quinta-feira, 8 de setembro de 2011

DEU NA MÍDIA: TÚLIO MARAVILHA FAZ ESTREIA OFICIAL PELO BONSUÇA !


Túlio assiste à parte final do jogo no banco de reservas
(Foto: Janir Junior/Globoesporte.com)

Atrás de um dos gols do estádio Luso-Brasileiro uma pequena lona indica que um circo está sendo montado. Mas foi no campo da Portuguesa da Ilha que Túlio armou o seu picadeiro. Faltou o gol para o respeitável público de 69 pagantes, 159 presentes e uma renda de R$ 525. Aos 42 anos, o atacante, com cabelos cada vez mais ralos e brancos, fez sua estreia oficial pelo Bonsucesso na Copa Rio, diante do Resende, na tarde desta quarta-feira. Com a camisa 969 – referência ao número de gols pelas contas do próprio jogador –, Túlio passou em branco na saga pelo milésimo . E acabou no banco aos 19 minutos da etapa final.

- Foi uma boa estreia, pena que não teve o gol – afirmou Túlio, na saída de campo.

Antes de a bola rolar, um impasse. O Bonsucesso esqueceu de levar gandulas e alguns funcionários da Portuguesa tiveram que assumir a função. Na arquibancada, 12 integrantes da Torcida Rubro-Anil balançavam bandeiras com a imagem de Lêonidas da Silva, que passou pelo clube, e cantarolaram ‘Túlio Maravilha, faz mais um pra gente ver’.

Logo aos 50 segundos, Túlio dividiu uma bola com o goleiro Artur. O atacante tentou algumas arrancadas, mas sem sucesso. Sob sol e o tradicional vento uivante do estádio, o atacante ajeitava constantemente os cabelos, enquanto esperava uma oportunidade para sair bem na foto. Em vão. Aos 34 minutos, Linhares abriu o placar para o Resende.

Túlio voltou para o segundo tempo. Aos 13, ele conseguiu uma boa cabeçada, que passou rente à trave, no seu único lance de perigo. Aos 19, o atacante foi substituído por João Rodrigo e assistiu ao restante do jogo no banco de reservas. Mesmo com uma atuação apagada, o jogador recebeu aplausos da torcida.

Assédio botafoguense

Não teve gol, mas Túlio garantiu cenas de um ídolo que agora tenta a sorte longe do milionário mundo do futebol da Primeira Divisão. Na calmaria da Portuguesa da Ilha, o atacante atendeu um fã antes do jogo. Sérgio, 70 anos, abriu mão da partida do Botafogo para prestigiar seu ídolo, e levou um cartaz com a frase ‘Deixei de ir ao Engenhão ver o Fogão. Estou com 70 anos. Anda logo com o gol mil para eu poder assistir’.

- Pode comprar o ingresso que será no Engenhão, ano que vem – avisou Túlio.

- Minha netinha tinha oito anos quando ele saiu do Botafogo. Ela chorou durante três dias – relembrou Sérgio.

Longe do glamour, Túlio ouviu a preleção do técnico Manoel Neto no modesto vestiário da Portuguesa. Usou uma escada para apoiar os pés e amarrar as chuteiras. Depois, abraçado a um jogador adversário, riu com o pedido para que não fizesse gol contra o Resende.

- A paixão pelo futebol me faz continuar jogando. Podem questionar meu número de gols. Se nem Jesus Cristo agradou a todos, não será o Túlio que fará isso – declarou o atacante.

Túlio entrou em campo com o pequeno Guilherme, dez meses, no colo. O menino vestia a camisa do Bonsucesso.

Antes da partida desta quarta-feira, Túlio fizera sua estreia pelo Bonsucesso num amistoso que terminou em goleada por 4 a 1 sobre o União de Marechal Hermes, no estádio Leônidas da Silva. Na ocasião, o atacante fez dois.

Após a estreia na Copa Rio com empate por 1 a 1, fora de casa, no último sábado, contra o São João da Barra, o Bonsucesso tropeçou diante do Resende: 1 a 1. Depois de sair atrás no placar que tem os números trocados manualmente, Jeferson empatou aos 40 minutos do segundo tempo. Do banco, Túlio aplaudiu seu companheiro.

O próximo compromisso do Bonsucesso será um amistoso contra o Nilópolis, no próximo sábado. Não será preciso confeccionar nova camisa para Túlio. A de número 969 terá que ser usada outra vez. Mas, na falta do gol, o atacante é o animador da festa, faz o seu circo, seja para plateia de milhares de torcedores como na época de Botafogo, ou para o respeitável público de 69 pagantes na tarde do feriadão de sol no Rio de Janeiro.

De: Janir Junior (Globoesporte.com)




Nenhum comentário: