segunda-feira, 28 de abril de 2014

DESTAQUES DO CESSO PODEM JOGAR BRASILEIRO POR OUTROS CLUBES


Dois dos destaques do Bonsucesso no Campeonato Estadual deste ano, o lateral-direito Iago Soares e o atacante Renan estão de malas prontas. Os jogadores estão na mira de dois clubes do Brasileirão da Série C: Madureira e Macaé.

Segundo apurou a reportagem do FutRio, os dois clubes procuram reforçar as respectivas posições e buscam no Bonsucesso, uma das surpresas do Carioca, as opções para melhorar as opções do time.

Outro atleta do Bonsuça que está perto de disputar a Série C do Brasileirão é o atacante Fernando. O jogador, que no ano passado estava no Queimados, também está em negociações avançadas com o Macaé.

terça-feira, 22 de abril de 2014

RICARDO BARRETO ASSUME O COMANDO TÉCNICO DA PORTUGUESA NA SÉRIE B

A Portuguesa da Ilha do Governador acertou com Ricardo Barreto para comandar a Lusa na sequencia do Campeonato Estadual da Série B. Após o empate diante do Queimados, a direção resolveu por trocar de treinador e traz Barreto que conseguiu ano passado o acesso com o Bonsucesso e pretende buscar com a equipe insulana o retorno à elite.

O novo treinador será apresentado na próxima terça-feira (22), onde vai conhecer seus novos comandados. A Portuguesa soma quatro pontos na Taça Corcovado e ocupa quinta colocação no grupo B. O time volta a campo no próximo sábado, quando recebe o Paduano, pela quarta rodada do returno.


Fonte: Futrio.net

terça-feira, 15 de abril de 2014

ÁRBITROS DA SÉRIE B DO RIO RELATAM EMBOSCADA À MÃO ARMADA

Dois árbitros que trabalharam no jogo da Série B do Carioca entre Barra da Tijuca x Goytacaz, neste domingo, em Duque de Caxias, relataram que sofreram uma emboscada à mão armada após a partida. De acordo com o depoimento prestado na 62° Delegacia de Polícia de Imbariê por Mário Vinícius Baptista Valentim, juiz principal da partida, e Rodrigo Azevedo, assistente, a van da federação que transportava a dupla de volta ao Rio de Janeiro fora interceptada por um carro prata com três homens armados na Avenida 25 de Agosto, ainda na Baixada Fluminense. Um boletim de ocorrência foi aberto para o caso.
Durante a ação, segundo o depoimento, os homens ordenaram que todos descessem do carro e então perguntaram qual dos integrantes era o árbitro da partida. Neste momento, todos ficaram calados e então o motorista do veículo, identificado como Anderson, foi agredido com um tapa no rosto. Ainda de acordo com o B.O., Rodrigo, assustado, correu para tentar fugir. Em seguida, os homens ordenaram que Vinícius também corresse, mas antes o agrediram também com um tapa nas costas. Os dois se esconderam em um posto de gasolina e não sabem dizer o que aconteceu com o motorista da van. Não há informações sobre qual torcida os criminosos faziam parte. A partida terminou empatada em 2 a 2, com o Goytacaz conseguindo o empate aos 46 do segundo tempo.
A Federação de Futebol do Estado do Rio de Janeiro (Ferj) foi procurada para falar sobre o caso e também informar o estado do motorista da van, mas ninguém foi encontrado para comentar sobre o ocorrido.
Confira a íntegra do que foi relatado na súmula; abaixo a reprodução do documento
Aproximadamente uma hora após o término da partida, por volta das 18 horas, eu (árbitro Mario Vinícius Baptista Valentin) e o sr. Rodrigo Azevedo de Lacerda, que atuou como Árbitro Assistente 1 na partida, nos encaminhamos para a van da FERJ para nos retirarmos do estádio, após sairmos dos arredores do estádio, um carro mandando todos desceram da van e em seguida 3 homens armados saíram desse carro mandando todos descerem da van os homens perguntaram quem era o árbitro da partida e um deles agrediu o sr. Anderson, perguntaram novamente o mesmo homem agrediu o sr. Anderson e outro que estava do meu lado me agrediu com um tapa nas costas, em seguida o sr. Rodrigo Lacerda correu e o homem que me agrediu mandou eu correr, andei de costas por alguns metros me virei e também saí correndo, durante a corrida olhei para trás e um dos homens continuaram agredindo o sr. Anderson Gomes. Após eu e o sr. Rodrigo nos afastarmos da van nos escondemos em um posto de gasolina e ligamos para o sr. Rafael Gomes Rosa, que atuou como árbitro assistente 2 na partida e o mesmo nos buscou com seu carro particular no posto de gasolina e nos levou na Delegacia de Imbariê que é próximo a sua residência onde fizemos o Boletim de Ocorrência de Número: 062-02067/2014 que está anexado a este documento.
SEGUNDO CASO POLÊMICO NA SÉRIE B
Em fevereiro, na vitória do Goytacaz sobre o Quissamã, também na Série B do Rio, em Campos dos Goytacazes, Norte do Rio de Janeiro, um incidente envolveu árbitro e torcida no intervalo do jogo. Indignados com um lance no primeiro tempo em que o árbitro Daniel Wilson Barbosa de Castro não assinalou falta para o Goyta, os torcedores da equipe pressionaram a arbitragem na porta do vestiário do Estádio Ary de Oliveira. Segundo o torcedor Luiz Marcelo, Daniel teria apontado uma arma para cessar as reclamações. 
Na época, Paulo Meireles, delegado da partida, foi ouvido sobre o caso. Ele contou que o que aconteceu foi um grande "mal entendido" e que o torcedor certamente "confundiu a bandeirinha com uma arma". Nenhuma investigação foi aberta para o caso e ninguém foi punido.

Fonte: Globoesporte.com

quinta-feira, 10 de abril de 2014

EX-PRESIDENTE DO FLU LEMBRA DERROTA DA MÁQUINA PARA O CESSO

O adversário do Fluminense nesta quinta-feira, pela segunda rodada do Campeonato Carioca, não traz boas recordações para a Máquina Tricolor, como ficou conhecido um dos melhores times da história do clube das Laranjeiras. Pela primeira rodada da mesma competição, em 1976, o Bonsucesso derrotou o adversário por 3 a 0 no Maracanã. O presidente do Flu na época, Francisco Horta, revela o que sentiu diante do resultado adverso.
- Não jogou bem, não atuou bem, mereceu perder. Eu me lembro que o Bonsucesso tinha um time sem grandes valores individuais, mas coletivamente e taticamente estruturado. Fiquei arriado. Levei um susto. Era a estreia da Máquina Tricolor, da verdadeira Máquina Tricolor, porque para mim a Máquina Tricolor mesmo é o time de 1976 - contou Horta.
No entanto, durante amistoso preparatório para o Carioca daquele ano, em Salvador, contra o Bahia, o Flu retornou ao Rio de Janeiro com um empate por 1 a 1 e duas baixas. Exatamente os dois principais jogadores: Carlos Alberto Torres e Rivelino. Além disso, seis jogadores tricolores entraram em campo na estreia da competição estadual gripados. Mas esses fatores não tiraram o brilho do feito para quem participou. O ex-zagueiro do Bonsucesso Rildo lembra com alegria da vitória marcante.
- Eles ficaram bem arrasados, porque não contavam com aquilo. Qual time grande vai contar que levaria de três de um pequeno? - indaga.
Outra curiosidade daquela inesquecível partida é que Paulo César Caju, que também era um dos craques do Fluminense, perdeu um pênalti quando o placar ainda apontava para o 0 a 0. Na sequência, ainda foi expulso. Rildo revela que Caju teria provocado os jogadores do Bonsucesso antes de ser retirado de campo pelo árbitro.
- Ele pegava a grama e falava que a gente tinha que comer aquilo. Ficávamos para morrer. Ele também falava que a gente não ia jogar: "Aqui não". Aquilo nos dava motivação - revelou.
Embora tenha sido surpreendido pelo time do subúrbio carioca, a campanha tricolor seguiu muito bem e culminou com o bicampeonato estadual. O presidente Francisco Horta promoveu vários troca-trocas com os rivais cariocas antes de começar a temporada. O time base de 1976 era: Renato; Carlos Alberto Torres, Edinho, Miguel e Rodrigues Neto; Carlos Alberto Pintinho, Rivelino e Paulo César Caju; Gil, Doval e Dirceu. Todos treinados por Mário Travaglini.
- Futebol é tenso, é vencer ou vencer. Futebol é vitória, não é derrota. Primeiro jogo, tínhamos acabado de fazer um troca-troca. Desconfiança na torcida. "Compra que a torcida garante", tinha uma faixa que dizia. "Vencer ou vencer", tinha a outra. Será que o nosso presidente trocou mal? Será que o time não é tão bom quanto imaginávamos? Depois perceberam que o time era bom. O time tinha dez jogadores da seleção brasileira e o Doval, da seleção argentina - relembrou Horta.
Fonte: Sportv

segunda-feira, 7 de abril de 2014

NILL RESCINDE COM O BONSUCESSO E VAI ATUAR PELO REAL NORDESTE

O meia Nil rescindiu nesta semana o seu contrato com o Bonsucesso. O destino do jogador, eleito o melhor da posição no Campeonato Estadual da Série C de 2013, pelo Miguel Couto, é o futebol capixaba. Ele defenderá o Real Noroeste (ES).

