quinta-feira, 13 de setembro de 2012

COLUNA ''OPINIÃO E HISTÓRIA'' COM GEORGE JOAQUIM



Folga para Reflexão.

Uma folga para ajustes. Depois de uma boa apresentação na estreia contra o vizinho, o Bonsuça se apresentou fracamente contra o Madureira e o Grêmio Mangaratibense. Por sorte ou incompetência do adversário, vencemos o time de Mangaratiba. O nosso time cai de produção e chama até a atenção do nosso comandante. Em entrevista ao FutRio, Caulin declarou insatisfeito com o rendimento da equipe. Há uma sintonia do treinador com a torcida! A torcida também não está satisfeita com o rendimento. Devemos usar o coração para comemorar uma vitória e seus três pontos, principalmente dentro de casa. Mas, devemos usar a razão para analisar a dificuldade da equipe em passar por uma equipe representante da 3ª divisão profissional. 

Apesar da observação da queda de rendimento, o Rubro-Anil da Leopoldina pode bater o número de vitórias de outras edições da Copa Rio. Com duas vitórias, o Bonsuça igualou a campanha de 1995 (vitórias sobre a Portuguesa e o Madureira). Se vencer o Angra no domingo, iguala-se com as edições de 1998 (duas vitórias sobre o Olaria e uma sobre o Canto do Rio) e 1999 (vitórias sobre o CFZ, Duquecaxiense [histórica goleada de 7 a 1 na Teixeira] e Canto do Rio).
Resgatando a História.

O mundo lembrou os 11 anos das quedas das Torres Gêmeas norte-americanas. Mas, no Brasil, o “11 de setembro” registrou um estrago na Cidade do Rio de Janeiro. Na data mencionada, no ano de 1968, o Bonsucesso escreveu na história do Maracanã uma superação invejável. O Rubro-Anil da Leopoldina venceu o Rubro-Negro da Gávea por 2 a 0 em partida válida pela Taça Guanabara (competição independente do Campeonato Carioca que indicava o campeão para a Taça Brasil). A vitória do Campeão Suburbano mexeu no tabuleiro de xadrez. O xeque-mate aconteceu em outra data, mas no dia 11, o Rei ficou nu.

■Ficha Técnica do histórico “11 de setembro carioca”:

Flamengo 0 x 2 Bonsucesso

Competição: Taça Guanabara.
Local: Estádio Mário Filho (Maracanã).
Renda: NCR$ 115.470,00.
Público: 47.821.
Árbitro: Armando Marques.
Gols: 1º tempo, Gonçalves (15’); 2º tempo, Morais (44’).

Flamengo: Claudinei; Murilo, Guilherme, Onça e Paulo Henrique; Carlinhos, Liminha e Rodrigues; Luis Cláudio (Zezinho), Fio e Silva. Técnico Valter Miráglia.

Bonsucesso: Ubirajara; Luis Carlos, Lumumba, Jurandir e Albérico; Didinho, Fifi (Moisés) e Morais; Gilbert (Jair Pereira), Gibira e Gonçalves. Técnico Velha.

Fonte: Jornal A Notícia, de 12/09/68 (Acervo: Marzulo Paladini).

Abração a todos.




5 comentários:

Dêrauê disse...

Entre os "Onzes de Setembro" - Chile, Nova Iorque e Maracanã - eu também fico com o nosso maracanazo, prof.!
Precisamos mesmo fazer coro para ver alguma mudança. Parabéns pela coluna! Abraços!

Herman disse...

Fala, George!!! Gostei da folga para reflexão. Que bom que o próprio treinador reconhece que o time ainda não está bem. Menos mal. Sábado, contra o Angra, o Bonsucesso vai ter que entrar em campo com muita vontade de ganhar pra poder obter êxito. Sem mais para o momento, caros amigos. Saudações rubro-anis!!!

George Joaquim Ferreira Machado disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
George Joaquim Ferreira Machado disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
George Joaquim Ferreira Machado disse...

Valeu galera! Abração.