segunda-feira, 30 de setembro de 2013

BONSUCESSO REGULARIZA RENAN LEITE PARA O JOGO COM O VOLTA REDONDA

Nesta segunda (30) o Bonsucesso regularizou mais um reforço para a Copa Rio: o meia-atacante Renan Leite. O jovem atleta, de apenas 21 anos, que assinou contrato no dia 16/09, já está apto a atuar pelo Leão na próxima quarta (02/10), diante do Volta Redonda, no Leônidas da Silva, pois seu nome já consta no BIRA (Boletim Informativo de Registro de Atletas) da FFERJ (Federação de Futebol do Estado do Rio de Janeiro) e no BID (Boletim Informativo Diário) da CBF (Confederação Brasileira de Futebol). A ligação do atleta com o Cesso vai até dezembro de 2013.

Renan Leite chegou a treinar no Bonsucesso no início da temporada, mas acabou disputando a Série B do Estadual pelo Paduano. O jogador, que além de ter jogado pela equipe de Santo Antônio de Pádua, fez base no Botafogo e teve passagens pelo Artsul, Avaí (SC) e Leça da Palmeira (POR).

O meia, que estava treinando com os jogadores do Leão desde o fim do Estadual, revela que chegou à pedido de Ricardo Barreto. O jogador também cita que espera agarrar a oportunidade na Copa Rio e, se possível, ficar no elenco que vai jogar a Série A do Estadual de 2014.

- Vou fazer o máximo para agarrar essa oportunidade dada pelo Ricardo Barreto. Quero aproveitar os testes que ele me der para seguir jogando e, se tudo der certo, ficar para a Série A do ano que vem – disse o meio-campista, que acredita que o Leão tem um grupo qualificado o suficiente para se classificar na Copa Rio e chegar na fase final do torneio.

Além de acreditar na classificação do Cesso na Copa Rio, o que o influenciou na assinatura do contrato, Renan ainda revela outros fatores que pesaram na hora de firmar o acordo com o Leão da Leopoldina.

- Pesou positivamente o fato de já ter treinado com o Ricardo na pré-temporada deste ano, além de já conhecer os jogadores, que me receberam muito bem. Treinar no Rio de Janeiro também ajuda, pois estudo aqui e jogar no Cesso vai facilitar meus estudos. Além disso, a gente pode entrar para a história do clube, pois chegar até a final da Copa Rio seria uma dobradinha perfeita em relação ao acesso para a Série A – completou o mais novo jogador do Cesso.

O Bonsucesso recebe o Volta Redonda na próxima quarta (02/10), pela sétima rodada da Copa Rio. A partida vai ser disputada às 15h00min, no Estádio Leônidas da Silva.


Fonte: Futrio.net

CONFIRA A ENTREVISTA EXCLUSIVA COM O GOLEIRO LEANDRO SANTIAGO: "QUERO CONTINUAR NO BONSUCESSO EM 2014"


O Bonsucesso retornou à elite do futebol carioca graças a um excelente trabalho não só da comissão técnica como também dos jogadores que não desistiram do sonho de levar o clube a Primeira Divisão no ano do centenário (o Rubro-Anil completa 100 anos no próximo dia 12 de outubro). E um desses heróis foi o goleiro Leandro Santiago.

O mineiro de 26 anos, que teve passagens nas categorias de base do Flamengo, Fluminense e Madureira e atuou como profissional por Olaria, Madureira, Caldense-MG, Cuiabá, São Raiumundo-AM, Fast Clube-AM, Rio Branco-MG, Luiziania-GO, Poços de Caldas-MG, Tricordiano-MG e o Unaí-MG, até chegar ao Leão da Leopoldina no inicio da temporada foi eleito o melhor jogador da posição na Série B do Rio de Janeiro pelo site Futrio.net com 61% dos votos dos internautas.

Um dos líderes da equipe dentro e fora de campo, Santiago comentou sobre a vaga que o time conseguiu após muito trabalho durante esses últimos meses mesmo sem o título devido o empate com o América por 0 a 0, no estádio Leônidas da Silva, que acabou premiando a Cabofriense.

“A virtude maior desse grupo foi a doação em campo. Sabíamos desde o início que não tínhamos um jogador de peso pra fazer a diferença. Mas, faríamos a diferença se todos estivessem juntos como um grupo, uma família. E foi assim que fomos indo até subirmos. As vezes dois ou três jogadores não estavam bem em um jogo aí nos uníamos ainda mais e os outros sete ou oito corriam o dobro para não sentirmos a falta de quem estava mal em campo. E isso foi uma constante nesse nosso grupo”, disse com exclusividade ao Blog Fanáticos pelo Cesso.

Leandro Santiago comentou sobre a volta por cima durante a competição após receber algumas criticas, mas no final das contas ser apontado como o melhor goleiro da Série B.

“Faz cinco anos que tentava voltar para o futebol carioca e não dava certo. Esse ano, o Ricardo (Barreto) me abriu essa porta. Vim para ser campeão. Para dar tudo de mim. Muita gente me criticou no primeiro turno contra o América quando perdemos por 3 a 1 porque fui para área tentar cabecear e marcar um gol já no fim do jogo. O nosso sentimento e do treinador era de empatar aquele jogo. Ninguém suportava estar dentro de campo e perder. E essa foi a tônica levada por todo campeonato. Claro que algumas vezes não dá certo, mas a vontade de vencer era muito grande. Ainda não caiu a ficha ao ser escolhido o melhor goleiro do campeonato. Trocaria essa nomeação pelo titulo do Cesso”, afirmou.

Confira abaixo os trechos da entrevista com o camisa 1 do Bonsucesso, Leandro Santiago.

Fanáticos pelo Cesso: Qual foi a maior dificuldade enfrentada até o acesso a 1ª divisão?

Santiago: “A maior dificuldade com certeza foi o momento que houve a paralisação. Foram dois meses entediantes. Sem saber o que aconteceria. Isso deu uma desmotivada em todos.”

Fanáticos pelo Cesso: Qual a importância do técnico Ricardo Barreto para a construção desse trabalho?

Santiago: “Tudo nesse acesso tem a mão do Ricardo (Barreto). Quando o Bonsucesso começou a trabalhar, chegaram mais de 300 jogadores semana após semana, e coube a ele saber selecionar o elenco da forma que ele queria e com o curto orçamento do clube. Após isso, ele conseguiu um período de 15 dias em Cabo Frio para fazermos nossa pré-temporada. Ali foi onde estreitamos a relação do grupo e nos unimos. Durante o campeonato, ele montou sua tática. Não interessava o adversário, a tática sempre foi a mesma. Ele confiou nessa forma de jogar e nos jogadores que ele selecionou lá no inicio já acreditando nessa tática e deu muito certo.

Fanáticos pelo Cesso: Qual o seu ponto fraco e o ponto mais forte quando está em campo?

Santiago: “Ponto fraco... Acredito que seja minha reposição de bola com o pé. E o ponto forte, acredito que seja a velocidade e agilidade pra saber o que o atacante vai fazer.”

Fanáticos pelo Cesso: Você tem contrato somente até o final do ano com o Bonsucesso. Alguém já o procurou para renovar? Tem o desejo de continuar no clube?


Santiago: “Ninguém me procurou ainda para tratar de renovação. Claro que quero continuar. Durante a Série B tive algumas propostas. Uma inclusive de contrato longo para jogar o Brasileiro da Série C com salário quase que o dobro do que ganho no Bonsucesso. Balancei para ir, mas depois de uma conversa com o Ricardo (Barreto) nos unimos e combinamos que subiríamos juntos.”

Fanáticos pelo Cesso: Qual a importância de disputar uma Série A do Carioca?


Santiago: “A Primeira Divisão do Carioca com certeza é o campeonato que dá a maior visibilidade hoje no Brasil. Para a gente que ainda quer ganhar alguma coisa com essa profissão é importante fazer um bom campeonato para aparecer.”

Fanáticos pelo Cesso: Sonha algum dia vestir a camisa de um clube de maior investimento do futebol carioca?

Santiago: “Tenho um objetivo na minha vida profissional de ter um salário bom que dê para dar uma estrutura melhor para minha família. Se isso for em um clube de camisa maior ficarei feliz. Mas, não tenho mais esse sonho de jogar em clube grande. Se for possível, claro que vou ficar feliz da vida. Porém, a gente sabe como está o futebol hoje em dia e não basta ser o melhor jogador para estar lá. Tem que ter outras coisas por trás”

Fanáticos pelo Cesso: Já se imaginou atuando no Maracanã?

Santiago: “Atuar no novo Maracanã seria fantástico. Logo após o acesso veio isso na minha cabeça. E será mais um objetivo cumprido.”

Fanáticos pelo Cesso: Como foi que você chegou ao Bonsucesso?