Como a competição local está nas últimas rodadas, Nil assinou por apenas três meses e, depois, estará livre para defender outro clube. O jogador, que estava mantendo a forma no Artsul, marcou o primeiro gol do Bonsuça no novo Maracanã.


Sem conquistar a classificação para a Série D, o Bonsucesso só volta a campo em setembro, na Copa Rio.


Fonte: Futrio.net

sábado, 5 de abril de 2014

GOLEIRO RODRIGO DEIXA O BONSUCESSO APÓS O ESTADUAL RUMO AO TUPI-MG


O goleiro Rodrigo Viana não defende mais o Bonsucesso. Após o término de seu contrato, que ia até o fim do Campeonato Carioca, o jogador deixou o clube rumo ao Tupi (MG), por onde disputou as duas últimas edições do Brasileirão.

Rodrigo foi um dos principais destaques do início da campanha do Cesso no Estadual. No entanto, se machucou contra o Fluminense, e deu lugar a Gustavo Pires e, posteriormente, Lopes. Depois, voltou ao time após sua recuperação.


No Tupi (MG), Rodrigo terá como adversário três times cariocas: Duque de Caxias, Madureira e Macaé. Afinal, ele irá disputar o Campeonato Brasileiro da Série C pelo Galo Carijó, de onde o técnico Paulo Campos pediu demissão.


Fonte: Futrio.net

sexta-feira, 28 de março de 2014

APÓS LIVRAR O CLUBE DO DESCENSO, ALFREDO SAMPAIO DEIXA O CESSO

Com a missão cumprida após evitar o rebaixamento para a Série B do Campeonato Estadual, o técnico Alfredo Sampaio deixou nesta egunda-feira (24) o comando do Bonsucesso. Com contrato apenas até o fim do Carioca, ele está novamente livre para se dedicar a presidência do Sindicato dos Atletas e para outras propostas na sequência da temporada.

– Meu contrato era até o fim do Carioca e chegou ao fim. Eu pretendo dirigir clubes que tem um calendário o ano inteiro. Não é legal ser treinador apenas de Estadual e a Copa Rio, com todo respeito a competição, não é um campeonato que me atraia. Já recebi algumas sondagens, mas nada certo ainda. Vamos esperar e ver o que acontece – revelou.


Alfredo Sampaio comandou o Bonsucesso em sete oportunidades, vencendo três jogos, empatando um e perdendo três, chegando assim a 15 pontos e mantendo o clube na Série A pelo segundo ano seguido pela primeira vez desde a mudança para 16 clubes, em 2008.

Fonte: Futrio.net

APÓS PASSAGEM PELO BONSUCESSO, MARLON VOLTA AO BOAVISTA

Assim que chegou ao Bonsucesso, na metade do Campeonato Carioca, uma das primeiras medidas que o treinador Alfredo Sampaio promoveu na equipe, que na época brigava para escapar do rebaixamento, foi a entrada do atacante Marlon, que até então estava disputando a Série B do Rio de Janeiro pela Portuguesa e foi chamado às pressas para encorpar o setor ofensivo rubroanil. O jogador não demorou a se destacar e foi um dos principais nomes do time na fuga da degola do estadual. Vinculado ao Boavista, ele será reintegrado ao elenco do Verdão de Saquarema para a disputa da Copa do Brasil.
- O Marlon fez um grande Campeonato Carioca pelo Bonsucesso e está de volta ao Boavista. Vai disputar a Copa do Brasil conosco - disse o diretor de futebol do clube, Thiago Alves.
Fora das semifinais do Campeonato Carioca, a diretoria do Boavista começa a pensar no elenco que irá disputar a Copa do Brasil. Dos jogadores que conquistaram a Taça Rio, cinco atletas não terão o contrato renovado com o clube para o restante da temporada. Vinculados ao Verdão de Saquarema até o dia 15 de abril, Gonçalves, Diogo, Rômulo, Kauê e Cascata estão livres para negociar com outros times.
O Boavista estreia na Copa do Brasil no dia 2 de abril, contra o América-RN, no Eucy Resende, em Saquarema.

quarta-feira, 26 de março de 2014

COLUNA DO GEORGE JOAQUIM: "EM CADA ESQUINA QUEM DOMINA É CESSO..."


O projeto do Centenário do Bonsucesso de chegar e permanecer na divisão de elite do futebol carioca foi concluído. Em 2013, ano do Centenário, levamos a Taça Santos Dumont para a Teixeira de Castro e ascendemos à primeira divisão. Aos 100 anos, o Bonsucesso “deu uma virada” na desconfiança e superou no campo as suas dificuldades e garantiu com uma rodada de antecedência a sua permanência na Série A.
A torcida comemorou os resultados da 14ª rodada que beneficiaram o nosso querido clube. Mas, devemos refletir sobre a classificação do Cesso no campeonato. O Rubro-Anil da Leopoldina poderia estar em melhor classificação se soubesse vencer os seis jogos em casa (de seis, venceu apenas um). As atuações irregularidades de nossos atletas e a má sorte de Ricardo Barreto transformaram o Cesso na opção preferida de apostas sobre clubes que desceriam à “segundona”. 
Depois de pousar na zona de rebaixamento ao lado do Duque de Caxias, a reação Rubro-Anil aconteceu após demissão de Barreto e a contratação de Alfredo Sampaio, que já deixou nosso clube. Treinador experiente de 1ª divisão, Sampaio foi a última munição de Zeca Simões para uma tentativa de derrubar o inimigo: o “fantasma do rebaixamento”. Fantasma que o próprio Zeca conheceu em 2012.
Novo treinador, nova armação da equipe e vitórias! O gosto sabor que o torcedor esperava desde a 3ª rodada do estadual ocorreu contra o Macaé, e de goleada na Teixeira de Castro. O carioca presenciou a ira do Leão ao acordar com fome de gols. 
A virada espetacular, heroica, histórica, sensacional, fantástica e divina sobre o Audax deixou o Cesso fora da zona da morte para não voltar mais. O empate em São Januário contra o Vasco e a vitória no Clássico Suburbano contra o Madureira na Conselheiro Galvão, fechou a conta a nosso favor. 
O Campeonato de 2015 começa já! O Presidente Zeca Simões tem um bom tempo pela frente para planejar um Bonsucesso mais forte e capaz de almejar os degraus mais altos na competição de elite do futebol carioca.
A Copa Rio é o próximo desafio profissional com previsão de iniciar em agosto. Então, férias para as emoções, que o coração Rubro-Anil merece.


Abração a todos,
George Joaquim

terça-feira, 25 de março de 2014

EX-GOLEIRO DO CESSO SUPERA TUMOR ANTES DE VOLTAR AOS GRAMADOS

Todos os jogadores do Paulista de Jundiaí encerram o campeonato estadual tristes com o rebaixamento para a Série A2, exceto um: o goleiro Jayme. Obviamente, ele não ficou satisfeito com os resultados dentro de campo, mas tem um motivo maior para comemorar. 
Após ficar na reserva nas cinco primeiras rodadas do torneio, Jayme descobriu que tinha um tumor maligno e se afastou da profissão para tratar a doença. Depois de uma cirurgia bem sucedida, o atleta comemora a cura e, ao lado da esposa e do filho de três anos, revela o medo que sentiu principalmente pelos casos de câncer na família.
– Todos sabem que essa doença é difícil e eu perdi minha irmã por causa de um câncer. Meu pai também teve e se curou, mas eu, minha esposa e meu filho ficamos muito assustados. Nunca fiz muitos exames preventivos, foi Deus que me mandou procurar o médico mesmo. Nesse período, nem lembrei de trabalho, jogos, pontos. Agradeço demais ao Paulista, que me deu todo o apoio – revela o goleiro, emocionado.
Médico do Paulista e responsável pela cirurgia, Mauro Brescancini diz que o atleta levou um susto natural com a notícia, mas foi muito corajoso durante o processo de tratamento.
– Ele se assustou, como ocorre com qualquer pessoa que recebe essa notícia. Mas o Jayme tem a cabeça muito boa e foi muito forte. Não houve metástase, que é o "espalhamento" do câncer para outras regiões, e agora é só acompanhar. Ele poderá tocar a vida normalmente – comemora o médico.
O contrato de Jayme com o Paulista termina no mês que vem e ele ainda não sabe se vai continuar no clube. Sua única certeza agora é a necessidade de aproveitar a vida.
– Estou feliz por ter saúde, por estar vivo. Quero estar ao lado da minha família, jogar futebol e, se possível, não receber uma notícia dessas novamente – desabafa o atleta.

domingo, 23 de março de 2014

DUQUE DE CAXIAS E AUDAX RETORNAM À SÉRIE B DO CAMPEONATO CARIOCA


O futebol carioca já conhece os dois rebaixados da edição de 2014 do campeonato estadual. A queda de Duque de Caxias e Audax Rio foi confirmada após as derrotas par Vasco e Macaé, respectivamente, na 15ª rodada da Taça Guanabara. O outro clube que brigava para não cair, o Resende, fez sua parte e venceu o Madureira fora de casa.

