segunda-feira, 10 de dezembro de 2012

ANÁLISE DA SEMANA COM ''HERMAN RUBRO-ANIL''.


PECULIARIDADES DO FUTEBOL CONTEMPORÂNEO – PARTE II



FALA, GALERA RUBRO-ANIL!!!!

 

 

            Galera do Bonsucesso, o grande Leão da Leopoldina sempre rugindo alto, hoje daremos continuidade ao tema iniciado na minha última coluna. Todos sabem o quanto o futebol contemporâneo mudou e muito de décadas pra cá, quando o mesmo passou a ser visto como um grande e poderoso negócio, onde muitos espertalhões lucram em cima disso. 


            Ainda falando sobre o papel de um capitão dentro do campo de jogo, vale o seguinte: dentro de uma equipe bem organizada e estruturada nas quatro linhas, espera-se que o capitão seja o porta-voz de toda a equipe; em momentos cruciais dentro de uma partida, ele deve dizer exatamente aquilo que todos os jogadores gostariam de dizer, se lhes fossem dada essa oportunidade, sobretudo quando for necessário fazer pressão em cima do árbitro, quando há algo em torno de um lance polêmico. Nesse momento, o capitão deve ser capaz de assumir a responsabilidade pelo que acontecer com a equipe.  A função de um capitão é decisiva em um time de futebol profissional. 

Ele deve passar uma imagem de competência, experiência e maturidade. Ele também deve ser dotado de inteligência emocional, para que assim, ele possa ser capaz de enxergar o ponto de vista das pessoas que estão sob seu comando e é necessário também encontrar um balanço entre a confiança e a soberba. Há uma frase que diz que na sala de máquinas da conquista, o que funciona como combustível é a ambição e o aditivo é você querer mais a vitória do que o adversário. 


            As lideranças de uma equipe de futebol profissional (leia-se, neste caso, treinador e capitão do time) devem ser exercidas com muita sabedoria e disciplina; afinal, eles não fazem nada sozinhos, por mais que ocupem cargos de soberania dentro da equipe. É todo mundo junto, pensando junto e chegando a uma conclusão final por meio do grupo. O caminho para a vitória e os títulos começa por aí. 


            Grande abraço e saudações rubro-anis!!!



Um comentário:

Dêrauê disse...

Apontamentos muito pertinentes, Herman! Além do mais, a sintonia entre o técnico e o capitão são fundamentais também, bem como que o técnico tenha noção dessa responsabilidade de comando. Grande abraço e parabéns por mais uma ótima coluna!