Santiago: “Cheguei ao clube através de uma indicação de um amigo em comum com o Ricardo. Ele propôs uma semana de testes e logo no meu segundo dia aqui já assinei o contrato.”

Fanáticos pelo Cesso: Mediante a campanha da equipe na Copa Rio, o Bonsucesso necessita de reforços para 2014?

Santiago: “Durante a Copa Rio, o técnico Ricardo Barreto já deixou claro que vai fazer experiências. Não está sendo a mesma equipe que jogou o Estadual. Claro que reforço para ajudar sempre é bem-vindo. Acredito também que não é necessária uma reformulação muito grande do elenco que subiu”

Fanáticos pelo Cesso: Você acredita que o time ainda possa conquistar os nove pontos em disputa em três jogos na Copa Rio?

Santiago: “Cara, acho que tudo pode acontecer no futebol e com certeza podemos conquistar esses pontos necessários. É difícil, mas é possível”

Fanáticos pelo Cesso: Onde você acha que o clube pode chegar no Carioca 2014 com a implantação do turno único? Gostou dessa idéia ou era adepto das Taças Guanabara e Rio?

Santiago: “Gostei da ideia de turno único. Acho que podemos sonhar com uma classificação para Série D ficando ali entre os seis melhores da competição.” 


HOMENAGEM AO 'TIO RUY'


O Blog 'Fanáticos pelo Cesso' não poderia deixar de prestar uma homenagem a um dos mais folclóricos torcedores contemporâneos do Bonsucesso. Conhecido como Tio Ruy no estádio Leônidas da Silva, o simpático amante do clube da Leopoldina nos deixou há um ano. A saudade fica, mas com certeza ele está muito feliz com o acesso do Rubro-Anil no centenário.

sábado, 28 de setembro de 2013

NOVA COLUNA DO GEORGE JOAQUIM: ORGULHO DA LEOPOLDINA

Orgulho da Leopoldina.

“Na Leopoldina em cada esquina quem domina é o Bonsucesso”. A letra de Lamartine Babo que encanta quem conhece reflete o orgulho suburbano do carioca torcedor Rubro-Anil. Esse orgulho é o resultado das vitórias e dos grandes jogos desde os tempos dos primeiros campeonatos disputados pelo Cesso.

O orgulho leopoldinense é transferido por gerações, onde os mais novos passam a contar histórias que ouviram de seus pais, avós, tios, etc. A estas histórias familiares e amigas são acrescentadas outras tanto, vividas pela nova geração.

No jogo contra o Quissamã, 21/09, visitei os amigos da Web Rádio Jovem Olaria na social do Cesso. Neste encontro, o locutor Julio Cesar exibiu a sua faixa de apoio ao Bonsucesso “Fiel Cesso”, estampada nas arquibancadas da Teixeira de Castro no campeonato estadual da 1ª divisão de 1993, grupos A e B. A “Fiel Cesso” foi o grito incentivador de jovens torcedores que presenciaram um Bonsucesso vitorioso que alcançou no final do 1º turno, o acesso à elite do futebol.

As demonstrações de carinho de várias gerações por nossas cores são as energias necessárias que levam o clube maior da Região da Leopoldina ao seu 1º centenário.

Resgatando a História

Há 92 anos, o Bonsucesso conquistou o título da segunda divisão de 1921. Depois de dois campeonatos na Liga Suburbana de Futebol (1918 e 1919), o Cesso tornou-se Campeão também na Liga Metropolitana de Desportos Terrestres (LMDT) ao vencer no dia 25/09/21 o SC Rio de Janeiro por 3 a 2.

Ficha Técnica: Bonsucesso 3 x 2 SC Rio de Janeiro

Competição: Final da 2ª Divisão Carioca.

Local: General Severiano
Data: 25/09/21
Árbitro: Everardo Martins Tinoco
Gols: Ernesto, Alberico e Mathias/Paschoal e Pindaro

Bonsucesso: Viana; Alamiro e Dona Julia; Mathias, Enrico e Waldemar; Flavio, Caballero, Doca, Ernesto e Alberico.

SC Rio de Janeiro: Guerra; Biguá e Couto; Avelar, Plinio e Tutuca; Pindaro, Guerrinha, Medina, Paschoal e Waldemar.

Fonte: Artigos Julio Diogo/Cacellain.com



Abração a todos.

sexta-feira, 27 de setembro de 2013

QUATRO GRANDES APROVAM TURNO ÚNICO NO CAMPEONATO CARIOCA DE 2014


Em reunião na sede da Federação de Futebol do Rio de Janeiro (Ferj) nesta sexta-feira, os representantes dos quatro grandes clubes de futebol do Rio de Janeiro aprovaram a ideia proposta pela entidade, em mudar a fórmula do Campeonato Carioca de 2014 e realizá-lo em turno único. A proposta, no entanto, ainda precisa ser aprovada pelo Conselho Nacional do Esporte (CNE) e passar pelo arbitral na própria Ferj, na presença dos demais 12 clubes participantes, no dia 7 de outubro.

Pela proposta, a entidade sugere um Carioca com 15 rodadas, todos contra todos. Os quatro melhores se classificariam para as semifinais, utilizando 19 datas, contra 21 de 2013. No antigo formato, havia a divisão em dois grupos e a disputa da Taça Guanabara e Taça Rio. No fim, os vencedores de cada turno se enfrentavam em duas partidas. Também esteve presente ao encontro o vice-presidente da Federação Nacional de Atletas Profissionais de Futebol (FENAPAF) e presidente do Sindicato de Atletas de Futebol do Rio de Janeiro (Saferj), Alfredo Sampaio.

- O importante é criar dentro da competição uma condição que tenha atrativo de levar o torcedor a participar diretamente do processo. A razão foi essa, e também com relação ao período de férias dos jogadores. É um ano atípico, entendo que isso foi importante já projetando para os próximos anos a discussão sobre o número de participantes, essa coisa de ter a disputa direta dos quatro primeiros colocados para chegarem à decisão. Acho que foi bom. Tem que discutir, expor, ouvir e achar o encaminhamento melhor para os clubes - opinou o presidente do Vasco, Roberto Dinamite, que esteve presente na reunião.

 Rodrigo Caetano, diretor executivo do Fluminense, também se mostrou a favor da mudança no regulamento do estadual para a próxima temporada.

- Foi uma decisão muito boa por vários motivos. Primeiro que retarda o início da competição em uma semana e nos dá mais tempo de preparação. Privilegia também a parte técnica. Foi uma medida acertada. Esperamos agora que ela passe pelo arbitral.

A necessidade da aprovação do CNE se dá pelo fato de o Estatuto do Torcedor não permitir que se altere a fórmula de disputa de uma competição sem que a mesma seja aplicada por dois anos seguidos. A Ferj, contudo, pede a mudança para que possa iniciar o Estadual do Rio apenas no dia 19 de janeiro, contrariando o calendário divulgado pela CBF. Nele, os torneios regionais teriam de começar no dia 12.

Consultado pelo GLOBOESPORTE.COM, a assessoria de imprensa do CNE informou que o órgão ainda não foi notificado oficialmente e por isso não pode se posicionar sobre o caso. Caso a mudança seja liberada, a fórmula terá de ser também aprovada pelo arbitral na sede da federação. A tendência é que os clubes pequenos não se oponham, mas, caso discordem e votem juntos, desbancariam o desejo da própria Ferj e dos quatro grandes. Juntos, os 12 times de menor expressão possuem 78 votos, contra 58 de Botafogo, Flamengo, Fluminense e Vasco.

Para 2015, o presidente da Ferj, Rubens Lopes, promete mudanças mais radicais e que, se forem colocadas em prática, devem agradar ainda mais aos quatro clubes grandes do Rio de Janeiro. A ideia é que o Carioca seja iniciado no primeiro fim de semana de fevereiro e que haja partidas apenas aos fins de semana.

Fonte: Globoesporte.com

CLUBES DISCUTEM FÓRMULA DO CARIOCA


Será discutida nesta sexta-feira, em reunião marcada para 11h na sede da Federação de Futebol do Rio de Janeiro (Ferj), a fórmula de disputa do Campeonato Carioca de 2014. Estarão presentes representates dos quatro clubes grandes do estado. Existem duas possibilidades: manter o formato atual de dois grupos, mas suprimindo as semifinais de turno, e na outra haveria turno único, com 15 rodadas, e os quatro melhores passando para as semifinais, o que ocuparia, no total, 19 datas.

A definição, no entanto, só deve sair na próxima terça-feira, em encontro dos clubes da primeira divisão com o Conselho Arbitral.

- Nós oficiamos ao CNE pedindo autorização para (o Carioca) se transformar em turno único. A bienalidade obrigaria o mesmo tipo de disputa, mas nosso argumento é em cima de dois fundamentos: que houve uma mudança do calendário e que nós estamos há mais de dez anos com esse formato de competição. E depois, a manutenção do sistema anterior seria um absurdo porque dentro do calendário a previsão da final da Taça Guanabara seria numa quarta-feira à noite. Isso contraria o bom senso - explicou o presidente da entidade, Rubens Lopes, à Rádio Tupi.