O Duque precisava de uma vitória e torcer para uma derrota do dois adversários diretos na briga para não cair, para forçar uma partida extra, em caso de empate em número de pontos com um dos rivais, ou até um trangular final, caso todos terminassem empatados na tabela. Mas o Tricolor da Baixada não foi páreo para o Vasco em São Januário e foi goleado por 4 a 0. Agora o clube volta à segunda divisão depois de oito temporadas seguidas na elite do futebol carioca.

O Audax é rebaixado após disputar por duas vezes a primeira divisão. O time de São João de Meriti precisava vencer e torcer por uma derrota do Resende para se garantir diretamente na elite do Campeonato Carioca em 2015. A falta de gols foi a pricipal caracteríscita da campanha, pois em 15 partidas disputdas, marcou apenas 14 gols, com uma méda de menos de um gol por partida.

Duque de Caxias e Audax Rio vão disputar a segunda divisão do Campeonato Carioca em 2015.

CESSO PERDE PARA O FRIBURGUENSE NA DESPEDIDA DO ESTADUAL

O Friburguense venceu o Bonsucesso por 2 a 1, em Nova Friburgo, pela última rodada da Taça Guanabara. O que marcou a partida, além do resultado, foi a aflição de jogadores, torcedores e comissão ténica aguardando o término da partida do Boavista para saber se o Tricolor da Serra seria ou não campeão da Taça Rio. O gol do time de Saquarema no último minuto frustrou os torcedores do Frizão.

No primeiro tempo, o Bonsucesso começou com mais posse de bola, trocando passes no campo de ataque, sendo superior ao adversário. Mas o Friburguense soube reagir e mm jogada rápida, Lucas recebeu excelente lançamento e cruzou para Ziquinha marcar. Logo em seguida, o atacante quase marcou novamente, após receber ótimo passe de Sérgio Gomes. O time de Nova Friburgo começou a crescer depois de abrir o placar, passando a envolver a equipe visitante, que sentiu o gol sofrido. Novamente, Lucas faz bela jogada individual e deixou Luiz Felippe na cara do gol para ampliar o marcador antes do intervalo.

Na segunda etapa, o Bonsucesso adiantou a marcação e o Friburguense começou a perder o meio-campo. Os visitantes começaram a gostar do jogo e diminuiram com Rafael de cabeça. O Tricolor da Serra acordou e quase marcou após cabeçada do zaguerio Cadão no final da partida.A equipe de Nova Friburgo, depois de muito sufoco, conseguiu segurar o resultado. 

Após o apito final, todos permaneceram no estádio, pois a partida de Saquarema começou com 11 minutos de atraso em relação ao jogo da Serra. Alguns jogadores e torcedores já comemoravam o título da Taça Rio quando veio a notícia do gol do Boavista. Membros da comissão técnica tricolor ficaram indignados com o resultado e também com o atraso da outra partida que envolvia o título paralelo. O Friburguense terminou o Campeonato Carioca na sexta colocação e foi o vice-campeão da Taça Rio.

FICHA TÉCNICA
Estádio: Eduardo Guinle
Árbitro: Daniel Victor Silva
Assistentes: Patricia da Silca e Eliziane Durães

Friburguense: Luiz Felipe, Sergio Gomes, Cadão, Bruno e
Flavinho; Bidu, Lucas, Marcelo e Romulo (Jefferson); Ziquinha
(Toshyia) e Luis Felippe. Técnico Gerson Andreotti.

Bonsucesso:  Rodrigo Viana; Iago Soares (Michel), China, Da
Silva e Marquinhos, Matheus; Victor Hugo; Alexandre Carioca e Geovane
(Romulo); Marlon Silva, Fernando (Rafael) e Nill. Técnico Alfredo Sampaio.

quinta-feira, 20 de março de 2014

BOM SENSO FC PROPÕE SÉRIE E COM 430 TIMES NO CAMPEONATO BRASILEIRO

Depois de alguns meses de discussões, o movimento Bom Senso FC concluiu a proposta do novo calendário para o futebol brasileiro que irá apresentar a público e à CBF (Confederação Brasileira de Futebol) na próxima semana. O movimento, que já conta com mais de mil jogadores de todas as divisões do futebol nacional, sugere a criação de uma Série E para o Campeonato Brasileiro e propõe mudanças também no formato dos campeonatos estaduais.

Segundo apurou a BBC Brasil, o calendário idealizado pelo Bom Senso tem o Campeonato Brasileiro começando em fevereiro, logo após uma pré-temporada de um mês, e se estendendo ao longo do ano todo, até o início de dezembro. A novidade, além das datas da competição - que atualmente é disputada de maio a dezembro - seria a quinta divisão, criada para alocar 430 clubes.

A proposta também inclui novidades para os campeonatos estaduais, que hoje começam em janeiro (o que inviabiliza a pré-temporada integral) e duram quatro meses em alguns Estados, como São Paulo e Rio de Janeiro. No novo calendário pensado pelo Bom Senso, as competições regionais teriam um formato de Copa do Mundo, com sete ou oito datas, e aconteceriam durante o mês de julho.

Desta forma, o movimento dos jogadores acredita que conseguirá solucionar o principal problema do calendário do futebol brasileiro: o excesso de jogos para as equipes grandes e a escassez deles para os clubes menores, sem tanta expressão nacional.

O Bom Senso chegou a falar sobre o calendário idealizado pelos jogadores na reunião que teve com o Ministro do Esporte, Aldo Rebelo, nesta segunda-feira, em São Paulo. O ministro recebeu bem a ideia, que agora será apresentada oficialmente na próxima segunda, em um seminário a ser realizado na sede da faculdade Uninove, na Barra Funda, também em São Paulo. O movimento convocou a CBF para o evento, mas não obteve confirmação de presença da entidade por enquanto.
 
Detalhes da proposta

Desde que surgiu, em setembro do ano passado, o Bom Senso começou a discutir possíveis soluções para reformular a temporada do futebol brasileiro, que respeitassem suas principais reivindicações: o período de férias e de pré-temporada (um mês para cada), o mínimo de 30 e o máximo de 70 jogos disputados por ano, a distribuição melhor do calendário ao longo do ano e pausas nas datas oficiais da Fifa para amistosos de seleção.

Com a criação da Série E, a quinta divisão do Campeonato Brasileiro, o movimento propõe "preencher" o calendário de mais 430 clubes que atualmente não têm compromissos ao longo do ano todo, quando os estaduais se encerram. Assim como as Séries A, B, C e D, a ideia é que a Série E comece a ser disputada em fevereiro e termine em dezembro.

Os detalhes da nova divisão proposta pelo movimento serão apresentados no seminário da próxima segunda-feira. Mas o Bom Senso garante ter encontrado um formato viável economicamente para sustentar a Série E e "empregar" os atletas dos 430 clubes que participarão dela o ano inteiro. As Séries C e D, que existem hoje com 20 e 40 clubes, respectivamente, são subsidiadas pela CBF.

Para manter os tradicionais estaduais no calendário, o Bom Senso sugerirá um formato de Copa para as competições em cada estado. Os times - incluindo os clubes grandes, que seriam mantidos na disputa - seriam divididos em grupos em uma primeira fase, os dois melhores de cada chave avançariam às oitavas e o mata-mata seguiria até a decisão. Sempre em jogos únicos.

Dessa forma, os estaduais teriam 7 ou 8 datas, dependendo de cada região, e ocorreriam somente no meio do ano, entre junho e julho, quando também ocorrem quase que anualmente as competições de seleções, que acabam desfalcando os clubes por um período - Copa América, Olimpíada, Copa das Confederações, etc.
 
Próximos passos

Com a proposta elaborada e documentada, o Bom Senso irá seguir tentando um diálogo com a CBF para conseguir implantar as mudanças pretendidas no calendário já na temporada de 2015.

