu o Bonsucesso, na noite desta quinta-feira (20), pela nona rodada da Taça Guanabara. Com isso, o Tricolor Praiano, além de permanecer no G-4, na terceira colocação, com 19 pontos, terminou sua participação em Cabo Frio com 100% de aproveitamento. O Leão da Leopoldina, por sua vez, caiu para a lanterna da competição, com cinco pontos e ainda sem vencer.

Fazendo valer o mando de campo, a Cabofriense contou com o apoio da sua torcida para envolver o Bonsucesso. As principais chegadas eram pelo lado direito, através do lateral Rodrigo Dias. E foi através dele, aos 19, que o Tricolor Praiano abriu o placar. O camisa 2 desceu pela direita e cruzou pra área. Bruno Veiga, bem colocado, pegou de primeira e acertou um belo chute por cobertura, que entrou no ângulo de Lopes. Pelo lado do Bonsucesso, Rick era quem levava mais perigo, mas nada que ameaçasse a meta de Jefferson.

Na etapa final, a partida ficou mais equilibrada. Atrás do placar, o Bonsucesso se lançou ao ataque e a Cabofriense apostava nos contra-ataques. Entretanto, nenhum dos ataques conseguiu furar as defesas adversárias. No fim do jogo, o goleiro Jefferson se machucou e teve que atuar no sacrifício, já que o Tricolor Praiano tinha feito as três substituições. Depois de cinco minutos de pressão do Cesso, o time da casa suportou e segurou o 1 a 0.

Na próxima rodada, a Cabofriense visita o Vasco da Gama, em São Januário, no domingo (23), às 18h30min, com transmissão da Rádio FutRio. Um dia antes, o Bonsucesso recebe o Macaé, no Estádio Leônidas da Silva, na Zona Norte do Rio, às 16h, com cobertura do Placar FutRio.

FICHA TÉCNICA:
 

Estádio Alair Corrêa (Cabo Frio-RJ)
Árbitro: André Rodrigo Rocha
Assistentes: Michael Correia e Alexandre Eller


Cabofriense: Jefferson; Rodrigo Dias (Filipe 23′/2ºT), Arthur Sanches, Victor Silva e Leandro; Jardel, Pará, Arthur e Eberson (Tijolo 11′/2ºT); Bruno Veiga e Eliandro (Kaká Mendes 20′/2ºT). Técnico: Alexandre Barroso.

Bonsucesso: Lopes; Iago Soares, Luiz Otávio, Da Silva e Marlon (Lipe 21′/2ºT); Alexandre Carioca, Nill, Allan (Dudu 32′/2ºT), Rick; Renan e Somália (Marcão 20′/2ºT). Técnico: Alfredo Sampaio.

Fonte: Futrio.net

quarta-feira, 19 de fevereiro de 2014

ATACANTE DA PORTUGUESA ACERTA COM O BONSUCESSO PARA O ESTADUAL

O técnico Alfredo Sampaio precisou de apenas um treino para detectar um dos principais problemas do Bonsucesso: ataque. Sem peças de reposição e jogadores de velocidade para o setor, o comandante do Rubro-Anil da Leopoldina já concluiu o acerto com o primeiro reforço para a equipe: o atacante Marlon, de 23 anos, que estava na Portuguesa.

Alfredo conversou com dirigentes do Boavista, detentor dos direitos do jogador, que deram o OK, liberando-o. Marlon estava na Portuguesa da Ilha do Governador disputando o Estadual da Série B e já se desligou do clube insulano. Marlon atuou em apenas um jogo, diante do Grêmio Mangaratibense.

O Bonsucesso vem de derrota para o Bangu e volta a campo na quinta-feira (20), quando enfrenta a Cabofriense no Estádio Alair Correa, em Cabo Frio. O clube da Teixeira de Castro ocupa a 14ª colocação na tabela de classificação, dois pontos à frente do Audax Rio e três do Duque de Caxias, respectivamente penúltimo e último colocados. 

Fonte: Futrio.net

terça-feira, 18 de fevereiro de 2014

ALFREDO SAMPAIO ASSUME O CESSO COM MISSÃO DE EVITAR REBAIXAMENTO


Vivendo uma fase muito ruim no Campeonato Carioca, o Bonsucesso segue sem vencer na competição e trocou seu treinador. Ricardo Barreto, que levou o Rubro-Anil a Primeira Divisão, deixou o comando da equipe e Alfredo Sampaio é o novo técnico do Leão da Leopoldina. O comandante admitiu que a fase da equipe não é nada fácil.