 O certo é que a Ferj não concorda com a data definida pela Confederação Brasileira de Futebol (CBF) para o início dos estaduais. A entidade já descartou a possibilidade de começar a competição no dia 12 de janeiro e assegurou que o Estadual será iniciado apenas no dia 19.

- Além de uma barbaridade, isso agride o bom senso. É um calendário esdrúxulo e absurdo, imaginando que se possa colocar um atleta em competição três dias depois de 30 dias de inatividade. Estamos tentando restituir o que acontecia antes: 30 dia de férias e no mínimo dez para preparação. Vamos começar dia 19, de maneira nenhuma dia 12.

Para daqui a dois anos, o presidente da Ferj promete mudanças mais radicais e que, se forem colocadas em prática, podem agradar aos quatro clubes grandes do Rio de Janeiro. A ideia é que o Carioca seja iniciado no primeiro fim de semana de fevereiro e que haja partidas apenas aos fins de semana.

- Posso quase afirmar que será assim. Vamos negociar e conversar com os clubes, mas a ideia é que não tenhamos rodada durante a semana, só em último caso. Os clubes poderão ter férias normais e depois um mês de preparação, onde poderão fazer clínicas fora, amistosos. No máximo começaremos no último fim de semana de janeiro, mas a ideia é ser apenas em fevereiro mesmo - disse mais cedo à Rádio Brasil.

Fonte: Globoesporte.com

segunda-feira, 23 de setembro de 2013

NOVA COLUNA DO HERMAN RUBRO-ANIL: O BONSUCESSO ESTÁ VIVO!!!!


FALA, GALERA RUBRO-ANIL!!!!
E o Bonsuça segue brigando ferozmente (e dramaticamente) pela classificação à segunda fase da Copa Rio 2013. É isso mesmo. Na partida realizada no último sábado na Teixeira de Castro, o Leão da Leopoldina sofreu pra dedéu pra derrotar o fraquíssimo time do Quissamã. Mas o rubro-anil segue firme na Copa Rio. O Bonsucesso está vivo, sim, senhor!!!!
Na situação que se encontrava antes da rodada do fim de semana, o Cesso estava na CTI, com apenas 1 ponto conquistado fora de casa contra a Cabofriense – jogo que era pro Bonsuça ter ganho – e precisava vencer o Quissamã de qualquer maneira; caso contrário, praticamente daria adeus à Copa Rio.
O público na Teixeira de Castro era realmente muito pequeno – não se sabe ao certo se por causa da péssima campanha do time na atual competição ou se ainda é ressaca por conta do acesso. Então esse calor da torcida vindo das arquibancadas e das sociais (onde pouquíssimos torcedores estavam presentes) não era suficiente pra empurrar plenamente o time. A galera atrás do gol teve que fazer o serviço dobrado. Sorte nossa que deu certo.
O jogo começa e o Bonsucesso – incrivelmente – é encurralado pelo inoperante time do Quissamã; só dá os visitantes nos 15 minutos iniciais. A partir daí, empurrado pelo clamor dos rubro-anis presentes à Teixeira de Castro, o Bonsucesso, enfim, começou a reagir, chegando com perigo, principalmente pela esquerda, por intermédio do maestro da lateral-esquerda, Juninho. O jogo se arrastou até o fim da etapa inicial e o placar do jogo no intervalo: 0 x 0!!!
Na etapa final, ambas as equipes voltam com outra motivação e há chances de gol de um lado e de outro; o técnico Ricardo Barreto faz as três modificações na equipe vermelha e azul na tentativa de dar mais mobilidade à equipe – Pardal entra no lugar de Serginho aos 10, Rafael entra no lugar de Marquinhos aos 25 e Jefinho entra no lugar do craque Juninho aos 31, a equipe local chega com dificuldade à área do time da terra do côco e quase não arremata as escassas oportunidades, embora pressionasse e encurralasse o adversário o tempo todo.
Como diz o ditado “água mole em pedra dura tanto bate até que fura”, o Bonsucesso consegue, enfim, chegar ao seu objetivo; Pardal, em bela jogada pela direita, avança pra dentro da área do Quissamã, invade a área, se livra da marcação, ainda demora um pouco pra concluir, mas manda um petardo pras redes quissamenses e faz Bonsucesso 1 x 0 Quissamã, aos 28.

O Leão até que tenta o segundo, mas tem muitas dificuldades pra chegar novamente ao gol adversário, ainda mais sem Juninho em campo pra armar as arrancadas pela esquerda. Ao time da Teixeira de Castro, resta segurar o jogo e deixar o tempo passar até o juiz apontar o centro de campo. Fim de jogo. Vitória do Bonsucesso na Teixeira de Castro depois de dois meses e meio – a última havia sido contra o Tigres do Brasil, pelo mesmo placar de sábado. E o Bonsuça volta a marcar gol no estádio, coisa que não fazia desde o mesmo jogo contra o Tigres.
O rubro-anil ganha uma sobrevida com essa vitória e vai em busca dessa classificação. Eu acredito que o Bonsuça vai conseguir a vaga; agora é torcer pra que os nossos adversários todos empatem, já que o Bonsuça folga na rodada, se isso acontecer, teremos Volta Redonda com 13 pts, Duque com 10, Cabofriense com 5, Bonsucesso com 4 e Quissamã com 1; aí o time tem que vencer o Volta Redonda de qualquer maneira no dia 2/10, na Teixeira de Castro. Vencendo, vai à 7 pontos e deixa o Volta Redonda com 13 e teríamos que torcer desesperadamente por um empate entre Quissamã e Duque; assim, a classificação seria Volta Redonda com 13 pontos, Duque com 11, Bonsucesso com 7, Cabofriense permaneceria com 5 – já que folga na rodada e Quissamã iria a 2 pontos. Na rodada seguinte o Bonsuça precisaria vencer o Duque de Caxias no Marrentão e torcer pra que Cabofriense e Quissamã ficassem num empate, sendo que o Volta Redonda folga na rodada; então a classificação seria Volta Redonda com 13 pontos, Duque ficaria com 11 pontos e o Bonsucesso iria pra 10, com a Cabofriense indo pra 6 e o Quissamã pra 3.

Na rodada seguinte o Bonsucesso teria que vencer novamente – desta vez a Cabofriense, na Teixeira de Castro – e torcer por um empate entre Volta Redonda e Duque de Caxias, no Raulino de Oliveira. Com isso a classificação seria: Volta Redonda com 14 pontos, o Bonsucesso assumiria a vice-liderança com 13 e o Duque iria pra 12, ficando a Cabofriense eliminada, com 6 pontos e o Quissamã, também já fora, com apenas 3. Como, na última rodada é folga do Duque, isso quer dizer que, com esses resultados, o Bonsucesso conquistaria a tão sonhada classificação para a segunda fase da Copa Rio e iria pro jogo final contra o Quissamã com a vida já resolvida.

O Bonsucesso deve ter mais ou menos uns 25 a 30 porcento de chances de conquistar a vaga, mas eu vou dizer uma coisa. EU ACREDITO NA CLASSIFICAÇÃO!!! É difícil, mas é possível. Com essas combinações de resultados acontecendo, a gente prossegue na competição. A torcida e o time precisam acreditar até o fim, porque nós vamos disputar esse título.

Saudações rubro-anis!!!!

sexta-feira, 20 de setembro de 2013

NOVA COLUNA DO GEORGE JOAQUIM: E A VITORIA QUE NÃO VEM...?

Povo Rubro-Anil.

A "Vitória" ainda não foi apresentada ao Bonsucesso no “baile” da Copa Rio. Mas. na noite em que o Bonsucesso conseguiria uma dança com ela, apareceu o “zangado Pênalti” e tomou a menina.


No "salão de Cabo Frio", um pênalti influenciou o resultado da partida. Não estava no jogo, mas nos recados dos ouvintes da Web Rádio Jovem Olaria, a revolta é escrita. O lateral esquerdo Serginho declarou ao repórter Raffa Tamburini do FutRio, que o pênalti marcado foi uma falta fora da área (http://futrio.net/wp/35154526-serginho-nossa-postura-evoluiu-e-nao-vencemos-por-detalhes). 


 Tenho a certeza que os protestos sobre os problemas de arbitragem ocorridos no triangular final da série B foram empurrados para embaixo do tapete e a cada competição seremos obrigados a conviver com estes erros.