O movimento chegou a ser recebido pela entidade máxima do futebol nacional no ano passado e conseguiu alguns avanços - como o aumento da pré-temporada para o ano que vem -, mas ainda não obteve mudanças mais efetivas nas principais reivindicações: o calendário e o fair-play financeiro.

A proposta do fair-play inclui a criação de um sistema de controle de finanças para impedir que os clubes gastem mais do que podem em salários e compras de jogadores, por exemplo. A ideia funciona parcialmente na Europa, onde foi implementada pela Uefa (Federação Europeia de Futebol).

O Bom Senso também sofreu um "desfalque" do ano passado para cá com a saída do seu antigo líder e porta-voz, o zagueiro Paulo André, que saiu do Corinthians recentemente para jogar no Shanghai Snhenhua, da China.

Ainda assim, o movimento tem se estruturado cada vez mais e agora busca o apoio da opinião pública para pressionar a CBF por mudanças. Por meio do site bomsensofc.org, os jogadores tentam reunir assinaturas em uma petição que pede à entidade que atenda às demandas do movimento. Até agora, o abaixo-assinado já tem mais de 46 mil nomes.

Fonte: UOL

quarta-feira, 19 de março de 2014

FEDERAÇÃO IRÁ DEBATER CARIOCA COM 12 CLUBES NA 2ª FASE EM 2016

Em meio a tantas cobranças, o presidente da Federação de Futebol do Estado do Rio de Janeiro, Rubens Lopes, anunciou na tarde desta segunda-feira a criação de fórum para discutir nos próximos meses a viabilidade de o Campeonato Carioca ter 12 clubes numa segunda fase, na qual entrariam os quatro grandes, a partir de 2016. A ideia é reduzir o número de datas para ampliar o período de pré-temporada e também qualificar mais a competição.

Além da quantidade de clubes, o fórum vai abordar diversos outros aspectos que envolvem o campeonato, como os estádios, preços, segurança, sustentabilidade... De acordo com Rubens Lopes, vão participar da discussão todos os segmentos, como, por exemplo, os clubes, a imprensa, polícia e bombeiros. 

O comandante da Ferj evitou garantir mudanças e optou pela cautela no discurso.

- Não disse que vou diminuir (o número de clubes). A segunda fase teria 12. É uma sugestão que vai ser levada a este fórum de debates. Se isso for um caminho, vamos ver a forma que será implementado. Muito se fala, muito se acha, mas a Federação já vinha amadurecendo uma ideia, um projeto e vamos colocar em prática com esse fórum sobre o nosso futebol - disse.

Desde 2010, o torneio conta com 16 equipes, sendo 12 consideradas pequenas no cenário estadual. A justificativa é oferecer a possibilidade de estes clubes obterem mais recursos com cotas de TV e patrocinadores por causa da visibiilidade. Com o novo projeto, estes 12 lutariam por oito vagas numa primeira fase, entre dezembro e janeiro.

Uma das principais características do Carioca deste ano é a baixa frequência de público e a utilização de equipes reservas, nos casos de Flamengo e Botafogo, que estão na Libertadores. Este será um ponto central das discussões.   

- Queremos estabelecer o diagnóstico para a baixa frequência do torcedor nos estádios. O produto continua sendo atrativo, porque uma pesquisa demonstrou que a audiência do Carioca é de 42%, do Paulista de 43%, e da Libertadores 44%. O torcedor migrou do campo para a televisão - disse Rubens Lopes.

Rubinho informou que a entidade fechou uma parceria com uma empresa de gestão de negócios e marketing esportivo, a Trevisan, para viabilizar esta série de debater e auxiliar o trabalho de sua equipe. No próximos 30 dias será feita a formatação e logística do forum. A divulgação dos detalhes será feita até o fim de maio. Os encontros vão acontecer depois da Copa do Mundo até o fim de outubro.

- A Federação não é impermeável a mudanças. Acredito que agora teremos subsídios para fazer isso com coerência. Vamos prospectar ações e critérios que possam ser implementados nas temporadas 2015 e 2016. Apesar da bienalidade, alguns aspectos podem ser ajustados, como preços, horários, local dos jogos e uma série de outras coisas que independem de posição legal - disse Rubens Lopes.

O evento contou com a presença do presidente do Botafogo, Mauricio Assumpção, e do vice geral do Vasco, Antônio Peralta. De acordo com a Ferj, não houve um convite formal para os clubes. Flamengo e Fluminense, além do Cruz-Maltino, divulgaram um documento em que repudiavam a reeleição de Rubens Lopes, consumada na semana passada em pleito com chapa única.

- Acho fundamental um espaço para esta discussão. O melhoria do futebol carioca interessa a todos nós - afirmou Maurício Assumpção.

LIVRE DO REBAIXAMENTO, BONSUCESSO QUEBRA JEJUM DE 31 ANOS

Antes do início do Campeonato Estadual, o presidente do Bonsucesso, Zeca Simões, admitiu que daria volta olímpica com um modesto 14º lugar, classificação que deixaria o time fora da zona de rebaixamento. Era o reconhecimento da dificuldade de um clube que retornou para a Segunda Divisão logo no ano seguinte das últimas três vezes que conquistou o acesso à Série A. Com os resultados da última rodada, o rubro-anil assegurou permanência e disputará a competição de forma consecutiva em 2015, algo que não acontecia há 31 anos, desde 1983.

Presidente do Bonsucesso nas três últimas temporadas em que o clube esteve na Série A (1993, 2012 e 2014), Zeca Simões atribui o rebaixamento do ano passado ao fato de o Estádio Leônidas da Silva não ter sido liberado. Na atual temporada, ele destaca o trabalho do técnico Alfredo Sampaio, que chegou ao clube na oitava rodada, quando o Leão da Leopoldina ainda não tinha vencido.

- A chegada do Alfredo deu uma sacudida no time, que não vinha bem. Nosso time é competitivo e merecia uma posição melhor, mas é o primeiro ano na elite, e as dificuldades são enormes. Quem vem da Segundona chega com cotas pequenas e precisa buscar recursos, o que não é fácil. Em 2013 foi mais difícil porque fizemos 15 jogos fora de casa, já que não pudemos atuar na Rua Teixeira de Castro. Esse ano foi melhor e, em 2015, tudo deve ser mais fácil - espera.

Como jogador, Alfredo Sampaio atuou pelo Bonsucesso nas temporadas de 1978/79, como zagueiro e, apesar da relação afetiva que mantém com o rubro-anil, ainda não sabe explicar o fato de ter aceitado o convite para tentar livrar o clube do rebaixamento.

- Eu sabia que a situação era muito delicada, e tinha recusado propostas de outros clubes, mas acabei aceitando. Apesar da posição ruim na tabela, o ambiente interno não era pesado e a diretoria trouxe mais jogadores e topou as mudanças propostas. Trabalhamos a autoestima dos jogadores e a resposta do elenco foi imediata. Felizmente, deu certo - comemora.

Atualmente, o Bonsucesso ocupa a 13ª posição, e ainda pode terminar o campeonato em uma classificação melhor. Para isto, precisa vencer o Friburguense neste domingo (23), no Eduardo Guinle. A partida acontece às 16h.

Fonte: Blog Deu Zebra - Stefano Salles
Foto: Ferj

terça-feira, 18 de março de 2014

BOAVISTA, FRIBURGUENSE E BANGU BRIGAM PELA TAÇA RIO

Destinada ao clube de menor expressão que mais pontuar no Carioca, excluindo os confrontos contra os grandes, a Taça Rio deste ano, diferentemente da Taça Guanabara, conquistada pelo Flamengo com antecedência, só conhecerá o seu novo dono após o fim da última rodada. Das 12 equipes que disputavam o caneco de campeão do torneio paralelo, somente Boavista, Friburguense e Bangu entrarão em campo no próximo domingo com chances de ficar com o título. Tanto a Cabofriense, quanto o Nova Iguaçu, que aparecem na segunda e na terceira colocação, respectivamente, estão fora da disputa porque terão pela frente partidas contra uma das quatro forças do Rio de Janeiro.

Desta forma, na ponta de tabela de classificação, o Boavista vai medir forças com o Bangu, no Estádio Eucy Resende. O confronto entre as duas equipes será determinante para a consagração do novo campeão. Já o Friburguense, que vai entrar em campo de olho na partida de Saquarema, vai enfrentar o Bonsucesso, no Eduardo Guinle. Todas as partidas vão ocorrer simultaneamente no próximo domingo, às 16h.

Veja abaixo o que cada clube precisa para ficar com o título

Boavista

Na liderança da Taça Rio com 18 pontos, o Boavista é o único clube que depende das próprias forças para se sagrar campeão, já que uma vitória, consequentemente, garante o time na primeira posição da tabela de classificação. No entanto, o Verdão de Bacaxá, que vai medir forças com o Bangu, no Eucy Resende, pode ficar com o caneco até mesmo se empatar ou perder por um gol de diferença, caso o Friburguense não vença o Bonsucesso, no Eduardo Guinle. Vale lembrar que a equipe liderada pelo treinador Américo Faria tem 100% de aproveitamento jogando dentro de Saquarema.

