sexta-feira, 25 de fevereiro de 2011

RESGATANDOA HISTÓRIA

GEORGE JOAQUIM

“Quem Tem Padrinho, Não Morre Pagão.”

No final de 2010, o Presidente da CBF, Ricardo Teixeira, anunciou o reconhecimento das conquistas dos torneios anteriores ao Campeonato Brasileiro como títulos de Campeões Brasileiros. Estes torneios serviam para indicar os representantes para a Taça Libertadores da América. Taça Brasil, Torneio Roberto Gomes Pedrosa e Taça de Prata, de uma hora para outra, viraram Campeonatos Brasileiros. E o Presidente Ricardo Teixeira virou um grande padrinho para Bahia, Palmeiras, Santos, Cruzeiro, Botafogo e Fluminense, presenteando-os com títulos e prestígio por serem os primeiros Campeões Nacionais. Mas, nesta semana, outro título foi reconhecido pela CBF e pelo Sr. Ricardo Teixeira. Numa decisão surpreendente, o Flamengo passa a ser Campeão Brasileiro de 1987, ao lado do Sport de Recife, que está furioso da vida. Segundo o Sr. Ricardo Teixeira, os argumentos apresentados pelo Flamengo foram suficientes para convencê-lo a reconhecer o título, que juridicamente não prejudica ninguém. Antes, o que convencia o Presidente era uma decisão da justiça comum, que concedia ao Sport (vencedor do Módulo Amarelo) o Título de Campeão Brasileiro de 1987, impedindo a divisão do Título Brasileiro com o Flamengo, vencedor da Copa União (Módulo Verde).

O mais interessante dessa questão envolvendo o Flamengo é a participação da Federação de Futebol de nosso estado nesse processo de convencimento junto à CBF. A atuação da Federação do Rio foi tão precisa que a Presidente do Flamengo, Patrícia Amorim assim destacou, segundo o site da Federação: “Agradeço ao Presidente da FERJ pelo empenho e dedicação nessa conquista”. E o Presidente da Federação, Sr. Rubens Lopes assim declarou: “Na realidade esse pleito era do Rio de Janeiro e não do Flamengo. A FERJ pela obrigação de sempre estar ao lado dos seus filiados, não poderia deixar de lutar por esse objetivo”.

Parabéns ao nosso Presidente da Federação. E gostaria de deixar claro que também ficaria muito feliz caso o Sr. Rubens Lopes lutasse pelo reconhecimento do Título do Bonsucesso na Liga Suburbana de Futebol, em 1919. Juridicamente não vai prejudicar ninguém.

Na metade de 2010 enviei uma carta ao Sr. Rubens Lopes solicitando este reconhecimento, mas infelizmente não obtive nenhum tipo de resposta. Pode surgir a alegação de que a carta não chegou às mãos do Presidente, então publicarei esta carta na coluna, aproveitando o “ar de bondade” que circula pelos corredores das instituições dirigentes de nosso futebol, para que todos os fanáticos fiquem cientes de que meus argumentos merecem, pelo menos, uma resposta da Federação. E quem sabe, depois da publicação, surge um padrinho para apoiar o nosso querido clube nessa questão.

►O Bonsuça tem uma conquista na quadra, que talvez pouquíssimas pessoas possam saber. Em 1928, o Bonsucesso foi CAMPEÃO Carioca do 1º Quadro da 2ª divisão de Voleibol masculino, segundo consta no site da Federação de Voleibol do Rio de Janeiro.

♦ Amanhã é dia de comer fora! Nossa primeira vitória longe da Teixeira de Castro pode sair neste sábado, quando a equipe rubro-anil estará enfrentando o Aperibeense. Boa sorte ao Bonsuça!

Abração a todos.

6 comentários:

André Veras disse...

Caro George Joaquim,

Concordo com vc em grau, gênero e número, mas com certeza o reconhecimento desses títulos teve um interesse totalmente político, para que a CBF pudesse desestabilizar o clube dos 13 no que se diz respeito ao contrato de transmissão do Campeonato Brasileiro que hoje gira em torno de 500 milhões de reais por campeonato. mas quem sabe o Ilustríssimo Presidente da FFERJ não possa aproveitar a ocasião e dar o reconhecimento do título do Bonsuça como um presente antecipado do centenário?

Um abraço a todos!

Anônimo disse...

Sr.George o Bonssucesso comendo fora só tem indigestão e volta passando mal.É derrota certa.

George Joaquim Ferreira Machado disse...

É André, seria um presentão! Quem sabe um dia o Presidente da Federação acorde inspirado e faça este grande ato de reconhecimento. Abção!

anderson santos disse...

É MEUS AMIGOS, INFELIZMENTE ACHO QUE NÃO VAI SER POSSÍVEL, ESSES TÍTULOS RECONHECIDOS AGORA, PRINCIPALMENTE DO FLAMENGO, É UMA JOGADA POLÍTICA DA CBF E REDE GLOBO, PARA TENTAR PRENDER OS TIMES EM FORMA DE GRATIDÃO AS ENTIDADES, POIS A RECORD ESTA VINDO COM TUDO PARA TRANSMISSÃO DOS BRASILEIROS 2012/2014.
MAS O IMPORTANTE É TENTAR E QUEM SABE ESSE PRESENTÃO SAIA.

George Joaquim Ferreira Machado disse...

Peço perdão aos amigos leitores da coluna "Resgatando a História". Houve um erro na construção do parágrafo que trata do título de 1928 no vôlei. Onde se lê "segundo consta no site da Federação de Voleibol do Rio de Janeiro", lê-se "segundo consta no Blog Mundo Botafogo. Ok! Obrigado pela atenção e abção!

Rivelino disse...

meu nome é Almir e em 1969 e 1970 joguei nos "Dentes de Leite" do nosso Bonsuça, era conhecido por Tostão, no tempo do Toninho, Zé Carlos, Janse e Jorge Theobaldi, Carlinhos e tantos outros que saudade!!!Embora em Portugal vou todos os anos ao Rio e visito o nosso clube na esperança de encontrar alguém , felizmente tenho estado com o César Mello e os Theobaldi, mas queria encontrar mais gente. Ano que vem vou ver o Bonsuça na 1ª Divisão, Força