– A situação do Bonsucesso é delicada. Infelizmente a equipe perdeu muitos pontos em casa, está beirando a zona de rebaixamento, mas ainda tem 21 pontos em disputa e pretendo que o time ganhe oito ou nove. Precisamos trabalhar para tirar o time desta situação o mais rápido possível. Tenho um carinho pelo Bonsucesso, gosto das pessoas que estão aqui, mas vou receber para trabalhar e ajudar a equipe sair dessa situação – disse o treinador.

Alfredo Sampaio admitiu que a pressão em cima dos jogadores e da comissão técnica será grande, mas pediu tranquilidade e coragem para seus comandados tirarem o Bonsucesso da parte de baixo da tabela.
– A pressão é grande, pois não podemos errar. Temos que trabalhar não só dentro de campo, mas também o lado psicológico dos atletas. Precisamos jogar com confiança, pois não podemos ter medo em um momento desses. Perder faz parte, mas não pode faltar coragem – ressaltou.

A estreia de Alfredo Sampaio será difícil. O Bonsucesso encara a Cabofriense, que está na terceira colocação, no Estádio Alair Corrêa às 19h30min de quinta (20). 

Fonte: Futrio.net

segunda-feira, 17 de fevereiro de 2014

SAI RICARDO BARRETO E ENTRA ALFREDO SAMPAIO COMO NOVO TREINADOR


Após perder para o Bangu por 1 a 0, na tarde deste domingo, no estádio Leônidas da Silva, e continuar próximo da zona de rebaixamento, o técnico Ricardo Barreto se reuniu com a diretoria rubro-anil na manhã desta segunda-feira e pediu o desligamento do cargo.

Único remanescente entre os treinadores das equipes consideradas de menor investimento para a temporada 2014, Barreto agradeceu a oportunidade que teve à frente do clube, onde conseguiu o acesso à Série A após uma excelente campanha na Segunda Divisão no ano passado.

"Eu só tenho a agradecer ao Bonsucesso e aos torcedores pela confiança que depositaram em mim. Todos me ajudaram muito, inclusive, o presidente e saio pela porta da frente. Espero voltar um dia e, também faço votos, para que eles sigam na primeira divisão", afirmou via assessoria de imprensa.

No Campeonato Carioca, Ricardo Barreto comandou a equipe em oito jogos obtendo cinco empates e três derrotas, deixando o clube com cinco pontos na 14ª colocação, uma posição acima da zona de rebaixamento.

QUEM CHEGA

E o departamento de futebol agiu rápido e logo na seqüência anunciou a chegada de Alfredo Sampaio como novo treinador do Bonsucesso. O novo comandante será apresentado hoje à tarde na reapresentação do elenco na Teixeira de Castro.

Alfredo Sampaio tem longa carreira como treinador e já passou por vários clubes, entre eles, o Vasco da Gama. Iniciou a trajetória no São Cristóvão, onde lapidou o então menino Ronaldo 'Fenômeno' na década de 90. Logo depois passou por Bangu, Portuguesa-RJ, America, Itaperuna, Entrerriense, o Friburguense e o Madureira. No Avaí de Florianópolis atuou em grande parte do Campeonato Brasileiro da Série B de 2007 onde acabou em 15º colocado.

Ainda no final do ano de 2007, Sampaio deixou o Leão da Ilha de Florianópolis, e em 2008, voltaria a ser treinador do Madureira, mas deixou o clube ao ser procurado para ser auxiliar de Romário, que, para acabar de cumprir o seu contrato com o Vasco da Gama, estava atuando como técnico do clube. Após a saída de Romário no comando do time do Vasco da Gama, após um desentendimento com Eurico Miranda, na época presidente do time, Alfredo Sampaio assumiu o comando do time.

Pouco tempo depois, após uma séria desavença com o jogador Edmundo, ele próprio também deixou o comando do time do Vasco. Em 2009, voltou a ser treinador do Madureira e do Cabofriense. No ano de 2010, assumiu o comando do Americano de Campos, mas ficou pouco tempo no clube, devido a questões familiares. Em 2011, assumiu o comando do Boavista, onde a levou até a final da Taça Guanabara. Meses depois assumiu o comando do Duque de Caxias para a disputa da série B, onde após resultados negativos na competição, foi demitido no dia 23 de junho.