Friburguense

Mesmo dependendo de um tropeço do Boavista, o Friburguense não precisa fazer tantas contas para se tornar o novo detentor do troféu da Taça Rio. Na verdade, a matemática é simples neste caso. Na quarta colocação com 16 pontos ganhos contra os pequenos, o Tricolor da Serra precisa vencer o Bonsucesso e torcer para que o Verdão de Saquarema, que tem um saldo inferior de gols, não some os três pontos diante do Alvirrubro. Com essa combinação de resultados, o Frizão chega aos 19 pontos e supera todos os adversários nos critérios de desempate.

Bangu

Na sexta colocação com 15 pontos, o Bangu terá que entrar em campo contra o Boavista com a calculadora embaixo do braço para ficar com o título da Taça Rio, além de ter que secar o Friburguense. Tudo porque o Alvirrubro precisa vencer o Verdão de Saquarema por dois ou mais gols de diferença e ainda torcer para que o Tricolor da Serra não conquiste os três pontos. Com este cenário, a equipe da Zona Oeste do Rio de Janeiro assume a liderança da tabela de classificação, graças ao saldo de gols, e garante o título da competição.

Fonte: Globoesporte.com

REVEJA A EMOÇÃO DOS GOLS NA VITÓRIA SOBRE O MADUREIRA FORA DE CASA

O Bonsucesso venceu na última rodada a equipe do Madureira por 2 a 1, em Conselheiro Galvão, e se livrou do risco de rebaixamento. Com o resultado a equipe chegou aos 15 pontos, na 13ª colocação e se mantém na elite do futebol carioca em 2015. Não viu os gols? Então aproveite e vibre aqui no Blog Fanáticos pelo Cesso com a emoção rubro-anil. 

ALFREDO SAMPAIO DIVIDE OS MÉRITOS DA FUGA DO REBAIXAMENTO COM O GRUPO

O Bonsucesso está garantido na Série A do Campeonato Carioca de 2015. No último sábado (15), o Rubro-Anil derrotou o Madureira por 2 a 1 no Estádio Aniceto Moscoso e foi beneficiado com a derrota do Duque de Caxias para o Macaé neste domingo (16) e por isso, se livrou do fantasma do rebaixamento. O técnico Alfredo Sampaio vibrou com o objetivo conquistado e se mostrou aliviado com o fim do risco de descenso. 

– Estamos aliviados. Fizemos o que era necessário para nos livrarmos do rebaixamento ao vencermos o Madureira. Acho que não fomos tão bem na partia e por incrível que pareça, o gol que fizemos logo no primeiro minuto nos prejudicou um pouco, pois nos assustamos e recuamos, mas nos entregamos os 90 minutos e os atletas superaram todas as dificuldades – comemorou o comandante do Cesso. 

As três vitorias do Bonsucesso na competição, foram após Alfredo Sampaio assumir a equipe. Além dos triunfos, o Cesso ainda perdeu duas partidas e empatou outra com o treinador no comando. Apesar do crescimento após sua chegada ao clube, o técnico disse que os méritos não são seus e sim dos atletas. 

– Os méritos são de todos no grupo. Cheguei ao clube com o meu método de trabalho e independentemente de onde eu estou, sempre procuro jogar para frente e buscar a vitória. Passei a minha filosofia aos jogadores, mas vale destacar que foram eles que se comportaram bem taticamente dentro de campo. Contribui para o Bonsucesso fugi do rebaixamento, mas todos que conseguiram dar a volta por cima – afirmou. 

Na última rodada, o Bonsucesso encara o Friburguense no Estádio Eduardo Guinle às 16h do próximo domingo (23). 

FEDERAÇÃO DEFINE HORÁRIOS E LOCAIS DOS JOGOS DA ÚLTIMA RODADA

A Federação de Futebol do Estado do Rio de Janeiro (Ferj) definiu nesta segunda-feira as datas, horários e locais da última rodada da Taça Guanabara. Como o Campeonato Carioca deste ano adotou o primeiro turno por pontos corridos, a fórmula faz com que os jogos da rodada final sejam disputados no mesmo dia e horário. A exceção será Botafogo x Nova Iguaçu. Com os dois clubes sem chances de classificação ou risco de rebaixamento, a partida foi antecipada para sábado e será realizada às 15h45m (de Brasília), em Moça Bonita.

Desta forma, os demais confrontos ocorrem no domingo, todos às 16h. O Flamengo recebe a Cabofriense, que ainda disputa a última vaga na semifinal, no Maracanã. Será neste jogo que a Taça Guanabara será entregue ao Rubro-Negro, campeão do primeiro turno com duas rodadas de antecedência. Já classificado, o Fluminense entra em campo contara o Volta Redonda no Moacyrzão, em Macaé, para tentar sacramentar a segunda posição e a vantagem de dois empates na semifinal. E o Vasco, que pode ultrapassar o Tricolor na tabela, pega o Duque de Caxias em São Januário. Ainda com chances de avançar, o Boavista duela com o Bangu em Bacaxá, onde tem 100% de aproveitamento no estadual.

Confira como ficou a última rodada:
Sábado
15h45m - Botafogo x Nova Iguaçu (Moça Bonita)

Domingo
16h - Madureira x Resende (Conselheiro Galvão)
16h - Flamengo x Cabofriense (Maracanã)
16h - Vasco x Duque de caxias (São Januário)
16h - Fluminense x Volta Redonda (Moacyrzão)
16h - Friburguense x Bonsucesso (Eduardo Guinle)
16h - Audax x Macaé (Moça Bonita)
16h - Boavista x Bangu (Bacaxá)

Foto: Lancenet.com.br

MACAÉ, MADURA E BONSUCESSO PERMANECEM NA SÉRIE A DO CARIOCA

Mais três times tiveram a certeza de que disputarão a Série A do Campeonato Estadual em 2015. Com a vitória por 4 a 1 do Macaé sobre o Duque de Caxias neste domingo (16), além do próprio Alvianil Praiano, Madureira e Bonsucesso, que somam 15 pontos cada na classificação, estão garantidos na elite do futebol do Rio de Janeiro por mais um ano.

No sábado (15), o Bonsuça derrotou o Madureira por 2 a 1 em pleno Aniceto Moscoso. O Tricolor Suburbano, que até então estava tranquilo, passaria a correr riscos de rebaixamento caso o Duque vencesse o jogo. A vitória do Macaé acabou beneficiando as três equipes, que já podem pensar mais tranquilas para o segundo semestre.

Tanto Madureira quanto Macaé não têm mais aspirações na competição, mas vão decidir os rebaixados na última rodada. O Tricolor Suburbano encara o Resende (12 pontos) enquanto o Macaé encara o Audax (11). Quem ainda corre por fora é o Duque de Caxias, que tem nove e encara o Vasco em São Januário. 

