quarta-feira, 8 de janeiro de 2014

EM ENTREVISTA AO FUTRIO, BARRETO COMENTA SUA MANUTENÇÃO NO CLUBE


No Dia de Reis (6), data na qual grande parte dos religiosos celebra o encontro dos reis magos com o menino Jesus, o treinador do Bonsucesso, Ricardo Barreto, tem ainda mais motivos para se alegrar. O comandante do Rubro-Anil completa um ano à frente do Leão da Leopoldina e é o único dentre os treinadores desta edição do Carioca a estar tantos dias seguidos no comando de uma equipe.

Sem conter seu contentamento com a marca, Barreto falou sobre a sequência de seu trabalho e da luta do Bonsucesso em seu retorno à elite com exclusividade ao FutRio. Confira a entrevista na íntegra!

FutRio: Já faz um ano que você é o técnico do Bonsucesso, lembra como foi a sua chegada no clube?

Ricardo Barreto: Recebi o convite do Presidente Zeca Simões em Janeiro do ano passado e não ousei recusar a proposta. Era uma oportunidade de trabalhar e mostrar minha capacidade no ano do centenário do Leão, que buscava voltar à elite do Estado.


FutRio: Ao longo deste período você conseguiu êxito em seu objetivo e conduziu o Leão à primeira divisão. Houve propostas para você sair do Cesso? O que o fez ficar no clube?

Ricardo Barreto: Sim, houve (propostas), inclusive de clubes de fora do Estado. Mas dar sequência neste belo projeto pesou positivamente e optei por ficar. Conseguimos um trabalho vitorioso até o momento e vamos fazer o máximo para manter o Cesso na primeira divisão, que é o nosso objetivo principal.

FutRio: Como você tocou no assunto, acredita que há possibilidades do Leão alcançar as semifinais ou a campanha será apenas contra o rebaixamento?

Ricardo Barreto: Ainda é cedo para falar. Começamos o trabalho há mais ou menos 15 dias e fizemos poucos jogos-treino, assim não posso dar uma avaliação final sobre a minha equipe. Mas, se dentro da competição “der uma liga”, como foi na Série B, podemos avançar para a fase final. No entanto, volto a frisar, o objetivo é manter o Bonsucesso na primeira divisão.

FutRio: Este elenco que vai ter a missão de permanecer na elite já está fechado? Ainda há carência em alguma posição?

Ricardo Barreto: A equipe está praticamente montada e temos uma base com os jogadores que foram avaliados e que vão ser anunciados oficialmente. Nosso grupo está bem definido em comum acordo com todos da comissão técnica. Mas não sou ditados e, claro, se houver algum jogador tipo o “Neymar” não posso negar em meu plantel (risos). Só por isso não digo que grupo está fechado.

FutRio: Voltando a falar sobre sua marca à frente do Cesso, como você se enxerga no mercado atual?

Ricardo Barreto: O mercado sempre foi cruel com o treinador. Temos uma cultura errônea no Brasil, e a culpa sempre cai o técnico, mas isso melhorou muito. De qualquer forma é gratificante seguir por um ano à frente do clube. Treinadores vitoriosos como o Abel Braga, que ficou alguns anos no Fluminense e o Oswaldo de Oliveira, que esteve dois anos no Botafogo e levou o time à Libertadores após 18 anos, provam que esta sequência é positiva para ambos, técnico e clube. Entretanto não me vejo de uma forma diferente dos outros treinadores.

FutRio: Por quê?

Ricardo Barreto: Porque temos profissionais gabaritados e capacitados nessa Série A, como o Roy (treinador do Madureira) e o Paulo Campos (do Resende), e isso mostra que todos têm méritos e que vão fazer o campeonato ter um nível bem forte.

FutRio: Acha que a sua sequência e o seu trabalho assim como o de outros técnicos de equipes de menor investimento do Rio de Janeiro podem chamar atenção dos grandes clubes do Estado e do país?

Ricardo Barreto: É o que eu me pergunto. A gente faz bons trabalhos e os times grandes acabam insistindo nos treinadores que tem agentes. Acredito que há muitos técnicos de qualidade que passam pelos times de menor investimento do Rio que deveriam receber oportunidades nos grandes clubes do Estado e do Brasil.

FutRio: E no Bonsucesso, há espaço para o Ricardo Barreto ficar mais um ano ou mais à frente do clube?

Ricardo Barreto: À princípio sim. O Cesso é um grande clube e o presidente sempre se esforça para atender nossos pedidos e dar o mínimo de condições necessárias para o nosso trabalho. Se conseguirmos o nosso objetivo, que é ficar na primeira divisão, pode ser que vocês me vejam mais algum tempo no Leão. Claro que se acontecer uma proposta boa para o clube e para mim, iremos conversar, mas o pensamento ainda é o mesmo: manter o Bonsucesso na Série A e seguir no Rubro-Anil. 

Fonte: Futrio.net

Nenhum comentário: