sexta-feira, 27 de abril de 2012

COLUNA ''OPINIÃO E HISTÓRIA'' COM GEORGE JOAQUIM



 É Pensar na Copa Rio!

A “barca” saiu da Teixeira de Castro logo após o fracasso do Campeonato Estadual. Acho que ela não está lotada! Ou voltará para buscar mais alguém?

O que mais se comenta entre os torcedores do Cesso é a disputa da Copa Rio. A torcida merece um time melhor do que foi apresentado no 1º semestre de 2012. Mesmo sendo Campeão da Copa Rio, o gosto “amargo da segundona” estará presente no “paladar esportivo” do torcedor. Mas esse título será muito bem vindo, afinal será disputado também pelas equipes da 1ª divisão e isso pode valorizar a conquista. Além de projetar novamente o Bonsucesso no cenário esportivo nacional, com uma competição promovida pela CBF.

Mas para ser campeão, precisa-se de jogadores! E não de “enceradeiras” que teimosamente jogavam para irritar a torcida. E também de técnico! E não de “incentivador de beira de gramado” que presenciamos nos jogos.

A principal questão levantada pela torcida e até mesmo escrita nas colunas de André Veras e Herman Rubro-Anil é o Planejamento. Espero que o “gigante adormecido da Leopoldina”, abalado pelo fiasco, acorde a tempo para a contratação de um bom técnico e formação de uma nova equipe compromissada em honrar a nossa camisa.

A Copa Rio está programada para setembro, portanto a Diretoria terá quatro meses para a formação de uma comissão técnica que irá planejar um time ideal observando elenco dos juniores, avaliando possíveis contratações, realizando testes, avaliações físicas, treinos, jogos-treinos, etc. E será bom a Diretoria estar atenta, que o período pode ser longo, mas se bobear, o tempo corre mais que a bola.

Resgatando a História.

►Há 63 anos, no dia 21/04/1949, o Bonsucesso visitava o Município de São João de Nepomuceno em Minas Gerais para a realização de um amistoso com a equipe local, o Mangueira. Foi uma festa neste dia em razão do craque Heleno de Freitas, em final de carreira, fazer parte da equipe adversária. A presença do filho mais importante da cidade atraiu um grande público para o evento. Confira a ficha técnica desta partida:

Mangueira 0 x 3 Bonsucesso

Data: 21/04/ 1949
Amistoso Interestadual
Local: São João de Nepomuceno (MG)
Gols: Totó (2) e Ernesto

BONSUCESSO: Alvarez; Rubens e Costa; Cambuí, Vitor e Gato; Tampinha, Demil, Ernesto, Enguiça e Totó.

MANGUEIRA: Matarazzo; Moacir e Carazo; Cacau, Tonho e Camilo; Laval, Zezinho, Heleno de Freitas, Hamilton e Renê.

Fonte: Jorge Costa/Blog Só Súmulas.

►Este jogo foi relatado em matéria do Jornal Estado de Minas Gerais em 1979. O Blog de Nei Medina publicou parte (que trata do jogo) desta matéria. Leia e mate a saudade de um Bonsucesso vitorioso, que jamais esqueceremos:

 “... Falando em Mangueira, tivemos outra passagem curiosíssima do Heleno. Talvez em 1947, capitão e principal jogador do Botafogo. Várias vezes convocado para seleções Carioca e Brasileira, Heleno recebe de Hercílio Ferreira (Bolote) o convite para participar de um jogo amistoso do Mangueira frente à fortíssima equipe do Bonsucesso-RJ.

Bolote, que era um misto de Prefeito, Delegado, Presidente e técnico do Mangueira, pediu que Heleno trouxesse mais uns 2 ou 3 jogadores para reforçar o time, visto que, a equipe do Bonsucesso era a sensação daquele ano no futebol carioca. Assim Heleno fez. No dia do jogo, chegou a São João trazendo o Matarazzo, que era goleiro reserva do time do Botafogo, além de Hamilton e Zezinho que também jogavam pelo alvi-negro carioca.

Domingo, campo do Mangueira lotado, começa o tão esperado jogo. O Bonsucesso vem a campo com a seguinte formação: Alvarez, Nanati e Miguel. Vítor, Agostinho e Gato. Marçal, Enguiça, Mariano, João Cola e Tampinha. Entre Heleno e seus convidados estavam, Camilo, Neca Beraldo, Ciro Torres, entre outros.

Final da 1ª etapa, zero a zero, mas um belo espetáculo de futebol, pois, as duas equipes trabalhavam muito bem a bola e apresentavam ao público presente um ótimo jogo de futebol.

Começa etapa final, e aos 15 minutos com o placar ainda sem movimento, Bolote resolve dar uma oportunidade ao jovem e promissor goleiro, Antônio Bezerra (na oportunidade com apenas 19 anos). Neste momento entra em cena Heleno de Freitas. Vendo o goleiro Erminio Matarazzo deixar o campo para entrada de Bezerra, ele chamou Hamilton e o Zezinho e disse: se é pra tirar os jogadores que eu trouxe, então sairemos todos. Em resumo, em mais uma atitude folclórica do Heleno, o Mangueira sentiu a saída de seus importantes convidados e perdeu o jogo pelo placar de 3 a 0. O bem da verdade não por culpa da entrada do Bezerra. Coisas de Heleno de Freitas.”

Abração a todos.




2 comentários:

Anônimo disse...

NEM INCENTIVADOR DE BEIRA DE GRAMADO ESSE RATAZANA DESSE MARCÃO ERA E ESSA BARCA TINHA QUE LEVAR ESSA DIRETORIA MEDÍOCRE E ESSA RÁDIO DE TRÊS OUVINTES.

Anônimo disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.