Fonte: Futrio.net
Foto: Fanaticos pelo Cesso

domingo, 16 de março de 2014

NOVA COLUNA DO HERMAN RUBRO-ANIL: CESSO SE GARANTE NA SÉRIE A

FALA, GALERA RUBRO-ANIL!
GRITA, GALERA DO LEÃO RUBRO-ANIL DA LEOPOLDINA!!!! GRITA FORTE, GRITA ALTO!!!! BEM ALTO PRA TODO O RIO DE JANEIRO OUVIR!!!! O BONSUCESSO FUTEBOL CLUBE ESCAPA DO REBAIXAMENTO!!!! O BONSUCESSO FUTEBOL CLUBE ESTÁ MATEMATICAMENTE GARANTIDO NA PRIMEIRA DIVISÃO DO CAMPEONATO CARIOCA DE FUTEBOL DE 2015. Com a vitória do Bonsucesso sobre o Madureira e a derrota do Duque de Caxias para o Macaé, o Leão não pode mais ser alcançado e, portanto, está livre do rebaixamento.
Mas agora vamos ao jogo do Bonsuça em Conselheiro Galvão. Os embalos de sábado à tarde foram ótimos para o rubro-anil. Isso porque o Bonsuça venceu o Madureira pelo placar de 2 tentos a 1, em pleno estádio de Conselheiro Galvão. Foi um jogão!!!! O Bonsucesso não tomou conhecimento do time da casa e começou mandando no jogo. E mandando tanto que, logo no minuto inicial da partida o Bonsucesso abre o marcador; Marlon cobra escanteio à esquerda do goleiro madureirense e o zagueiro China vai no segundo andar, para, de cabeça, desviar completamente do goleiro e fazer em Conselheiro Galvão: Bonsucesso 1 x 0 Madureira!!!! Festa nas arquibancadas onde estava a torcida rubro-anil. O show começou cedo. Eram os embalos de sábado à tarde só começando.
Debaixo de um forte calor, o Bonsucesso não parava de atacar o Madureira; o time de Alfredo Sampaio estava realmente determinado a vencer o jogo para poder ficar ainda mais longe da zona de rebaixamento. E o Bonsuça ia que ia pra cima do tricolor suburbano. O Madureira, por sua vez, só foi atacar com perigo aos 29, quando Rodrigo arriscou de muito longe e o xará, o goleirão do Leão, Rodrigo Viana, fez grande defesa. É bom ressaltar a atuação dele durante a partida porque, mais uma vez, ele foi decisivo em evitar uma série de gols do adversário. Foi, certamente, uma das melhores contratações para o ano de 2014. Seu retorno ao cesso foi providencial.
Voltando ao jogo, o Bonsucesso aproveitou a passividade do Madureira e, com isso, acabou chegando ao segundo gol, ainda na etapa inicial; aos 36, Marlon cruza da esquerda, o goleiro madureirense Rodrigo Café afasta mal e a bola sobra livre para Fernando apenas cumprimentar e, de cabeça, para o fundo da rede mandar. Placar agora em Conselheiro Galvão: Bonsucesso 2 x 0 Madureira!!!!!
Na etapa final, o Madureira busca a todo modo crescer no jogo. O tricolor suburbano aperta o time rubro-anil, que parece um pouco perdido em relação ao primeiro tempo. Logo aos 2 minutos, Rodrigo Viana defende uma bicicleta de Erivelto. Defesa providencialíssima!!! O Madureira pouco produzia pelas laterais, principalmente pela esquerda. Pela direita, de vez em quando aparecia um cara que faz lembrar muito o soldado Guile, personagem daquele épico jogo chamado “Street Fighter”. Ainda bem que ele não aplicou nenhuma voadora em cima dos rubro-anis. E por conta da dificuldade em atacar, o Madureira se limitava a arriscar chutes de fora da área. E a insistência dos tricolores acabou sendo premiada; Carlinhos arrisca de fora da área, aos 23 e o goleiro Rodrigo Viana vai na bola mas não alcança. O Madureira diminui em Conselheiro Galvão. Placar agora é: Bonsucesso 2 x 1 Madureira!!!!
O gol colocou fogo no jogo. O Bonsucesso agora tinha que redobrar suas atenções para evitar o empate. Mas não foi fácil, pois o Madureira atacava quase que a todo momento. Estava difícil parar o time da casa e a torcida ainda tentava empurrar. E o Bonsucesso começou a ficar angustiado, torcendo logo pro tempo passar. Foi quando o técnico Alfredo Sampaio mexeu no time e colocou mais um zagueiro pra proteger o quintal rubro-anil.
A irritação da torcida do Bonsucesso presente à Conselheiro Galvão se voltou contra o árbitro da partida, que assinalou 4 minutos de acréscimo, sem ter havido razão pra tanto desconto. Mas o Leão foi bravo e segurou a vitória. Fim de jogo em Conselheiro Galvão. Bonsucesso 2 x 1 Madureira!!! Vitória maravilhosa, a terceira no Campeonato Carioca. Mais 3 pontos na tabela. Vitória que, ao final da rodada, acabou determinando a permanência do Bonsucesso na primeira divisão em 2015. Até que enfim acabou o sufoco, o martírio, o calvário. Ainda tem mais um jogo na tabela, que é semana que vem, contra o Friburguense, em Nova Friburgo, jogo que vai fechar a participação do Bonsucesso no campeonato. Mas, na verdade, não precisava nem ter.
De um time que, após perder inúmeros pontos na Teixeira de Castro, se ver seriamente ameaçado de rebaixamento, conseguir reverter o quadro e se garantir na divisão de elite 2015 com uma rodada de antecedência, foram jogos e mais jogos de muita agonia. A troca de treinador realizada pelo presidente Zeca Simões foi de grande importância nessa reação do time. Antes, o time errava quase todos os passes que tentava, mal chegava ao gol adversário e, quando o fazia, arrematava muito mal – quando arrematava. Com a mudança, o time passou a ser outro. Totalmente outro. Mudou tudo. O espírito de jogo na equipe passou também a ser diferente. Tanto que, nos últimos seis jogos – desde que entrou o treinador atual – foram 3 vitórias, 1 empate e 2 derrotas. Nada mal para um time que não havia vencido nenhuma partida até então.
Essa permanência na série A se deve a todo mundo: presidente, diretoria, comissão técnica, patrocinadores, time, torcida e por aí vai. A alegria que a torcida está sentindo agora é indescritível, pois foram rodadas e mais rodadas de puro sofrimento até chegar o momento da reação do Bonsucesso no campeonato. Dali pra diante o time deslanchou e não perdeu mais o ritmo até o final. Uma torcida sempre fiel ao time, que sempre apoia, que sempre cobra, que, apesar de pequena, sempre faz barulho, inferniza os adversários, inferniza o juiz, inferniza os bandeirinhas, uma torcida que vaia os adversários sem nenhuma dó, que faz sempre aquela corrente pra frente pra que o time vença. É toda uma vida de dedicação e de amor ao clube. É toda uma paixão que vem do fundo da alma, que está sempre presente no amor e na dor. Uma chama que não se apaga, que resiste, que insiste, que existe.
A emoção também fica por conta dos jogadores, que conseguiram se superar dentro de campo para reverter um quadro que já começava a se desenhar como algo impossível de ser feito. Atletas que lutaram, suaram sangue e se esmeraram de tudo quando foi possível fazer para que o clube não regressasse à segunda divisão. Parabéns aos jogadores pela luta, pela raça, por não deixarem de acreditar na permanência na elite.
E quem também está rindo de orelha a orelha é o presidente Zeca Simões, pois afinal, o investimento feito para 2014 valeu a pena. Os patrocinadores, o material esportivo, o time e o treinador. Conseguiu o primeiro “título” de 2014, como ele próprio diz, que é ficar na primeira divisão. E que em 2015 o Bonsucesso possa alçar voos mais altos e obter colocações ainda melhores. Parabéns, Bonsucesso Futebol Clube!!!! Esse sucesso é seu!!!

NÃO CAI MAIS! BONSUCESSO VENCE MADUREIRA E CONTINUA NA SÉRIE A!



O Bonsucesso venceu o Madureira por 2 a 1 neste sábado (15), em Conselheiro Galvão, e pode se garantir na elite do futebol carioca de 2015 ainda nesta rodada, caso o Duque de Caxias não vença o Macaé fora de casa. China, no primeiro minuto de jogo, e Fernando marcaram para o Rubro-Anil da Leopoldina, enquanto Carlinhos, o artilheiro do Estadual, descontou


Com o resultado, o Rubro-Anil alcançou 15 pontos, a meta dos matemáticos para evitar o rebaixamento. Porém, ainda pode ser alcançado caso o Duque vença os dois jogos que tem por fazer. Com os mesmos 15, o Madueira agora é o 11º e ainda tem as mesmas remotas chances de ser rebaixado para a Série B.

Mal o juiz apitou e o primeiro gol já saiu. Com apenas um minuto, Marlon cobrou escanteio e o zagueiro China foi no segundo andar para, de cabeça, abrir o marcador. A vantagem já estava construída e o Bonsucesso, que precisava mais do que o Madureira, se segurou da melhor forma, enquanto o Tricolor Suburbano não tinha paciência para tocar a bola, furar a retranca e chegar ao gol.

O primeiro chute perigoso do Madureira só foi dado aos 29 minutos, de longe, com Rodrigo Lindoso, para boa defesa de Rodrigo Viana. Passivo, o time da casa ainda acabou levando o segundo gol. Aos 36 minutos, Marlon cruzou da esquerda, Rodrigo Café afastou mal e Fernando, de cabeça, ampliou.

Na etapa complementar, o Madureira voltou com outra postura e teve a atitude que faltou na primeira. Logo aos dois minutos, Erivelto quase marcou de bicicleta, mas Rodrigo Viana defendeu. Os chutes de fora da área de Carlinhos e Rodrigo Lindoso, porém, eram a única forma de perigo do Tricolor Suburbano, por conta da dificuldade que o time tinha em criar pelas laterais.

De tanto insistir, Carlinhos foi premiado aos 23 minutos, quando arriscou de fora da área e o goleiro Rodrigo aceitou. Foi o oitavo gol do meia, agora artilheiro isolado do Campeonato Estadual. O gol incendiou o jogo, mas o Madureira não conseguiu furar o bloqueio defensivo do Cesso, que chegou a atuar com quatro zagueiros de origem e acabou levando os três pontos para casa.


Na próxima, última e decisiva rodada, o time de Alfredo Sampaio encara o Friburguense, no Eduardo Guinle, enquanto o Madureira recebe o Resende, ambos no domingo (22), às 16h.
  