 A Copa Rio 2013 está caminhando para cumprir a tabela. Talvez esperando dificuldades, Ricardo Barreto já declarou que observações e testes serão feitos na competição visando 2014. Realmente a situação do Cesso é ruim. Para conseguir a outra fase teremos que torcer por combinações de resultados e o Cesso superar seus adversários na Teixeira e fora (Quissamã e Duque). De qualquer forma, não conseguindo a classificação, torceremos pelo Cesso para terminar a 1ª fase na frente da Cabofriense.

Resgatando a História.

Há 82 anos, em duas datas de setembro (16 e 20) de 1931, o Cesso conseguiu as suas primeiras vitórias sobre o Botafogo e o Flamengo, respectivamente, em jogos oficiais no Campeonato Carioca. A primeira vez não se esquece!

Fichas Técnicas: Campeonato Carioca de 1931.

16/Setembro

Bonsucesso 2-0 Botafogo.

Local: São Januário.
Árbitro: Pedro de Carvalho.
Gols: Leônidas 38' do primeiro tempo; Miro 43' do segundo tempo.

Bonsucesso: Medonho; Cozinheiro e Heitor; Nico, Otto e Claudio; Catita, Rapadura, Gradim, Leônidas e Miro.

Botafogo: Victor, Benedito e Rodrigues; Afonso (Rogério), Martim e Pamplona; Álvaro, Nilo, Carvalho Leite, Juca e Luiz (Otacílio).

20/Setembro.

Flamengo 1-3 Bonsucesso.

Local: Rua Paysandu.
Árbitro: Waldemar Alves
Gols: Leônidas 7' do primeiro tempo, Rolinha, Gradim e Leonidas no segundo tempo.

Flamengo: Ismael, Segreto e Mario Lopes; Penha, Almeida e Vicentino; Luciano, Adelino, Rolinha, Marcondes e Cassio.

Bonsucesso: Medonho; Cozinheiro e Heitor; Nico, Otto e Claudio; Catita, Rapadura, Gradim, Leônidas e Miro.

Fonte Fichas Técnicas: Blog do Marcão.
Abração a todos.

quarta-feira, 18 de setembro de 2013

NOVA COLUNA DO HERMAN RUBRO ANIL: REAÇÃO IMEDIATA NA COPA RIO!!

FALA, GALERA RUBRO-ANIL!!!!
Confesso que, igual a vocês, ainda estou em ritmo de comemoração pelo Bonsucesso ter conquistado novamente o acesso à Primeira Divisão do campeonato carioca. Primeiramente vou falar um pouco sobre como o Bonsucesso vem mudando de nível nos últimos anos, sobretudo do ano de 2009 pra cá. Então, vamos lá.
No referido ano, o Bonsucesso se classificou para a segunda fase da série B daquele ano, porém acabou longe das primeiras colocações, portanto, bem distante da vaga para a série A, e, consequentemente, do título. Já em 2010 o Bonsucesso foi melhor; chegou à segunda fase e até às rodadas finais o rubro-anil brigava por pelo menos uma vaga na série A de 2011, mas uma derrota por 2 x 0 para o CFZ no Recreio dos Bandeirantes tirou definitivamente as chances do Leão retornar à série A do ano seguinte, fazendo com que o time apenas cumprisse tabela nos jogos que restava.
Veio então o ano de 2011, um ano que viria a ser fantástico e inesquecível para o Bonsuça, pois, naquele ano, o Bonsucesso, além de passar para a segunda fase mais uma vez, desta vez ele conseguiu (finalmente) não só o acesso na penúltima rodada, na Teixeira de Castro, mas também o título estadual em Quissamã, contra o time homônimo, coroando a conquista do acesso depois de quase 20 anos de espera.
No ano de 2012 o Bonsuça joga a primeira divisão, mas não logra êxito em se manter nela e, no jogo final contra o Friburguense, em Nova Friburgo, o rubro-anil acaba rebaixado, para tristeza de toda a torcida. Mas em 2013 o Leão volta rugindo alto novamente e recupera a vaga na Primeirona. Desta vez o rubro-anil tem que ficar nela. Vamos lançar na Teixeira de Castro a campanha “É proibido cair!!!”.
Voltando ao presente, o time do Bonsucesso ainda parece de ressaca por conta do acesso, pois perdeu os dois primeiros compromissos pela Copa Rio – contra o Duque de Caxias, na Teixeira de Castro, onde o rubro-anil dificilmente perde – e no último sábado contra o Volta Redonda, no Raulino de Oliveira. A situação de momento é a seguinte amigos: o Bonsucesso está em quarto lugar no seu grupo, à frente apenas do Quissamã, por conta do índice técnico, sendo que apenas dois clubes passam para a segunda fase. O grupo do Bonsucesso é dificílimo; tem como oponentes Volta Redonda, Duque de Caxias e Cabofriense, que são adversários fortes, sendo o Quissamã a única baba.
Vamos lá, então. O Bonsucesso ainda não tem pontos na Copa Rio deste ano – o Duque lidera com 9 pontos, o Volta Redonda é o vice-líder da chave com 6 pontos e a Cabofriense, em terceiro, com 3 pontos. A próxima rodada é na quarta-feira, sendo que o Duque de Caxias recebe o Volta Redonda, no Marrentão e o Bonsucesso vai à Cabo Frio enfrentar a Cabofriense – ou seja, todos os nossos principais adversários irão atuar na rodada; se, por exemplo, o Duque de Caxias e o Volta Redonda e a Cabofriense derrotar o rubro-anil, o Leão da Leopoldina estará em seríssimos apuros na Copa Rio, correndo o risco de perder a última chance de conquistar um título no ano do centenário, embora ainda faltando cinco jogos para o rubro-anil – seriam 15 pontos em disputa.
A nação rubro-anil entende perfeitamente que as comemorações pelo novo acesso ainda não pararam – e não podem mesmo parar – , mas é preciso também que os jogadores entendam que a série B já passou; o Bonsucesso agora está em outra realidade, buscando a construção de um futuro muito maior, e um outro passo começa a ser dado agora, com a disputa da Copa Rio. E o Bonsucesso vai em busca desse título que é inédito para o clube, e que fecharia com chave de ouro o grande ano de 2013.

Então, o Bonsuça precisa reagir logo; faltam seis partidas para o Leão, então ainda dá pra garantir uma das vagas, mas, para tanto, é preciso que o time vermelho e azul vença a Cabofriense na quarta, ou, NA PIOR DAS HIPÓTESES, arranque um empate lá em Cabo Frio. E aí TEM QUE VENCER o Quissamã, no sábado, de qualquer maneira, pra manter vivas as chances de passar para a fase seguinte.

A Copa Rio é um título que vários clubes do estado já conquistaram e o Bonsucesso, infelizmente, ainda não tem. Tá na hora de adicionarmos mais essa taça na sala de troféus da Teixeira de Castro. E vamos todos em busca dela, custe o que custar. Avante, Bonsucesso!!!! Saudações rubro-anis!!!!

terça-feira, 17 de setembro de 2013

ZAGUEIRO DO BONSUÇA NO ACESSO, JOÃO PAULO ASSINA COM O MADUREIRA

O Madureira confirmou nesta terça (17) a contratação de mais um jogador para disputar a Série C do Brasileirão e a Copa Rio: o zagueiro João Paulo. O defensor, revelado pelo Vasco, atuou na campanha do vice-campeonato Carioca da Série B deste ano pelo Bonsucesso e firmou seu vínculo com o Tricolor Suburbano até o final do Estadual de 2014.
Após sondagens do Madureira, João Paulo revela que conversou com a diretoria do Bonsucesso e rescindiu amigavelmente seu contrato. Aos 24 anos, o zagueiro comenta sobre seu novo clube e a possibilidade de disputar a Série C do Brasileirão.
- O Madureira foi o clube que me observou e me deu a oportunidade de mostrar o meu futebol. A equipe é muito jovem mas tem muita qualidade técnica. Além desses motivos, poder disputar a Terceira Divisão do Brasileiro pesou na minha escolha – disse João.
O zagueiro também fez questão de ressaltar o vínculo que criou com o Bonsucesso e o carinho que vai guardar para sempre em relação ao seu ex-clube.
- Achei que seria mais difícil lidar com essa escolha (de ir do Cesso para o Madureira), mas sou profissional e sei que vai ser normal se isso acontecer mais vezes na minha carreira. Mas, sem dúvida, o Bonsucesso para mim é um clube que vai ficar no meu coração para sempre. Criei um vínculo muito grande com o clube e torço para o sucesso da instituição – completa o jogador do Madura.
Fonte: Raffa Tamburini (FutRio)

BARRETO MINIMIZA JEJUM SEM VITÓRIAS DO CESSO E DIZ: 'NOSSO FOCO É O ESTADUAL'