Em novembro do mesmo ano, acertou seu retorno ao comando do Boavista saindo do clube de Saquarema após a direção demiti-lo por telefone. Ainda passou pelo Volta Redonda e o Bangu posteriormente.

Além de técnico de futebol, Alfredo Sampaio acumula a função de presidente do Sindicato dos Jogadores Profissionais de Futebol do Rio de Janeiro (SAFERJ) e de presidente da Federação dos Jogadores de Futebol do Rio de Janeiro. No cargo de presidente da SAFERJ, Alfredo Sampaio conseguiu significativas vitórias e conquistas a respeito dos direitos trabalhistas dos jogadores de futebol do Rio de Janeiro.


domingo, 16 de fevereiro de 2014

BONSUCESSO PERDE EM CASA PARA O BANGU E VAI SE COMPLICANDO

Na tarde deste domingo (16), o Bangu venceu o Bonsucesso pelo placar de 1 a 0, no Leônidas da Silva, chegando à sua segunda vitória neste Estadual. O Cesso, por sua vez, continua perto da zona de rebaixamento, com apenas cinco pontos ganhos. O gol da vitória banguense foi de Matheus Pimenta, já no segundo tempo.

Bangu coloca bola na trave

O primeiro tempo foi de predomínio banguense. O Cesso pressionou nos primeiros minutos, mas as melhores chances foram do time visitante. Matheus Pimenta perdeu um gol feito logo no começo, ao driblar toda a defesa do Cesso. A resposta veio com Somália, que perdeu um gol incrível, após escorregar na área, tendo apenas que chutar diante de Rafael.
Depois, o Bangu voltou a assustar, quando Almir e Willen desperdiçaram chances ao chutarem também pela linha de fundo. Ainda no primeiro tempo, Rodrigo Dantas soltou uma bomba na trave.

Em contragolpe, Alvirrubro mata o jogo

Na segunda etapa, novamente o Rubro-Anil começou bem, mas sucumbiu aos contra-ataques. Num deles, aos 15, Matheus Pimenta tocou para Almir, que chutou para bela defesa de Lopes. Na sobra, o próprio Pimenta invadiu a área e pegou o rebote para marcar o gol da vitória: 1 a 0.

Ao Cesso, faltou a tranquilidade para tocar a bola. O time encontrava boas opções pelos lados, em jogadas de Yago Soares e Marlon, mas o chute não acontecia. A defesa do Bangu, sempre segura, soube rechaçar o ataque do Leão da Leopoldina.

Sem um apagado Somália, o ataque do Cesso ganhou mais mobilidade com Rafael Castro, mas nem os chutes do camisa 18 deram certo: Rafael sempre esteve seguro. A melhor chance veio aos 28, quando Renan recebeu pela esquerda e chutou cruzado, para ótima defesa do goleiro de Moça Bonita.

A partida
 

Estádio Leônidas da Silva (Rio de Janeiro – RJ)
Árbitro: João Batista de Arruda
Assistentes: Jackson Lourenço Massarra dos Santos e Daniel do Espírito Santo Parro

Bonsucesso: Lopes; Iago Soares, China, Da Silva e Marlon; Alexandre Carioca, Allan e Geovane (Yago Morais 34′/2ºT); Lipe (Nil – intervalo), Somália (Rafael Castro 21′/2ºT) e Renan. Técnico: Ricardo Barreto.

Bangu: Rafael; Felipe Foca, Luis Felipe, Vágner Eugênio e Bruno Santos; Raphael Azevedo, Juninho (Gabriel Galhardo 39′/2ºT), Rodrigo Dantas (Christiano 36′/2ºT) e Almir; Willen e Matheus Pimenta. Técnico: Mário Marques.

sexta-feira, 7 de fevereiro de 2014

MARCÃO SE ANIMA COM GOLEADA DOS TITULARES EM COLETIVO DO CESSO

Nos cinco jogos que disputou no Carioca, o Bonsucesso balançou as redes adversárias em apenas duas ocasiões. Mas, ao que tudo indica, esta fase de poucos gols pode estar chegando ao fim. Pelo menos é o que pensa Marcão, atacante do Leão. E isso se deu após o coletivo de terça (05), disputado no Leônidas da Silva, que terminou com o placar de 6 a 0 para os titulares, feito este que deixou Marcão bem confiante no fim da “seca de gols”.