A partida:
Madureira 1 x 2 Bonsucesso – Campeonato Carioca, 14ª rodada – 15/03/2014
Estádio Aniceto Moscoso (Rio de Janeiro – RJ) 
Árbitro: Grazianni Maciel Rocha
Assistentes: Carlos Henrique Alves de Lima Filho e Diego Luiz Couto Barcelos

Madureira: Rodrigo Café; Sagaz, Leozão, Luiz Paulo; Gilson (Romário 30’/2ºT), Ramon (Carlos Alberto – intervalo), Bruno Tiago, Rodrigo Lindoso e Carlinhos; Fernandinho (Erivelto 24’/1ºT). Técnico: Roy.
Bonsucesso: Rodrigo Viana; Iago Soares, China, Da Silva e Marlon Matheus; Victor Hugo; Alexandre Carioca e Geovane (Allan 23’/2ºT); Marlon Silva (Luiz Otávio 37’/2ºT), Fernando e Somália (Romulo 28’/2ºT). Técnico: Alfredo Sampaio.
Cartões amarelos: Alexandre Carioca, Geovane, Luiz Otávio, Marlon e Somália (BON)
Gols: China 1’/1ºT (0-1); Fernando 36’/1ºT (0-2); Carlinhos 23’/2ºT (1-2)
Público: 279 pagantes (379 presentes) 
Renda: R$ 5.040,00

Fonte: FutRio

quinta-feira, 6 de março de 2014

BONSUCESSO LUTA, MAS ACABA SENDO DERROTADO PELO FLAMENGO

Um jogo às 22 horas e debaixo de muita chuva nesta Quarta-Feira de Cinzas, em Volta Redonda. Tudo pronto para um confronto entre Bonsucesso e Flamengo com um público irrisório. Correto? Sim! Apenas 345 apaixonados tiveram disposição para saírem de suas casas e assistirem a vitoria rubro-negra por 2 a 0, no Raulino de Oliveira, pela sequência do Estadual. 

O Bonsucesso chegou embalado após duas grandes vitorias para cima do Macaé e Audax e estava disposto a aprontar mais uma peça diante de um grande no Carioca. Apesar do bom momento, quem iniciou melhor foi o Flamengo. Logo aos cinco minutos, após uma cobrança de escanteio, o zagueiro Chicão apareceu livre na entrada da área e bateu firme, mas o goleiro Rodrigo que substituiu Lopes lesionado foi seguro ao executar a defesa. Aos poucos, o Rubro-Anil foi igualando a posse de bola e as ações.

Aos 26, a melhor oportunidade do time da Leopoldina na primeira etapa. Fernando puxou um contra-ataque, avançou pela esquerda e bateu cruzado. Somália se esticou todo e conseguiu desviar o chute, mas a bola caprichosamente foi pela linha de fundo. O artilheiro teve sorte que a arbitragem já havia marcado o impedimento. Aos 30 minutos, o Bonsucesso teve uma nova chance. Nill cobrou com violência uma falta exigindo reflexo do goleiro Felipe para espalmar para escanteio. 

O primeiro tempo se acabara com um bom resultado para o Cesso que vislumbrava no mínimo um empate para somar ponto na tabela de classificação e conseqüentemente ficar um pouco mais distante da zona de rebaixamento. Na segunda etapa, o técnico Jayme de Almeida tirou da cartola duas modificações que mexeram com o panorama da partida. Negueba e Nixon entraram na equipe do Flamengo dando maior mobilidade no ataque. As substituições surtiram efeito. 

Logo aos 16 minutos, André Santos já havia carimbado o travessão numa nítida demonstração de melhora do time da Gávea. Recuado, o Bonsucesso acabou sofrendo o primeiro golpe. Aos 26 minutos, após Nixon insistir na jogada pela esquerda, o atacante fez o cruzamento, a defesa rubro-anil bobeou e Alecsandro, livre na pequena área só teve o trabalho de empurrar a bola para o fundo da rede. 1 a 0 Flamengo.

Tentando o empate a qualquer custo, o Leão da Leopoldina virou presa fácil no contra-ataque. Após troca de passes na entrada da área, Alecsandro observou Nixon sozinho. O jogador teve calma e tranqüilidade para virar e bater firme no ângulo esquerdo do goleiro Rodrigo aos 30 minutos do segundo tempo. 2 a 0 Flamengo. O técnico Alfredo Sampaio ainda tentou dar um gás a equipe com as entradas de Marquinhos, Romulo e Lipe, mas não havia tempo para mais nada. 


O resultado foi péssimo para o Bonsucesso que soma 11 pontos e está a apenas três do Caxias, primeiro time na zona de rebaixamento. A equipe retorna a campo sábado diante do Vasco, em São Januário, às 18h30min. 

FICHA TÉCNICA: 

Estádio: Raulino de Oliveira (Volta Redonda-RJ)
Público: 375 pagantes (450 presentes) 
Renda: R$ 11.710,00 
Árbitro: Raphael Silvano Ferreira Silva 
Assistentes: Silbert Faria Sisquim e André Roberto Silveira 

Bonsucesso: Rodrigo Viana; Iago Soares (Marquinhos 31'/2ºT), Luiz Otávio, China e Marlon Matheus; Victor Hugo, Alexandre Carioca, Fernando (Lipe 37'/2ºT) e Nil; Marlon Silva e Somália (Rômulo 31'/2ºT). Técnico: Alfredo Sampaio. 

Flamengo: Felipe; Léo, Chicão, Samir e André Santos; Amaral, Márcio Araújo, Gabriel (Nixon 15'/2ºT), Mugni (Carlos Eduardo 32'/2ºT) e Everton (Negueba 15'/2ºT); Alecsandro. Técnico: Jayme de Almeida.

terça-feira, 4 de março de 2014

EMBALADO, ALFREDO SAMPAIO QUER SURPREENDER O FLAMENGO

Amargurando a parte debaixo da tabela de classificação desde o início do Campeonato Carioca, o Bonsucesso conseguiu respirar um pouco mais na briga para escapar do rebaixamento depois de conquistar duas vitórias nas últimas duas rodadas da competição. A última delas, inclusive, ocorreu de forma histórica. O time perdia por 3 a 0 para o Audax e conseguiu, nos 25 minutos finais, marcar cinco gols.

Coincidentemente ou não, o desempenho da equipe melhorou depois que Alfredo Sampaio assumiu o comandando do time, há três rodadas. Embalado e com motivação de sobra, o treinador espera surpreender o Flamengo no confronto desta quarta-feira.

- Estamos vindo de uma boa sequência. Mas o que vale no futebol é o próximo jogo. Essa é a máxima no futebol. Obviamente que os últimos jogos nos deram motivação. Cada ponto neste momento é precioso pela situação que nos encontramos na tabela. Teremos um jogo muito difícil contra o Flamengo e temos que buscar o resultado positivo. Eles são o destaque absoluto da competição. Mas se conseguirmos vencer vai ser um diferencial muito grande para nós na luta para fugir do rebaixamento - disse Alfredo Sampaio.

Ocupando a 13ª colocação do Carioca com 11 pontos, o Bonsucesso mede forças com o Flamengo nesta quarta-feira, às 22h, no Raulino de Oliveira, pela 12ª rodada da Taça Guanabara.