O Bonsucesso sofreu sua segunda derrota seguida na Copa Rio, um feito inédito para o Rubro-anil em 2013. E o revés para o Volta Redonda, no último sábado (14), ainda fez com que o Leão entrasse em um jejum de quatro jogos sem vencer, o maior na temporada. No entanto, a série sem vitórias não preocupou o técnico Ricardo Barreto, que ressaltou que seu foco é avaliar os jogadores do elenco para montar a equipe que vai jogar o Carioca de 2014.
- Perder não é bom, óbvio que não. Mas nosso momento não é de se preocupar com a Copa Rio. Nosso foco é avaliar o time para o Carioca do ano que vem, como as outras equipes estão fazendo – comenta Barreto.
O técnico ainda disse que não houve um fator determinante para as derrotas e revela que vai seguir fazendo testes na equipe ao longo da Copa Rio.
- Nenhum fator de anormal aconteceu para que perdêssemos os jogos, simplesmente as derrotas aconteceram. Não considero que foi tudo normal porque perder não é bom. Mas estamos fazendo vários testes para ver quem vai ficar ou não para o ano que vem, pois volto a dizer, nosso foco é o Estadual de 2014 – concluiu.
Bonsucesso entra em campo pela Copa Rio nesta quarta (18), às 19h30min. Quando enfrenta a Cabofriense, no Estádio Alair Corrêa, em Cabo Frio.
Fonte: Raffa Tamburini (FutRio)
Foto: Carlos Junior (FutRio)

segunda-feira, 16 de setembro de 2013

SANTIAGO AFIRMA QUE VALORIZAÇÃO DA BASE FOI O SEGREDO DO ACESSO


Ao empatar com o América/RJ por 0 a 0 há uma semana, o Bonsucesso assegurou o direito de, em 2014, estar na Divisão Principal do Campeonato Carioca. Para o goleiro Santiago, essa conquista só foi possível porque a diretoria do Rubro-Anil investiu nas categorias de base do clube.

"Estou feliz, principalmente pelo apoio que recebemos da diretoria, que resolveu apostar nos atletas revelados na base, o que, na minha opinião, foi essencial para o Bonsucesso ter voltado de onde nunca tinha que ter saído; a Primeira Divisão", disse o arqueiro.

Com belas defesas, Santiago foi escolhido o melhor de sua posição. Segundo o camisa 1, a premiação é algo surpreendente, mas o importante foi o time, mesmo com a paralisação de dois meses por conta do imbróglio judicial envolvendo Goytacaz e América (clube alvi-anil de Campos foi punido pela escalação de um jogador de forma irregular), não ter perdido o foco.

"Para mim, foi excelente. Finalizamos com o acesso (para a Série A do Carioca) e sempre pessoas falando bem do meu trabalho, me elogiando bastante. E o mais importante foi a gente não deixar acomodar nem quando a gente ficou naquela paralisação de dois meses", disse em entrevista concedida ao portal 'Lancenet!'.

DE VOLTA À SÉRIE A, BONSUCESSO MOSTRA ORGULHO EM SER SUBURBANO


No almoço com amigos e torcedores, o assunto ainda é a classificação para a Série A do Estadual do ano que vem. Ao atravessar a rua que separa o restaurante da sede do clube, Cláudio Menezes, presidente do Conselho Deliberativo, recebe cumprimentos, para em uma barraca da feira e compra tangerinas para os funcionários que vão trabalhar na partida contra o Duque de Caxias, pela Copa Rio. A festa nas redondezas da Avenida Teixeira de Castro parece não ter dia para acabar.

— O Bonsucesso é uma família. O Felipão adotou isso para a seleção, mas aqui sempre foi assim — vibra Cláudio Menezes, enquanto distribui as frutas e recebe mais cumprimentos pela vaga na Série A, conquistada no ano do centenário do clube.

Ele caminha até o vestiário, faz um discurso de agradecimento aos jogadores e segue para a arquibancada atrás do gol para assistir ao jogo. Lá já está o presidente José Simões, o Zeca. Quando ouve um comentário sobre a semelhança entre as camisas do Bonsucesso e do Barcelona, não perde a chance de brincar.

— O Bonsucesso é mais antigo. O pessoal lá do Barcelona pediu autorização para fazer uma camisa igual à nossa. Eles só têm um pouco mais de dinheiro, né? — diz, provocando a gargalhada de quem está por perto.

O Bonsucesso não joga bem, mas o dia ainda é de festa. Com pouco público no Estádio Leônidas da Silva, o vendedor de balas dá um tempo no trabalho e vira torcedor. Zeca pede 20 picolés para quem está a sua volta. E já sabe que a despesa será maior no ano que vem.

— Vamos enfrentar os pequenos aqui mesmo. Vai ter mais gente, o vendedor vai ter que aumentar o estoque. Ajuda a matar o calor — brinca Zeca, apoiado pelos amigos. — Clima igual a este não tem mais no futebol. A gente torce e se diverte. Todos se sentem em casa.

O jogo contra o Duque de Caxias, disputado na última quarta-feira, se encaminha para o fim. Com o placar em 2 a 1 para o adversário, e o goleiro rival ouve todo o tipo de provocações, a maioria impublicável. Nada incomoda. De repente, um celular toca. Do outro lado da linha, um fiel torcedor do Bonsucesso que não conseguiu deixar o trabalho num dia de semana à tarde para acompanhar o time de coração.

— É um amigo nosso, professor de História. Se o Bonsucesso vence, ele dá um ponto de presente para os alunos. Com essa classificação para a Série A, acho que ele vai aprovar todo mundo — diz Zeca, torcendo para que os pontos venham mesmo com as vitórias em 2014.

Enquanto a bola rola, a conta do jogo chega. A renda de R$ 520,00 não dá quase para pagar o médico. Zeca Simões puxa o talão do bolso, assina e entrega um cheque em branco para um funcionário acertar as contas com a Ferj. Na última quarta-feira, o prejuízo foi superior a R$ 6 mil. No último domingo, contra o América, na partida que assegurou o retorno à elite do Estadual, faltaram outros R$ 3 mil, pagos pelo que o presidente chama de ‘ação entre amigos’.

— Ano passado, quando jogamos a Série A, recebemos R$ 360 mil de cota de TV. Na Série B, é só prejuízo. Estamos buscando um patrocínio para reforçar o time. O dinheiro é curto. Devemos salários ainda, mas meu grupo é fantástico. Ninguém reclamou de nada — desabafa Zeca, que gasta cerca de R$ 75 mil mensais com o departamento de futebol.

A saída imediata seria negociar um jogador. O lateral-esquerdo Marlon, segundo Zeca, o melhor da posição no futebol carioca, foi sondado pelo Fluminense para atuar nas divisões de base. O sonho do jovem, pelo menos no momento, é outro.

— Quero ficar no Bonsucesso para o Estadual, porque posso aparecer mais. Sou Flamengo, tenho o sonho de atuar no Maracanã. Seria maravilhoso — diz Marlon, que foi pela última vez ao estádio em 2009, quando o Flamengo venceu o Santos por 1 a 0, com direito a dois pênaltis defendidos por Bruno em cobranças de Ganso.

Fonte: Jornal Extra (Leonardo André)

domingo, 15 de setembro de 2013

BONCUESSO RECEBE PUNIÇÃO POR OBJETOS ATIRADOS EM CAMPO

O Bonsucesso foi julgado pelos objetos atirados no confronto com a Cabofriense, pelo Triangular Final da Série B e terá que pagar R$ 1 mil de multa pecuniária. Ao menos, o clube não perdeu mando de campo.

O assistente Wagner de Almeida Santos, que foi testemunha presente ao julgamento no Tribunal de Justiça Desportiva do Rio de Janeiro, confirmou o que o árbitro Daniel de Sousa Macedo relatou na súmula, de que uma pedra foi atirada em sua direção, além de uma garrafa d’água que chegou ao campo de jogo.

“Informa o depoente que os fatos narrados na súmula são verdadeiros; que foram arremaçadas pedras pequenas em sua direção e que uma das pedras chegou a atingir o seu ombro do lado esquerdo causando pequena lesão, mais que não precisou de atendimento médico; que os torcedores eram da equipe do Bonsucesso”, diz o ofício.

Além disso, no fim do jogo, o presidente do Bonsucesso, Zeca Simões, foi ao campo para reclamar da arbitragem, o que também foi relatado na súmula. O julgamento também foi realizado e o mandatário levou multa de R$ 100 e mais uma punição de 15 dias. A pena poderia ser maior, mas o assistente Wagner Santos, testemunha, revelou que houve um sincero pedido de desculpas.

NOVA DERROTA NA COPA RIO


E o Bonsucesso perdeu mais uma na Copa Rio. No segundo jogo consecutivo da equipe na competição, o time comandado pelo técnico Ricardo Barreto acabou sendo derrotado. Jogando no estádio Raulino de Oliveira, neste sábado e com o apoio da torcida, o Volta Redonda venceu por 2 a 0, pelo Grupo B.