- Nos anima sim, e muito. Fazer um bom treino como esse nos deixa bem confiantes, até porque os jogos refletem o que fazemos nos treinamentos. Porém, mais cedo ou mais tarde, a bola vai entrar e a nossa falta de sorte vai acabar – falou o autor do primeiro gol no 6 a 0, placar que foi completado por Lipe e Nil, duas vezes cada, e Lucas 96*, contra.

Otimista em relação aos futuros gols do Leão, Marcão disse entender a cobrança dos torcedores e pediu apoio dos mesmos para que o Bonsucesso volte a marcar e, assim, se distanciar da zona de rebaixamento.

- Eu entendo o torcedor e sei que ele está no seu direito, de cobrar, porque ele quer vencer. Mas o momento é delicado e de paciência. Entretanto eu acredito que, se eles continuarem incentivando a nossa equipe, certamente as coisas vão começar a dar certo. E com isso vamos comemorar juntos as vitórias e subir na tabela – concluiu.

Quinta de campo reduzido e foco nas finalizações

No Leônidas da Silva, nesta quinta (06), o elenco do Leão realizou mais um treinamento com ênfase nas finalizações. A atividade foi a segunda nesta mesma semana voltada aos remates. O treino também foi dividido em um trabalho em campo reduzido e um trabalho técnico específico para os zagueiros. 

Fonte: Futrio.net

quinta-feira, 6 de fevereiro de 2014

APÓS DERROTA, LIPE AFIRMA: "NÃO HÁ ESPAÇO PARA LAMENTAÇÕES"

Não foi o início dos sonhos para o Bonsucesso em seu retorno à Série A do Estadual. Com quatro empates e uma derrota o Rubro-anil tem motivos para se lamentar. No entanto o atacante Lipe, autor de um dos dois gols do Cesso no Estadual, acredita que os maus resultados ficaram no passado. O jogador também garantiu foco do Leão no duelo contra o Resende e se mostrou confiante em conseguir a primeira vitória do Cesso no torneio.

- Os dois empates e a derrota no Leônidas nos prejudicaram, uma vez que queremos nos manter na primeira divisão. Mas não podemos ficar nos lamentando em função desses resultados. Agora temos que buscar a vitória em cima do Resende, respeitando-os é claro, mas com a obrigação de fazermos nosso dever de casa, já que falhamos nas oportunidades anteriores – disse.

Representante do setor ofensivo do time, o atleta destacou o momento de infelicidade do ataque Rubro-anil. Porém, otimista, relatou acreditar em uma melhora já no próximo jogo do Leão, domingo (9), contra o Resende, no Leônidas da Silva.

- Tomamos poucos gols, porém não marcamos muitos também. Criamos diversas chances claras de gols, até, algumas vezes, sendo superior na partida. Mas, mesmo nos comportando de forma adequada, não fomos felizes. No entanto tenho fé que esse momento (de poucos gols e de falta de vitórias) vai passar o quanto antes e espero que isso aconteça já diante do Resende- concluiu.

Treino físico e ausência do comandante

O elenco do Bonsucesso realizou um treino atípico nesta terça (04). O treino de finalizações e de posse de bola foi “diferente” devido a ausência do técnico Ricardo Barreto no Leônidas da Silva, em função do falecimento de seu pai. Assim a equipe FutRio deseja os sinceros sentidos pêsames ao treinador do Leão e à sua família.

Fonte: Futrio.net 

terça-feira, 4 de fevereiro de 2014

SOMÁLIA É REGULARIZADO E PODE ENFRENTAR O RESENDE DOMINGO

O Bonsucesso pode contar com o atacante Somália para a próxima rodada do Campeonato Carioca. A diretoria agiu rápido e regularizou o atleta na tarde desta terça-feira junto à Federação de Futebol do Estado do Rio de Janeiro. O nome do camisa 9 já aparece no Boletim Informativo de Registro de Atletas da entidade.

Somália que foi apresentado à torcida no último final de semana terá a missão de acabar com o péssimo aproveitamento do sistema ofensivo rubro-anil que é o segundo pior do Estadual com apenas dois gols marcados em cinco jogos disputados, melhor apenas que o Audax que ainda não balançou as redes.

Somália deve estrear no próximo jogo diante do Resende, domingo que vem, às 17 horas, no estádio Leônidas da Silva, pela sétima rodada do Cariocão já que o confronto com o Botafogo foi adiado da sexta rodada porque o Alvinegro disputará nesta quarta-feira o jogo de volta da fase de Pré-Libertadores diante do Deportivo Quito, no Maracanã.



