terça-feira, 27 de novembro de 2012

ANÁLISE DA SEMANA COM ''HERMAN RUBRO-ANIL''.


PECULIARIDADES DO FUTEBOL CONTEMPORÂNEO!!!!

FALA, GALERA RUBRO-ANIL!!!

Galera rubro-anil, hoje abordarei um tema um pouco diferente do habitual. Ao invés de falar especificamente do Bonsucesso, falarei um pouco sobre o futebol chamado “moderno” e suas características mais marcantes. Vamos de imediato a algumas. Por exemplo, fora de campo, o futebol há muito se tornou um grande negócio, envolvendo compra e venda de jogadores a rodo. Some-se a isso o grande espaço conquistado pela mídia no mundo esportivo, sobretudo no futebolístico. Graças à mídia, o futebol se tornou um espetáculo de nível mundial e também de massa. As partidas são espetáculos maravilhosos e os atletas que estão expostos ali no campo são produtos em exibição. E desses produtos surgem outros produtos, como camisas que levam o nome e a foto do jogador, por exemplo. São muitas as pessoas no mundo inteiro que consomem produtos relacionados ao futebol e muitas vezes dispostas a pagar o preço que for pra isso.

E mesmo que o clube de coração não tenha nenhum ídolo no seu elenco, o torcedor continuará indo aos jogos, invariavelmente; mas, se o clube tiver ao menos um ídolo, este, por si só, já atrairá a atenção de grande parte dos torcedores; por exemplo, aqueles que só costumam ir “na boa”, tendem a se aglomerar nas arquibancadas e nas sociais para ver o novo ídolo de perto. E esse ídolo, muitas vezes é uma invenção da mídia para que se atraia muito mais espectadores e os levem a consumir esse produto, conforme fora explicado no parágrafo anterior. Mas, se esse ídolo é capaz de realizar grandes jogadas, marcar muitos gols (sobretudo quando são gols antológicos), ajudar o time a vencer as partidas e conquistar o título, a torcida não vai parar pra pensar se ele é uma invenção da mídia ou não. Vai querer é encher a cara de felicidade e comemorar sem parar. 

Outro ponto que eu gostaria de mencionar é sobre a forma de jogar no futebol contemporâneo. No passado, as pessoas se encantavam quando os craques jogavam o chamado futebol arte. O maior exemplo, a meu ver, era o Garrincha, famoso por suas pernas tortas, e com seus dribles pra lá de desmoralizantes, desnorteava completamente os adversários, deixando eles tontinhos, tontinhos. Ninguém realizava jogadas tão magistrais quanto ele. Creio que nem mesmo Pelé, com toda a sua genialidade. Aí passamos para o nosso tempo atual, o chamado futebol contemporâneo, onde o famoso futebol arte de outrora praticamente desaparece; o espetáculo dentro de campo quase não existe mais, salvo alguns lances de genialidade do Neymar, por exemplo (isso dentro do território tupiniquim). O futebol, ao mesmo tempo que movimenta milhões e milhões de reais, se tornou burocrático (ou burrocrático) em muitos casos.
           
 Isso porque os esquemas táticos priorizam a contenção dos ataques adversários em detrimento do próprio avanço em direção à área do adversário. É a famosa ideia de “garantir o resultado”. E tem uma coisa muito séria nisso tudo; hoje em dia, muitos jogadores chegam às divisões profissionais com graves erros de fundamento (não sabem passar a bola, tocar pro companheiro mais próximo, não sabem cruzar, não sabem driblar, não sabem nem chutar a gol). Isso aí não há treinador que possa dar jeito. Nesse caso não tem o que fazer. 

Falando em treinador, vou agora falar sobre as características de um bom treinador. Para o cara se tornar um bom profissional nessa área ingrata, ele necessita, entre outras coisas, compreender a psicologia dos jogadores, os pontos fortes, bem como analisar a capacidade do time que tem em mãos; e necessita ainda saber como superar possíveis desavenças dentro do elenco. Em suma, o técnico precisa ser capaz de colocar em prática todas as técnicas adquiridas ao longo de sua vida profissional em uma vasta gama de situações conhecidas ou desconhecidas e também empatia pelos problemas que afetam os jogadores que estão sob seu comando. De acordo com estas características, o nome mais indicado para assumir o comando do Bonsuça para o centenário é o mesmo da grande maioria da torcida: Manoel Neto.
         
Agora vou mencionar sobre algumas características de um bom capitão dentro de uma equipe; os capitães se caracterizam por representarem o elo de ligação entre o restante do grupo e a cúpula do clube, tarefa por vezes difícil. É necessário que eles traduzam e interpretem de forma objetiva as mensagens de um lado para o outro, instruindo cada jogador em sua respectiva função estratégica dentro da equipe e também dando um retorno ao banco de reservas, sobretudo ao treinador, sobre a condição psicológica da equipe naquele exato momento; ou seja, em situações complicadas, ou por vezes dramáticas, eles se tornam responsáveis por absorver os temores e angústias de cada um dos lados, transmitindo as preocupações de uma parte à outra de uma forma calculada, cirúrgica. Não tenho um nome a ser sugerido para esta posição. 

Que a torcida se manifeste a respeito com sugestões a rodo. Próxima coluna haverá mais coisas a serem abordadas acerca destes assuntos. Grande abraço e saudações rubro-anis.

3 comentários:

RONALDO FANATICO ATRÁS DO GOL disse...

MUITO BOA ESTA COLUNA HERMANN GOSTEI DA SUGESTÃO DE POSTARMOS ESSA DO PROF. MANOEL NETO COMO NOSSO TÉCNICO EM 2013 SERIA OTIMO .

AVANTE CESSO .

RONALDO FANATICO ATRÁS DO GOL disse...

HERMAN , OUTRA COISA IMPORTANTE QUANDO JOGAR EM TEXEIRA DE CASTRO JOGAR COM O UNIFORME Nº 1 - RUBRO - ANIL . OK

MUITO IMPORTANTE POIS É O NOSSO UNIFORME PRINCIPAL CONTRA O BANGU USARAO O BRANCO NADA A VER POIS JOGAMOS EM CASA E A TORCIDA GOSTA DE VER O UNIFORME QUE FEZ HISTORIA NO CESSO QUE É O RUBRO ANIL POIS SÃO 100 ANOS DE HISTORIA COM ESTE UNIFORME .


AVANTE CESSO !!

Anônimo disse...

CARO COLUNISTA, TUDO O QUE VOCÊ FALOU EU ASSINO EMBAIXO. SÓ ME PERMITA APRESENTAR UMA SUGESTÃO AOS GESTORES DO FUTEBOL RUBRO-ANIL. O BONSUCESSO BEM QUE PODERIA ENCONTRAR UMA FORMA DE FAZER COM QUE VIESSEM JOGADORES DE PONTA POR EMPRÉSTIMO, CONFORME JÁ PUBLIQUEI NOS COMENTÁRIOS ANTERIORMENTE, DE MODO QUE OS SALARIOS DOS MESMOS FOSSEM PAGOS PELOS CLUBES DE ORIGEM, E NÃO PELO BONSUÇA. O AMÉRICA JÁ ESTÁ FAZENDO ISSO. O BONSUCESSO BEM QUE PODERIA SEGUIR O MESMO CAMINHO. ATENÇÃO OLHO AE GESTORES DO FUTEBOL E SAUDAÇÕES RUBRO-ANIS.