O Tricolor do Aço abriu o marcador com o atacante Thiago Amaral, aos 37 minutos do primeiro tempo. O jogador conseguiu mesmo marcado girar e bater no canto do goleiro Santiago. Na segunda etapa, a equipe da casa marcou mais uma vez. João Paulo após a sobra de bola encheu o pé e ampliou o marcador. 2 a 0.

Com o resultado, o Volta Redonda conseguiu sua segunda vitória na competição, e está na segunda colocação, com seis pontos, enquanto, o Bonsucesso se mantém na quarta posição, sem pontuar.

O técnico rubro-anil avaliou a nova derrota e admitiu a superioridade do adversário principalmente na primeira etapa do confronto.

“O Bonsucesso no primeiro tempo foi muito mal, só teve um time em campo. No segundo nós recuperarmos alguma coisa. Tivemos até algumas chances de empatar, não foi tão ruim como no primeiro tempo. Infelizmente nosso zagueiro foi sair jogando, perdeu a bola e eles fizeram 2 a 0. Faz parte do futebol, agora vamos pensar no outro jogo”, afirmou ao Futrio.

Na quarta-feira (18), as duas equipes voltam a campo, o Volta Redonda encara o Duque de Caxias, fora de casa, e o Bonsucesso enfrenta a Cabofriense, em Cabo Frio.

sexta-feira, 13 de setembro de 2013

O CESSO FOI DESTAQUE NOS JORNAIS

O Bonsucesso foi destaque também na mídia impressa. O 'Jornal Extra' no dia seguinte ao empate com o América em 0 a 0, que garantiu a classificação para a Série A do Campeonato Carioca em 2014 publicou uma matéria especial trazendo todos os detalhes do emocionante confronto no estádio Leônidas da Silva. Veja abaixo.


Recortes: George Ferreira
Reprodução: Jornal Extra

COLUNA DO GEORGE JOAQUIM: O CENTENÁRIO É A SÉRIE A



Povo Rubro-Anil!


Desta vez não precisamos esperar por 18 anos para mais um acesso à primeira divisão do futebol profissional. O intervalo foi de apenas um ano para a torcida do maior suburbano do Rio de Janeiro gritar que o seu time é de série A. Devemos comemorar ao máximo. O Bonsucesso está retornando à casa que ajudou a fundar. 

O Bonsucesso está retornando à elite que ajudou a construir. Por isso, torcedor Rubro-Anil, use e abuse das cores vermelho e azul ou grená e anil. Utilize essas cores no seu dia a dia e demonstre ao mundo o seu orgulho de torcer pelo Bonsucesso. Se houver a oportunidade, use exaustivamente a camisa do Cesso.

Depois da festa, o planejamento. O campeonato da série A começa agora. Será fundamental permanecer nesta divisão para que o nosso clube volte a ter os brilhos merecedores das luzes do futebol de qualidade e respeito. Peço perdão aos que ficaram na série B, mas a “segundona” carioca é um castigo para um clube tradicional, e que ajudou a escrever a história do futebol carioca.

O novo desafio de Zeca Simões, o presidente de três acessos (1993, 2011 e 2013), é manter o Cesso na série A. Mas será necessária uma boa parceria ou parcerias. Renan Moura, em matéria exclusiva para o Fanáticos, trouxe uma boa notícia para os torcedores. O anúncio de um possível investimento em nossas dependências. Ótimo! Acho que o primeiro desafio na série A é jogar em casa. Se este investimento cuidar com carinho do Estádio Leônidas da Silva, meio caminho foi percorrido.

Salve o Cesso! Salve o centenário de Leônidas! Salve os torcedores e simpatizantes! E claro, Salve Nossa Senhora de Bonsucesso e seus Anjos.

Resgatando a História

Em 1968 o Bonsucesso calou milhões. E não foi só a nação americana que sofreu na data de 11 de setembro. A nação rubro-negra também sofreu com esta data. No dia 11 de setembro de 1968, com dois mísseis certeiros, o Bonsucesso derrubou as torres do favoritismo da equipe da Gávea. 

A Taça Guanabara de 68 entrou para a história do futebol carioca e também para a história Rubro-Anil.  Mas os sustos nos grandes começaram bem antes. No Campeonato Carioca o Fluminense não venceu o Cesso e no segundo turno o placar foi igual para Fla e Bonsuça (1 a 1). 

11/09/1968 - Taça Guanabara - Última rodada

Bonsucesso 2
x 0 Flamengo.


Local: Maracanã.
Público Pagante: 47.821.
Árbitro: Armando Marques.

Bonsucesso: Ubirajara, Luís Carlos, Jurandir, Paulo Lumumba e Albérico; Fifi (Moisés), Didinho e Gibira; Gilbert (Jair Pereira), Gonçalves e Morais.


Flamengo: Claudinei; Murilo, Onça, Guilherme e Paulo Henrique; Carlinho e Liminha; Luis Cláudio (Zezinho), Fio, Silva e Rodrigues Neto.

Gols: Gonçalves / Morais.

Abração a todos.

quinta-feira, 12 de setembro de 2013

LÊONIDAS DA SILVA, 100 ANOS DE HISTÓRIA

Tem clube por aí que diz ter ídolo, mas nunca teve um prata-da-casa se destacando entre os profissionais e virando gênio nos gramados mundo afora. O Bonsucesso teve. E não foi qualquer um. Foi um Diamante Negro. Era assim que ficou conhecido Leônidas da Silva, o inventor da ‘bicicleta’.

Nascido em São Cristóvão, era filho de Dona Maria e do Sr. Manoel Nunes da Silva e na infância era torcedor do Fluminense. Conhecido também como "Homem-Borracha", Leônidas da Silva começou sua carreira em 1923 no infantil do São Cristóvão. Em 1929 passou a jogar pelo Sirio Libanês F.C, mas foi em 1931 que começou a ganhar destaque, quando vestiu a camisa rubro-anil pela primeira vez.

Apesar da curta passagem já que deixou o clube no ano seguinte, Leonidas ganhou o carinho e a admiração de todos. Era um jogador tão completo que até jogou basquete pelo clube da Leopoldina, tendo conquistado campeonato desta modalidade esportiva.

Em 1933 foi jogar no Peñarol, do Uruguai, onde ajudou o clube a conquistar o vice-campeonato. No ano seguinte retornou ao Brasil para jogar pelo Vasco da Gama, o qual ajudou a ganhar o campeonato carioca de 1934.

A sua primeira competição importante com a camisa da seleção foi a Copa do Mundo, em 1934, na Itália. O Brasil fez uma péssima campanha, perdendo logo na estréia e sendo eliminado, mas Leônidas marcou o único gol do Brasil na competição.

Em 1935 mudou novamente de clube, indo atuar no Botafogo, onde conquistou o bicampeonato carioca, e em 1939, pelo Flamengo chegou ao tri-campeonato estadual, por 3 equipes diferentes. No Flamengo, foi um dos primeiros jogadores negros a jogar pelo clube.

Em 1938, foi artilheiro da Copa do Mundo com oito gols, incluindo três marcados contra a Polônia. O Brasil conseguiu a sua melhor participação em mundiais até então, ficando com a terceira colocação. Posteriormente, Lêonidas foi escolhido o melhor jogador do mundial.

Em 1942 transferiu-se para a capital paulista e atuou no São Paulo. Foi cinco vezes Campeão Paulista, tornando-se um dos maiores ídolos da história do Tricolor, sendo homenageado no museu do clube com uma réplica de uma bicicleta que ele executou.

Durante a década de 1940, devido a Segunda Guerra Mundial, os mundiais que seriam realizados em 1942 e 1946 foram cancelados, prejudicando enormemente jogadores como Leônidas, que não tiveram a oportunidade de se tornar conhecidos e reconhecidos mundialmente.

DIAMANTE NEGRO

O apelido de "Diamante Negro" foi dado pelo jornalista francês Raymond Thourmagem, da revista Paris Match, maravilhado pela habilidade do brasileiro. Já o apelido de "Homem-Borracha", dado pelo mesmo jornalista, foi devido a sua elasticidade.

Anos mais tarde a empresa Lacta homenageou-o, criando o chocolate "Diamante Negro", vendido até hoje. A empresa só pagou dois contos de réis à época (o equivalente a R$ 112 mil, aproximadamente), sendo que Leônidas nunca mais cobrou nada pelo uso da marca.

HOMENAGEM

Na semana em que se completaria 100 anos de seu nascimento, Leônidas foi homenageado por duas equipes pelas quais jogou. Pela Série A o Flamengo, diante do Vitória, utilizou uma camisa com a hashtag #Leônidas100 às costas.

Pela mesma competição o São Paulo, contra o Criciúma, concedeu a viúva de Leônidas uma camisa especial e bandeja de prata sobre a data. Foi também lembrado durante o dia 6 de setembro com um Google Doodle, do sítio de buscas Google, além é claro, do Bonsucesso, que conseguiu o acesso à série A justamente no ano do centenário também do próprio clube.


