segunda-feira, 1 de agosto de 2011

MANOEL NETO ANALISA CAMPANHA VITORIOSA E TÍTULO DO BONSUÇA

Após conquistar o seu nono acesso no futebol do Rio de Janeiro, o treinador Manoel Neto atribuiu aos jogadores e a toda comissão técnica do Bonsucesso o bom desempenho da equipe ao longo da disputa. Com apenas cinco derrotas em 44 partidas, o rubro-anil foi quem mais pontuou e mais venceu em toda a competição, tendo ainda o vice artilheiro da competição, Marco Goiano, com 20 gols.

Experiente, e pela primeira vez trabalhando no clube da Leopoldina, Neto diz que cada conquista teve um sabor diferente, pois os momentos e as equipes não se repetem e, como sempre, fez questão de dividir a conquista com todos, sem exceção:

"Trabalhei com os melhores em cada função e que foram chegando aos poucos, desde o início das atividades em janeiro. Os jogadores são os verdadeiros responsáveis por tudo, mas o desempenho da comissão técnica e do pessoal de apoio foi indispensável. A experiência de levar o Bonsucesso à Série A foi magnífica, pelo jejum de 18 anos, pela grandeza e tradição do clube, e deixar o nome marcado na história é impagável, não apenas para mim. O futebol só reconhece os vitoriosos, e aqui não foi diferente", afirmou.

Com dez dias de folga até à reapresentação no próximo dia 08, Manoel Neto acredita que o momento é de descanso, mas sem deixar de pensar no planejamento para as próximas competições, esperando contar com a mesma equipe técnica que alcançou o objetivo traçado no início do ano:

"Não posso deixar de exaltar um por um na campanha, seria injusto. Hilton Oliveira, meu auxiliar, é do mais alto gabarito, com experiência internacional e em seleções de base, assim como o preparador de goleiros Ricardo Schimel, que tem passagem pela CBF em campeonato mundial. Na preparação física, contei com dois profissionais que deixaram o grupo em condições de se manter em excelentes condições numa competição tão extensa, Felipe Moreira que foi uma das grandes surpresas, pela dedicação e capacidade, e o Gustavo Barros, que apesar de jovem, já tem muita vivência no futebol, além do fisiologista Luciano Souza.

O departamento médico atuou de forma brilhante na recuperação dos jogadores e fez um trabalho notável, com os doutores Hélio e Flávio Aguiar e Antônio Naine, e o fisioterapeuta Cristiano dos Santos, que conhece como poucos o clube. O massagista Ronaldo Cascão e o roupeiro Serginho também foram exemplos de dedicação, e nunca deixaram faltar nada no trabalho, tudo sob o comando eficiente do Ricardo Alves, supervisor de futebol", enumerou o treinador.

Fonte: FFERJ


Um comentário:

RONALDO disse...

nao precisa nem falar do profissional que e manoel neto pois vimos o trabalho bonito e competente que fez otimo tecnico.


abraços