sexta-feira, 28 de fevereiro de 2014

NOVA COLUNA DO HERMAN RUBRO-ANIL: CESSO VENCE O AUDAX EM PARTIDA ÉPICA

INACREDITÁVEL FUTEBOL CLUBE! CESSO VENCE O AUDAX EM PARTIDA ÉPICA!!!!
Meus caríssimos amigos rubro-anis, o que se viu na última quarta-feira no Estádio Moça Bonita, na Zona Oeste do Rio de Janeiro, foi algo fenomenal, daquelas coisas que só se vê tipo Cometa Halley, que só passa uma vez e acabou. No dicionário, a palavra fé é definida como uma crença muito firme, uma absoluta confiança em alguma coisa, sem que haja evidência alguma de que o objeto da referida crença seja real ou não; trata-se ainda de uma energia que alimenta todas as crenças e religiões do planeta.
E foi exatamente com essa fé que vários rubro-anis se deslocaram de Bonsucesso (ou de outras regiões da cidade) até Bangu, na firme esperança de ver o Leão da Leopoldina rugir bem alto em busca de mais uma vitória no campeonato carioca 2014. O sol era de lascar, como já era esperado (algo em torno dos 44 graus). As equipes entram em campo debaixo de um verdadeiro forno natural.
Começa o jogo em Moça Bonita e o Bonsucesso busca ter o domínio das ações. O rubro-anil martelava em cima da defesa do Audax, mas a marcação do time de São João de Meriti era bem forte em cima dos atacantes e alas rubro-anis. Em algumas vezes o Audax partia para o contraataque; e foi num deles que os caras conseguiram chegar ao gol: o atacante Matheus Vargas sai da marcação da zaga rubro-anil, abre espaço e chuta para o gol, meio sem pretensões. O goleiro Lopes acaba falhando na tentativa de evitar o tento meritiense: Audax 1 x 0 Bonsucesso em Moça Bonita, aos 19 minutos.
A irritação tomou conta das sociais no lado rubro-anil de imediato. Foram muitas reclamações e xingamentos. Eu mesmo tive um baita desânimo. O técnico Alfredo Sampaio estava visivelmente irritado com o time e sacou Allan Silva e Michel nos lugares de Renan e Giovanne. O time do Bonsucesso continuou não produzindo nada de bom até o fim do primeiro tempo.
No segundo tempo o Leão da Leopoldina tenta a todo custo rugir mais alto e parte pra cima do Audax buscando o gol de empate, tentando entrar novamente na partida; para isso o Bonsuça buscava se utilizar bem de seus alas, ao passo que o Audax continuava apostando nos contragolpes. Aos 8 minutos, a equipe meritiense consegue um escanteio; na cobrança, todos os rubro-anis ficaram parados na área, só olhando a bola passar. A bola sobra pra Luquinha bater em cima do goleiro Lopes; no rebote, Leandro Camilo, de perna direita, sem muita força faz o segundo gol do time laranja: Bonsucesso 0 x 2 Audax!!!!
O gol deixa o Bonsucesso mais tonto do que peru em véspera de Natal. O vermelho e azul da Leopoldina tá tão perdido em campo que nem GPS resolve. A irritação nas sociais com o time é cada vez maior. A revolta é muito grande. Assim como a decepção e o desespero. A torcida já estava começando a entregar os pontos. Eu era um. O martírio prosseguia; aos 14 minutos, David dá um drible da vaca em China e é derrubado dentro da área. O árbitro não tem dúvidas: pênalti para o Audax!!! Quem vai para a cobrança é Willian, que ajeita a bola, passa manteiga nela, bate pro fundo do gol e faz em Moça Bonita: Bonsucesso 0 x 3 Audax!!!!
O jogo a partir daí se encaminhava pra ser um dos mais humilhantes da história do Bonsucesso; afinal, o time estava sendo goleado pelo lanterna do campeonato. Assim não era possível. Após a parada técnica, o Bonsucesso vai pro tudo ou nada, mesmo jogando mais uma vez pessimamente. Tudo se encaminhava para o início oficial do retorno do Leão pra segunda divisão mais uma vez. Novamente o Bonsucesso ruma em direção à divisão de acesso do futebol carioca, de forma humilhante.
Foi quando, num ataque do Bonsucesso, Somália, com a bola dominada dentro da área, recebe forte marcação e acaba sendo derrubado na grande área: pênalti para o Bonsucesso e ele mesmo, Somália, vai para a cobrança; goleiro de um lado, bola de outro, gol do Bonsucesso, aos 23 minutos da etapa final. Placar em Moça Bonita agora é: Bonsucesso 1 x 3 Audax!!! Esse gol deu algum alento ao rubro-anil, que, até aquele momento, apenas vagava em campo. Então o time se enche de coragem e parte pra cima do Audax pra tentar alguma coisa na partida.
Aos 33 minutos, a bola é alçada na área do Audax e, ele, novamente ele, Somália, mete o côco na bola e diminui no estádio Proletário: Bonsucesso 2 x 3 Audax!!!! A partir daí o jogo mudou completamente de panorama. O Audax sentiu o golpe e se encolheu todo e o Bonsucesso, sem nada a perder, foi com tudo pra cima, buscando pelo menos o gol de empate. A esperança estava reacesa entre os torcedores presentes à Moça Bonita. Os corações rubro-anis começavam a bater forte outra vez. A torcida sentia que dava pra chegar lá. Dava!!! Era só querer mais a vitória que o adversário. Era só isso!!!!
E lá foi o Bonsuça pra cima do Audax com todas as forças. A torcida, que até o segundo gol do Bonsuça era só decepção e reclamação sem parar, voltou a incendiar o time, incentivando, gritando, torcendo sem parar feito malucos, feito debeis-mentais, feito retardados, feito sei lá mais o quê. E aos 43, o esforço, a luta e a raça rubro-anis, ausentes durantes grande parte do campeonato, valeram a pena: em escanteio cobrado pela esquerda, Luiz Otávio sobe mais que todo mundo e de cabeça, iguala o placar em Moça Bonita: Bonsucesso 3 x 3 Audax!!! A galera grita de felicidade no estádio Proletário. A galera rubro-anil é só felicidade, todo mundo corre de um lado pra outro, se abraçando e comemorando esse sofridíssimo empate.
Vem a placa dos acréscimos: 3 minutos. Àquela altura, o empate já estava de ótimo tamanho, dadas as proporções da partida; o Bonsucesso estava escapando de uma derrota que era dada como certa. O time do Audax estava tontinho, tontinho da silva. E, aos 46, o Leão da Leopoldina, consegue o Inacreditável Futebol Clube, consegue o Sobrenatural de Almeida, consegue tudo junto. Acontece o inacreditável, o sobrenatural, o proparoxítono, o meteórico, o fantástico, o prosopopeico, acontece nem sei mais o quê: Allan Silva toca pra Fernando chutar fraco para o gol e mesmo assim, o goleiro Paulo Vitor não consegue chegar na bola, que morre no fundo das redes. É ISSO MESMO, GALERA RUBRO-ANIL!!! EU FALEI: É ISSO MESMO!!!! O BONSUCESSO FUTEBOL CLUBE CONSEGUE O IMPOSSÍVEL. O BONSUCESSO FUTEBOL CLUBE CONSEGUE O INIMAGINÁVEL. O BONSUCESSO FUTEBOL CLUBE SIMPLESMENTE VIRA O JOGO EM MOÇA BONITA. NEM EM JOGO DE VIDEO-GAME ESSA VITÓRIA SERIA POSSÍVEL. BONSUCESSO 4 X 3 AUDAX!!!! A TORCIDA FESTEJA QUE FESTEJA SEM PARAR, A TORCIDA É ÊXTASE PURO. TODO MUNDO MALUCO DA VIDA COMEMORANDO ESSA VIRADA INIMAGINÁVEL. Nem o mais otimista e insano torcedor rubro-anil poderia acreditar no que estava vendo.
E não é que ainda tem mais??? Eu falei que ainda tem mais, galera. Apenas um minuto depois, nova jogada pela direita, desta vez com Showmália, que rola pra Marlon mandar o petardo na bola e ampliar: Bonsucesso 5 x 3 Audax!!! E a torcida mais uma vez pula de alegria e corre de um lado pra outro, sem nem saber direito o que fazer. O cansaço toma conta de boa parte da torcida, que não parava de comemorar um gol atrás do outro. Era impressionante o que acontecia diante de nossos olhos em Moça Bonita. Era mágico, era proparoxítono, era propedêutico, eu também já tô maluco e nem sei direito o que eu tô escrevendo. HEHEHEHEHE!!!!
O juiz apita o centro de campo: Fim de jogo em Moça Bonita e também de um dos maiores jogos da história centenária do Bonsucesso Futebol Clube. Foi simplesmente uma vitória épica. Vitória que foi a segunda do Bonsucesso no campeonato estadual. Os 25 minutos finais da partida foram de arrebentar o coração. Foi um verdadeiro teste pra cardíaco, segundo o ilustre André Queiróz. Uma média de um gol a cada 5 minutos. O Bonsucesso jogou nesses 25 minutos finais o que não jogou no campeonato inteiro até o presente momento. Nem contra o Macaé o time jogou tão bem como nesta quarta. Uma vitória que ficará pra sempre na memória dos rubro-anis presentes ao estádio. Quem foi à Moça Bonita teve esse privilégio. Foi um jogaço. Quem não foi, perdeu!!!!
Mas o mais importante é que agora o Bonsuça vai pra 11 pontos e deixa a zona de rebaixamento neste momento. O time se encontra a três pontos do Duque de Caxias, que é o primeiro time na zona com 8 pontos. Uma colocação acima está o Resende, com 9. Vale lembrar que na próxima rodada o Resende enfrenta o Vasco. É bem possível que o Resende venha a sofrer um revés. Tomara!!! O Duque enfrenta o Bangu. Temos que torcer por vitória do Bangu. O Cesso enfrenta o Flamengo. Parada duríssima. Se perdermos, temos que torcer pelas outras combinações de resultados pra ficar fora da ZR-2!!!! Vamos continuar torcendo, amigos. O Bonsucesso está vivo. Ele segue firme na luta pra ficar na Primeira Divisão em 2015!!!! Avante, cesso!!! Saudações rubro-anis!!!!!