Quer conferir um documentário sobre Leônidas da Silva? Então curte abaixo e viaje nas histórias do Diamante Negro, ídolo do Bonsucesso.

EXCLUSIVO: PRESIDENTE ZECA SIMÕES REVELA INVESTIMENTO MILIONÁRIO PARA REFORMA DO CLUBE


O Bonsucesso viveu anos de amarguras na Série B do Campeonato Carioca, mas nos últimos três anos se teve um rebaixamento em 2012, ao menos, conseguiu dois acessos em 2011 e 2013, no centenário. E os projetos do presidente Zeca Simões são ambiciosos para o próximo ano.

Em entrevista exclusiva ao ‘Blog Fanáticos pelo Cesso’, o dirigente que preferiu não dar muitos detalhes confirmou que está bem próximo de fechar uma parceria para a reforma total das instalações do clube que irá beneficiar não só os sócios como também o carro-chefe do Leão da Leopoldina, que é o futebol.

“É muito difícil organizar a casa. Antigamente, não tínhamos nem porteiro e hoje já temos um funcionário na entrada do clube. Temos 30 seguranças que trabalham uniformizados a cada partida, algo que era inimaginável lá atrás. Dentro dos próximos dias, o torcedor e o morador de Bonsucesso terá uma grata surpresa. Estamos fechando um acordo com uma organização que nos ajudará a reformar toda a sede social do clube. O Bonsucesso será totalmente reestruturado. Não posso dar muitos detalhes. Recebi a noticia nesta quarta-feira que tudo que foi colocado no papel está aprovado, restando apenas agora à assinatura. Será um investimento de quase três milhões de reais. A piscina, salão nobre, ginásio, tudo ficará novinho em folha. Não estou falando nada da boca para fora. Isso será realizado”, afirmou.

Apesar de preferir ‘esconder o jogo’ quanto ao parceiro que irá desembolsar tamanha quantia milionária, o presidente descartou que possa ser aporte da Prefeitura conforme foi levantado no ano passado quando o clube subiu para a elite do futebol carioca.

“A Prefeitura do Rio não irá investir dinheiro aqui no estádio Teixeira de Castro. É impossível ajudar apenas um clube na nossa cidade diferentemente de outros locais como Cabo Frio, Resende, Volta Redonda, como exemplos.”

Veja abaixo outros pontos da entrevista com o presidente do Bonsucesso, Zeca Simões.

ACESSO

“O segredo é o trabalho e a dedicação ao clube. Convocamos uma comissão técnica de primeira linha. A impossibilidade de jogarmos aqui na Teixeira de Castro no ano passado teve um peso muito grande para o rebaixamento em 2012. Quando conseguimos todos os laudos, restavam apenas duas rodadas que não foram suficientes para nos salvar. Tenho certeza que no próximo ano vamos conseguir nos manter na elite. O trabalho será feito com mais carinho e afinco.”

MOMENTO MAIS COMPLICADO NA SÉRIE B

“Realmente a paralisação nos atrapalhou. Tínhamos um planejamento para o Campeonato Carioca terminar no início de julho. Mas tivemos que prolongar os contratos e aumentarmos as despesas. O Estadual acabou se tornando mais longo assim como no ano passado quando começou em janeiro e terminou em agosto. Este ainda foi pior: terminou em setembro. Fizemos oito amistosos neste período, mas a inatividade atrapalhou. Perdemos ritmo de jogo. Somente a garra e a dedicação de todos foram suficientes para nos levar novamente a primeira divisão. A classificação foi um prêmio no ano do centenário.”

TÉCNICO RICARDO BARRETO

“Foi a melhor contratação que nós fizemos para a temporada. É um técnico altamente qualificado e estrategista. É um cara disciplinador. Todos ficam na mão dele. Passamos momentos difíceis para honramos os compromissos salariais na competição, mas ninguém se debandou ou foi a imprensa para reclamar. Ele conseguiu manter o grupo unido até o fim. Vejo muitos clubes necessitando de um bom treinador e o Barreto está aí. Mas é claro, que quero que o Ricardo continue com a gente.”

PLANEJAMENTO PARA 2014

“O Ricardo Barreto é um treinador experiente que pode nos ser útil na Série A. Foi campeão pelo Botafogo e excursionou pelo mundo afora. Se o Ricardo Barreto quiser continuar no Bonsucesso, ele fica. Nós não temos contrato assinado. Caso tenha uma proposta irrecusável, não tenho como segurá-lo. A nossa equipe é muito boa. Fez um excelente campeonato. Temos que aguardar agora a disputa da Copa Rio, que é um torneio mais complexo para analisarmos o que precisamos para o próximo ano. Acho que a maioria dos jogadores desse elenco vai permanecer, mas é claro, necessitamos de peças para qualificar o time.”

CONTRATAÇÃO DE ‘AMULETO’

“Não vejo hoje com bons olhos contratar apenas pelo nome. Só se for um excelente nome que queira trabalhar conosco aqui no Bonsucesso. Mas ele precisa saber que a questão financeira é muito complicada. Não temos condições de contratar um jogador de grande expressão no cenário do futebol. Mas, caso apareça alguém disposto a se engajar no projeto iremos atrás de um patrocinador para nos ajudar.”

ESTÁDIO SERÁ LIBERADO NA SÉRIE A?

“Nós conseguimos laudos por um ano de todos os órgãos públicos necessários. Existe posteriormente uma vistoria da Federação de Futebol do Rio. Se eles vão liberar ou não é outra questão. Mas demos um grande passo com esses documentos liberatórios que podem nos ajudar a atuar na nossa casa na Primeira Divisão.”

COPA RIO

“Fiquei triste com a derrota na estreia para o Caxias. Mas é humanamente compreensível. Viemos de um jogo duro no domingo passado. Os jogadores comemoraram até tarde e na segunda-feira, fizemos apenas um leve trabalho. Jogamos sem cinco titulares. Poderíamos ter arrancado um resultado melhor, entretanto, faz parte do futebol ganhar ou ser derrotado. Perdemos a invencibilidade em casa de 10 meses. Ainda bem que aconteceu agora. Até porque domingo tinha uma representatividade muito maior. Porém, acredito que vamos nos reabilitar na competição.”

quarta-feira, 11 de setembro de 2013

DE RESSACA, BONSUCESSO PERDE PARA O CAXIAS NA ESTREIA DA COPA RIO


Fanáticos!

Chegou ao fim à invencibilidade do Bonsucesso atuando em casa que durava 10 meses. Na tarde desta quarta-feira com o elenco ainda de ressaca após a conquista da vaga para a elite do futebol carioca, o Rubro-Anil foi derrotado por 2 a 1 para o Duque de Caxias, na estréia do time na Copa Rio. Dudu anotou os dois gols da equipe visitante com Lyndson descontando na etapa final.

O Tricolor da Baixada se mantém invicto com três vitorias em três jogos enquanto o Leão da Leopoldina terá que buscar a recuperação na seqüência diante do Volta Redonda, no Raulino de Oliveira, no próximo sábado, pela segunda rodada do Grupo B.

Em um jogo morno do inicio ao fim prevaleceu a vontade um pouco maior do Duque de Caxias em campo. Aos 29 minutos saiu o primeiro gol. Mário Augusto cobrou escanteio, Pablo Ricardo escorou e Dudu marcou de cabeça. O gol acordou o Bonsucesso que começou a atacar.

Aos 36 minutos, Lyndson recebeu lançamento no lado direito e bateu cruzado para boa defesa de Raphael. Um minuto depois, foi a vez do lateral Marlon cruzar da esquerda e Marco Túlio, livre, cabecear para fora.

A bronca no vestiário no estádio Leonidas da Silva surtiu efeito e o Cesso voltou mais ligado na etapa complementar. Tanto que logo deixou o placar igualado. Aos dois minutos, após escanteio e bate-rebate na área, Lyndson cabeceou para empatar. 1 a 1. O Rubro-Anil empurrado pela torcida atrás do gol começou a arriscar mais, mas ainda de maneira tímida em busca de uma reação.

O cansaço pelo jogo do final de semana também parecia evidente no semblante dos atletas do Bonsucesso. Aos 28 minutos, após jogada pela direita, a bola sobrou nos pés de Dudu, que deu um leve toque para tirar do goleiro Santiago e colocar o Duque outra vez na frente. Aos 29 minutos, depois de um carrinho por trás, o camisa 10 do Bonsucesso, Camilo acabou sendo expulso pelo segundo amarelo. Com um a mais, o Duque de Caxias só administrou o jogo e esperou pelo apito final.