Foto: Thiago Travassos e André Queiroz

100 ANOS DE TRADIÇÃO! CONFIRA A REVISTA HISTÓRICA DO CLUBE DE 1968

O Blog 'Acervo Rubro-Anil' que tem parceria com o Fanáticos pelo Cesso publicou nesta semana uma revista da edição de 1968 do Bonsucesso. Vale a pena conferir um pouco da história do clube centenário (o material foi cedido pelos torcedores Fernando Meirelles Filho e o popularmente conhecido Robinho). Vejam!











Fonte: Acervo Rubro-Anil

segunda-feira, 3 de fevereiro de 2014

NOVA COLUNA DO HERMAN RUBRO-ANIL: O GOSTO AMARGO DA DERROTA EM CASA


FALA, GALERA RUBRO-ANIL!!!!
Nosso Bonsucesso fez uma vergonha bem grande neste domingo, contra o Nova Iguaçu, em plena Teixeira de Castro. Além de perder para a Laranja da Baixada por humilhantes 2 x 0, ainda perdeu a invencibilidade no estadual e só não foi pra zona de rebaixamento por conta dos outros resultados da rodada. Sem contar que o rubro-anil continua sem nenhuma vitória na competição até o presente momento.
 Vamos então aos lances da partida: o Bonsucesso tenta tomar a iniciativa na partida, tentando sufocar o time do Nova Iguaçu. Mas, como já de hábito, toda bola alçada na área adversária era sempre tirada pela zaga: SEMPRE!!!! O time só tenta bolas alçadas e cruzamentos por baixo. Tentar jogadas pelo meio, nem pensar. Aos 4 minutos, falta perigosa para o Nova Iguaçu. Aos 5, o gol do time laranja: Gilcimar, numa cobrança de falta muito precisa, abre o marcador na Teixeira de Castro: Bonsucesso 0 x 1 Nova Iguaçu!!! Detalhe é que nem a zaga e nem o goleiro rubro-anis se mexeram pra tentar evitar o gol. Foram pegos de surpresa.
Estando na frente no marcador, o Nova Iguaçu mantém alto nível de organização – sobretudo no meio-campo – e não dá espaços para o rubro-anil articular suas jogadas (ou tenta-las, pelo menos) e tentar o empate. Aos 38, Geovane lança precisamente para Zambi, num excelente contraataque iguaçuano (e uma grande furada da zaga bonsucessensse), onde o atacante manda um petardo no canto direito do goleiro Gustavo e amplia o marcador na Teixeira de Castro: Bonsucesso 0 x 2 Nova Iguaçu!!!!

O desespero então começa a se fazer presente em toda a Teixeira de Castro. A irritação e a revolta são gerais. O Bonsucesso só conseguiu uma oportunidade real de gol no final do primeiro tempo, quando após cobrança de córner, o zagueiro Da Silva cabeceia forte e quase diminui o marcador, mas o goleiro do Nova Iguaçu fez grande defesa.
 No segundo tempo, o Bonsucesso vai para o tudo ou nada e aos 6 minutos quase diminui a contagem com Marlon que chuta pro gol, mas Jorge Felipe tira em cima da linha. Em um contraataque do Nova Iguaçu, Zambi quase marca o terceiro num lance em que ele parte com a bola dominada, ganha na corrida do zagueiro rubro-anil e chuta forte na saída do goleiro Gustavo. Susto geral no Leônidas da Silva!!!!

E o Bonsucesso novamente pressionou muito, mas muito nos minutos finais. E errava quase tudo que tentava. Quando alçava a bola na área iguaçuana, os zagueiros da laranja da Baixada tiravam todas de cabeça ou então cortavam pro meio ou pra lateral; quando era o Bonsucesso que tinha a chance clara de marcar, não marcava.
Acontece uma falta para o Bonsucesso. Mais uma chance do rubro-anil tentar marcar o seu: desta vez Yago Morais cobra bem a falta, mas o goleiro do Nova Iguaçu executa defesa providencial. A galera se levanta na Teixeira de Castro. Foi um dos pouquíssimos bons lances favoráveis ao Leão. No lance seguinte, novamente Yago Morais quase marca, mas Rodrigo Almeida tira a bola em cima da linha. Ô, azar, Bonsucesso!!!!! Fim de jogo na Teixeira de Castro: Bonsucesso 0 x 2 Nova Iguaçu!!!!

O Bonsucesso continua com apenas 4 pontos na tabela. Está em situação perigosa, pois o time não vence (porque não sabe vencer). Precisa urgentemente conquistar uma vitória no campeonato, pois o time está ficando sem moral pelo fato de não vencer.
Vocês já viram isso? Um time que joga no próprio estádio três partidas seguidas e não consegue marcar sequer um único mísero gol???? Isso não se veria nem no Inacreditável Futebol Clube. Como é que o time vai fazer pra vencer? Vai ser impossível ficar na primeira divisão sem vitórias. Esses jogadores, no mínimo, tem que treinar só finalizações umas três horas por dia. Sem brincadeira. Porque o que se tem visto no estádio do Bonsucesso é uma barbaridade. Não tem o que dizer disso. Esperamos, sinceramente, que no próximo jogo, domingo, contra o Resende, novamente na Teixeira de Castro, todos nós, bonsucessensses, rubro-anis, possamos ter a honra e o privilégio de presenciar a primeira vitória do Bonsucesso Futebol Clube no campeonato carioca de 2014.

Que a nova contratação do clube, o famoso atacante Somália, possa ajudar o Bonsucesso a começar a vencer, porque senão, o principal rubro-anil do Brasil varonil corre sério risco de ser rebaixado, visto que não será possível conseguir a pontuação mínima sem vitórias. Até domingo, amigos. Saudações rubro-anis!!!!

domingo, 2 de fevereiro de 2014

BONSUCESSO PERDE A PRIMEIRA E ENTRA NA ZONA DE REBAIXAMENTO

O Nova Iguaçu entrou no grupo dos quatro primeiros colocados no Carioca. O Laranja Mecânica da Baixada venceu o Bonsucesso por 2 a 0, na tarde deste domingo (02), no Estádio Leônidas da Silva.

Na primeira etapa, aos 8 minutos, em cobrança de falta, a bola passou por cima da barreira e Geovane abriu o placar em chute no canto esquerdo do goleiro do time da casa.

Aos 38, em contra-ataque, Geovane lançou Zambi. O atacante chutou forte no canto do goleiro Gustavo, para ampliar a vantagem no Nova Iguaçu na partida.

No segundo tempo, o Carrossel da Baixada cadenciou o jogo, enquanto o Bonsucesso pressionava, mas pecava no acerto de passes a nas finalizações.

Bonsucesso: Gustavo; Iago Soares, Luiz Otávio, Da Silva e Alê Carioca; Marlon, Marcão, Allan, Geovane (Rick); William e Lipe (Renan). Técnico: Ricardo Barreto.

Nova Iguaçu: Jefferson, Dellarmino, Rhayne, Jorge Felipe (Rodrigo Almeida), Felipe; Amarildo, P. Henrique (Rodrigo César), Dieguinho e Erick Foca; Zambi (Wallace) e Geovane. Técnico: Edson Souza

Fonte: Futrio.net

BARRETO AFIRMA QUE CESSO PRECISA SER MAIS AGRESSIVO NAS PARTIDAS

O Bonsucesso ainda não perdeu neste Estadual, mas também não sentiu o doce sabor da vitória: foram quatro jogos e quatro empates. Para conseguir finalmente conquistar resultados positivos e subir na tabela, o técnico Ricardo Barreto afirma que o time precisa fazer mais gols. Foram apenas dois até agora no Carioca.
- Todo mundo, inclusive da imprensa, fala que a equipe tem jogado bem, não somos só nós que temos tido essa impressão. Acho que tem faltado o gol, precisamos marcar para conseguir esses resultados importantes. Continuamos firmes no nosso objetivo de fazer o time se manter na Primeira Divisão – afirma.
O Bonsucesso enfrenta o Nova Iguaçu neste domingo (2), às 17 horas, no estádio Leônidas da Silva. 

Fonte: Futrio.net

sábado, 1 de fevereiro de 2014

GALERIA DE IMAGENS DA APRESENTAÇÃO DO ATACANTE SOMÁLIA, NO BONSUCESSO

O Bonsucesso apresentou neste sábado o seu novo reforço para a disputa do Campeonato Carioca. Trata-se do atacante Somália, de 36 anos. Confira a galeria de fotos na Teixeira de Castro.















Fotos: Thiago Travassos