FICHA TÉCNICA

Árbitro
: Alexandre de Jesus
Assistentes: Paulo Vitor Carneiro e Tarsio Monteiro Lago
Cartões amarelos: Camilo e Lucão (BON); Anderson Künzel (DCA)

Bonsucesso: Santiago; Rafael, Luiz Otávio, Lucão e Marlon; Allan, Pará, Silas (Fábio Luiz 15′/1ºT, depois Erick 29′/2ºT) e Camilo; Lyndson e Marco Túlio (Juninho 13′/2ºT). Técnico: Ricardo Barreto

Duque de Caxias: Raphael Mello; Anderson Künzel, Pablo Ricardo, Emerson e Luquinhas; Lucas, Micheel (Wallace 30′/2ºT), Digão e Mário Augusto (Vinícius 34′/2ºT); Léo Paraná (Nathan 13′/2ºT) e Dudu. Técnico: Mário Junior.

*Nesta quinta-feira, o Blog Fanáticos pelo Cesso trará uma entrevista exclusiva com o presidente do clube, Zeca Simões além de um documentário sobre a vida do ídolo Leônidas da Silva! Não perca!!!

OLHO NO ADVERSÁRIO: DUQUE DE CAXIAS

Nesta quarta-feira (10), às 15h, no Estádio Leônidas da Silva, o Bonsucesso encara o Duque de Caxias, comandado por Mário Junior. O duelo é válido pela terceira rodada do Grupo B da Copa Rio.

Com 100% de aproveitamento - vitórias sobre a Cabofriense, fora e o Quissamã, em casa, ambas por 1 a 0 - e ainda sem ter sofrido gols, o Tricolor da Baixada vai motivado e confiante pelos dois bons jogos que realizou. Vencendo, chega a nove pontos ganhos e fica muito perto da vaga antecipada para a segunda fase.

Mesmo com seis modificações em relação a primeira rodada, o time se portou bem contra o Quissamã e conquistou sua segunda vitória. Diante da boa atuação e considerando a viagem longa que alguns atletas têm pela frente para enfrentar o Betim, sábado (14), pela Série C, a tendência é que Mário Junior repita o time da última sexta, poupando a maior parte dos atletas em atividade no Brasileirão


Ricardo Barreto também deve repetir a última formação que empatou com o América em 0 a 0 e garantiu a classificação para a Série A do Campeonato Carioca. Devido o foco no triangular final do Estadual, o Bonsucesso fará sua estreia na competição somente nesta quarta-feira.

Bonsucesso:
Leandro Santiago; Marquinhos, Luiz Otávio, Victor Hugo e Marlon; Allan Flávio Pará, Luiz Felipe e Camilo; Renan e Marco Túlio. Técnico: Ricardo Barreto.

Duque de Caxias:
Raphael Mello; Anderson Künzel, Emerson, Pablo e Luquinhas; Lucas, Araruama, Digão e Mário Augusto; Dudu e Leleu. Técnico: Mário Junior.

TÉCNICO RICARDO BARRETO DIZ: "O OBJETIVO ERA O ACESSO"


Com o Bonsucesso de volta à elite do futebol carioca após o empate contra o America por 0 a 0, neste domingo, um “praxe” do mundo dos boleiros não foi esquecido pelos jogadores do Leão da Leopoldina: banho de gelo no treinador Ricardo Barreto. Após o término da partida, diversos torcedores entraram em campo e puderam notar o carinho dos atletas com o comandante.

Sem frustrações por não ter conquistado o título da Segundona, Ricardo garantiu que voltar a figurar entres os grandes, em um ano tal especial para o clube, o deixa plenamente satisfeito.

- O objetivo maior era o acesso. O título ia coroar a campanha, mas só em voltar esse ano, no aniversário de 100 anos do Leônidas da Silva, ídolo do clube, já está de bom tamanho. Foi um jogo difícil porque o America com a vitória seria campeão, mas nós conseguimos o objetivo e estamos de parabéns.

Do banco de reservas, o treinador observou uma enxurrada de chances desperdiçadas por sua equipe durante os 90 minutos. O gol poderia dar mais tranquilidade para o time, mas não veio. Coisas do esporte, de acordo com ele.

- É futebol né. Um pouco de emoção, um pouco de ansiedade. Tivemos várias chances na partida para fazer, mas o importante é que a classificação veio com bastante mérito dos jogadores.

Pensando no futuro, Ricardo foi cauteloso. Quer primeiro testar novamente o elenco que tem em mãos, ainda este ano, para depois procurar peças de fora para reforçar o Bonsucesso. No Carioca da Série A em 2014, o objetivo é claro: a manutenção na elite.

- É muito cedo (para pensar na equipe para a Série A). Vamos sentar com calma, tranquilidade, e vamos usar a Copa Rio para fazer mais avaliações para que a gente consiga no ano que vem não descer de novo – concluiu.

Fonte: Globoesporte.com

ÁRBITRO ACUSA TORCIDA DO AMÉRICA DE ATIRAR GARRAFA EM CAMPO


O árbitro Péricles Bassols relatou na súmula da partida entre Bonsucesso e America, válida pela última rodada do Triangular Final da Série B do Carioca, no Estádio Teixeira de Castro, um objeto lançado no campo por parte da torcida do Mecão. Os times empataram em 0 a 0, e o Cesso garantiu o acesso à elite junto com a Cabofriense.

De acordo com o juiz, "aos 10 minutos do segundo tempo, uma garrafa plástica de água vazia foi atirada pela torcida do America." Ainda segundo o documento, o objeto foi arremessado na direção do jogador Marlon, que se preparava para cobrar um escanteio, mas não o atingiu.

A punição prevista no Código Desportivo Brasileiro pelo ato é de multa de R$ 100 (cem reais) a R$ 100.000 (cem mil reais) ao clube responsável pela torcida de onde veio o arremesso do objeto. Além disso, conforme a gravidade do incidente, o America ainda pode perder o mando de campo. (Veja íntegra abaixo).

A única hipótese do clube sair ileso de qualquer punição é a identificação dos torcedores que atiraram os objetos no gramado. Neste caso, os indivíduos seriam pessoalmente punidos, e o clube, que não tem como educar seus seguidores, seria isento de qualquer responsabilidade.

 Presidente do America se pronuncia

Procurado pelo GLOBOESPORTE.COM, o presidente do America, Vinícius Cordeiro, saiu em defesa do clube. E em ataque ao Bonsucesso. Vinícius quase não comentou sobre o episódio da garrafa, do qual disse nem sequer ter conhecimento. O presidente preferiu citar os problemas que, segundo ele, foram encontrados no estádio do adversário.

 - Eu fico indignado com o fato do árbitro ver uma garrafinha, mas não ver a falta de ambulância. Um torcedor passou mal, mas não tinha ambulância para atender. Tinha apenas um banheiro para todo mundo. Não tinha água para os torcedores. Vários torcedores relataram descumprimentos do Estatuto do Torcedor - acusou o presidente.

Segundo Vinícius, o torcedor que haveria lançado a garrafa no campo ainda não foi identificado.

Presidente do Bonsucesso: "É choro de perdedor"


José Ferreira Simões, presidente do Bonsucesso, rebateu as declarações de Vinícius Cordeiro. Segundo ele, a fala de Vinícius não passa de "choro de perdedor", e o Estádio Teixeira de Castro não possui qualquer tipo de irregularidade. José ainda desmentiu Vinícius ao afirmar que o torcedor que passou mal foi atendido prontamente e levado ao hospital.

- Isso aí é choro de perdedor. O estádio do Bonsucesso está funcionando perfeitamente. O que não me agrade é essa história da pessoas jogar garrafa, copo de plástico e se criar uma crise terrível por causa disso. Mas eu garanto que não houve falta de ambulância. A ambulância chegou na hora certa. A única coisa que aconteceu foi um torcedor que passou mal, a ambulância o levou para o hospital e depois retornou - concluiu.


Fonte: Globoesporte.com

OLHO NO ADVERSÁRIO DA COPA RIO

O técnico do Volta Redonda, Cairo Lima, tem uma semana inteira para preparar o time para o duelo contra o Bonsucesso no sábado (14) pela segunda rodada da Copa Rio. O time que venceu na estreia o Quissamã, perdeu a liderança para o Duque de Caxias que jogou duas vezes e venceu e por isso alcançou seis pontos e lidera a chave com 100% de aproveitamento.

Com um jogo a menos o Volta Redonda também está invicto mas tem apenas três pontos e não joga no meio de semana. A preocupação do treinador é a empolgação do Bonsucesso que acaba de conquistar o retorno para a Série A, tem uma equipe montada há mais de seis meses e está em atividade constante desde o início do Campeonato Estadual da Segunda Divisão.

Por outro lado, o treinador gostou do fato de tanto o Bonsucesso como a Cabofriense, campeão da Série B, estarem na chave do time da Cidade do Aço serão adversários na primeira divisão. Nesta quarta-feira, o técnico Cairo Lima e o gerente de futebol, Emanoel Nascimento deverão viajar para assistir algum jogo dos adversários.